Amamentar deitada causa infeção de ouvido: Verdade ou Mentira?

Existem assuntos que são controversos (cada um tem uma opinião) e outros que geram confusão. Como vocês sabem o meu papel é deixar as coisas mais claras, e se tiver alguma dúvida sobre esse ou outros assuntos, você pode me encontrar no seu pediatra.com ou no Facebook. Só quero pedir para que você leia até o final, porque tenho uma ressalva a fazer nesse assunto.  Todo mundo te contou que amamentar não seria fácil. Mas você, como uma heroína, se esforçou e encontrou que mudar a posição na hora de amamentar poderia te ajudar. Uma das posições que você mais gostava era amamentar deitada, até que chega alguém e diz que não pode porque causa otite (infeção no ouvido).

amamentar-deitada-causa-infecção-de-ouvido-verdade-ou-mentira

Para desfazer essa confusão e tirar a pulga de traz de sua orelha, permitindo que você amamente sossegada vou esclarecer esse assunto.

Criança que mama deitada tem maior risco infecção de ouvido?

Sim. Aqui está a fonte da confusão. Muita gente confunde “dar mama deitado” (dar a mamadeira) com amamentar deitada (mamar no peito).

O maior risco de infecção do ouvido acontece com as crianças que mamam MAMADEIRA deitada. Nesse caso a posição realmente não é recomendada. Ainda que você retire o leite do peito, se for dar usando a mamadeira, a criança não deve estar deitada.

E por que isso acontece?

amamentar-deitada-causa-infecção-de-ouvido-verdade-ou-mentira-02
Existe um canal que liga a região nasal e oral ao ouvido, é a tuba auditiva (antiga trompa de Eustáquio). Essa tuba tem a função de igualar a pressão nos ouvidos, com a pressão do ambiente. Para que você não fique com aquela sensação de “ouvido tapado” que acontece quando viaja de avião.

Mamar a mamadeira deitado favorece o acúmulo de leite nessa região e a abertura da tuba auditiva pelo gradiente de pressão, facilitando o acúmulo de líquidos e a entrada das bactérias no ouvido.

E qual é a diferença se a criança mama no peito?

Antes de tudo, você conhece o fator protetor do leite materno. O leite materno tem anticorpos que protegem as mucosas evitando que a bactéria entre no nosso organismo. Tanto a cavidade oral, nasal, quanto a própria tuba auditiva estão revestidas pela mucosa, e isso facilita sua proteção.

Vários estudos comprovam que o leite materno reduz o risco de infeção de ouvido.

Mas o leite materno não o único benefício do aleitamento materno. Para ganhar o leite o bebê tem que “fazer força”, precisa sugar forte, não é como a mamadeira onde o leite jorra por gravidade ou após leve sucção de
bebê. Por mais que tentem adaptar as mamadeiras, nenhuma se assemelha ao seio materno.

Os fatores físicos que diferenciam o aleitamento materno da mamadeira e evitam que o fato de amamentar deitada provoque otite são:

1) O movimento de sucção faz com a mandíbula se projete pra frente, essa posição favorece o desenvolvimento da articulação da mandíbula e da formação do canal auditivo.

2) O gradiente de pressão provocado pela sucção e deglutição do seio materno é diferente do da mamadeira. Quando faz mais força para sugar, é mais difícil que a tuba permita a passagem do líquido para o ouvido.

3) O padrão da respiração do bebê que mama no peito é mais fisiológico, dificultando que ocorra esse acúmulo que predispõe à infecção.

Posso ficar tranquila e amamentar deitada?

Você pode amamentar deitada sempre que quiser. Eu só gostaria de fazer uma ressalva e chamar sua atenção para um ponto: A segurança do bebê.

Eu também já amamentei e sei como cansa, nos primeiros meses quase não conseguimos dormir porque toda hora o bebê acorda para mamar. O cansaço físico e a falta de sono, faz com que cochilemos muito fácil, e às vezes até dormimos sentada. Por isso muito cuidado quando for amamentar deitada para não cochilar, pois a segurança do bebê está em jogo, e acidentes podem ocorrer pois ele ainda não consegue se defender. Então use essa posição quando você não estiver com sono, ou quando tiver outra pessoa junto com você, e evite amamentar deitada durante a madrugada, para não correr riscos.

Ficou mais claro, mamães?

Posted in Doenças at fevereiro 26th, 2015. No Comments.

Água com Limão emagrece? Verdade ou Mentira.

agua-com-limao-emagrece-verdade-ou-mentira

Isso aí, uma prática tão simples, mas que pode de dar uma mão para perder aqueles quilinhos extras, e melhor ainda, é baratíssimo.
Benefícios da Água:
A agua em temperatura natural, tomada logo quando acordarmos, além de melhorar o sistema imunológico, hidrata, da uma equilibrada no PH, ajuda na digestão e ainda se tomar em jejum tem um poder diurético, que vem dai a vantagem do emagrecimento.

Benefícios do Limão:
O limão é carregado em vitamina C, ajuda a prevenir o câncer, por exemplo. A bile é uma substancia feita no fígado, acumulada na vesícula, que é solta no intestino para deixar de lado a gordura e facilitar a absorção dos nutrientes, o limão estimula a produção da bile, o que é ótimo para os alimentos quem viram em seguida.
Dentro do nosso estomago o limão chega e já se combina com alguns minerais, ajudando a manter o PH em equilíbrio.
A água em temperatura ambiente junto com o limão da uma ajuda na eliminação de gordura que fica na parede do sistema digestivo, além de aumentar a produção do suco gástrico e da saliva, que acaba facilitando a digestão e não deixa você com aquela sensação de “estômago pesado”.
Vamos à receita:
INGREDIENTES
– 100 ml de água em temperatura ambiente
– ½ limão comprimido
PREPARANDO
Coloque todo o sumo do limão dentro da água, de preferência sem nenhum tipo de adoçante ou açúcar, e beba logo em seguida. Para fortalecer a ação desintoxicante, o conselho é ingerir alimentos entorno de 20 minutos depois de tomar o liquido.

Posted in Emagrecimento at fevereiro 6th, 2015. No Comments.

RESSURREIÇÃO: VERDADE OU MENTIRA?

 

ressurreição-verdade-ou-mentira

Tendo em vista a aproximação do domingo de Páscoa percebi que valeria a pena escrever algo que envolvesse o tema da ressurreição de Cristo, sendo este um pilar fundamental da cristandade.

No dia 18 de Maio de 2004 foram convidados para um debate no “The John Ankerberg Show”, nos Estados Unidos, no qual John Ankerberg foi o moderador. Os convidados para o debate forram dois respeitados filósofos, um ateu e outro teísta. O filósofo ateu foi o renomado Dr. Antony Flew, da distinta Universiry of Reading na Inglaterra, e o filósofo teísta foi também renomado professor e filósofo cristão, Dr. Gary Habermas, da igualmente distinta Liberty University in Lynchburg, na Virgínia.

O que tornou este debate especial foi o currículo destes dois filósofos. Dr. Flew escreveu e publicou um número considerável de livros, jornais e artigos famosos nas áreas da teologia filosófica e em especial um importantíssimo artigo usado por muitos filósofos ateus sob o título “Milagres”, publicado na “The Encyclopedia of Philosophy”, bem como seu livro “New Essays in Philosophical Theology and the Ressurection Debate”. Nestes textos Dr. Flew alega que os milagres não são historicamente comprováveis, por isto devem ser desacreditados, o que inclui a ressurreição de Jesus.

O Dr. Habermas também também escreveu um considerável número de livros, em especial sobre a ressurreição. Um deles sob o título “The Historical Jesus: Ancient Evidence for the Life of Christ”, no qual foi documentado 129 fatos históricos concernente a vida, pessoa, ensino, morte e ressurreição de Jesus. O Dr. Habermas é a maior autoridade acadêmica sobre a ressurreição de Jesus em nossos dias, e possivelmente ninguém tenha estudado e coletado evidências sobre a ressurreição de Jesus o tanto quanto ele, nos últimos dois mil anos.

Com base nestas informações, é possível compreender o peso deste debate e toda a argumentação, teses e antítese que envolveram este momento histórico. Este debate foi gravado reproduzido na integra no livro “Resurrected? An Atheist and Theist Dialogue”.

Nos próximos dias aproximadamente 2.185.060.000 cristãos celebrarão a ressurreição de Jesus Cristo, enquanto quase 5.000.000.000 rejeitam fortemente esta possibilidade, como os ateus e muçulmanos e os demais não fazem qualquer esforço para crer em tal coisa e um grande número destes nem sequer sabem que Jesus nasceu, quanto mais se ele morreu.
A ressurreição de Jesus é um dos pilares inegociáveis cristianismo, negá-lo e por em causa todas as demais doutrinas cristãs, pois sem a ressurreição de Jesus nada no Cristianismo se sustenta ou tem algum valor real, visto que se Jesus estivesse ainda morto, suas palavras perderiam sua autoridade, seus milagres questionados, sua divindade improvável, e a esperança da eternidade seria uma utopia, para além de sermos completamente cegos por insistir em adorar, orar e se relacionar com um Deus morto.

Ryrie afirma que “O Evangelho é a boa nova sobre a morte e ressurreição de Cristo.”[1]

Portanto, sem a ressurreição de Jesus teríamos “meio” evangelho para salvar o mundo “todo”. É imprescindível que os cristãos sejam convictos e seguros de que a ressurreição de Jesus é um ato consumado e inquestionável, embora o mundo questione.

No entanto seria a nossa fé cega o suficiente para aceitar o contrário daquilo que nós acreditamos? Será que nossa fé é uma fé sem sentido lógico e incompatível com as realidades históricas e científicas? Será que fomos todos tomados pelo mesmo absurdo que tomou os cristãos do primeiro século? Será possível que Jesus não tenha ressuscitado coisa alguma e tudo não passa de uma bonita lenda? São perguntas que merecem nossa atenção.

Segundo o filósofo e escritor Jack Kent, em seu livro “The Psychological Origins of the Ressurrection Myth”, há duas razões pelas quais seria possível explicar a experiência dos primeiros cristãos com respeito a ressurreição de Jesus. Em primeiro lugar seria uma “alucinação coletiva originada pela dor” – ou seja as mais de 500 testemunhas oculares que testemunharam do aparecimento de Jesus após sua ressurreição, foram todas tomadas por uma síndrome de alucinação, muitas em grandes grupos, num espaço de quarenta dias.

A segunda razão é um pouco mais complexa, pois envolve uma testemunha ocular do Cristo ressurreto mas que não era cristã, no caso Saulo. Neste caso, a explicação de Jack Kent é que Saulo sofria de uma ou duas desordens psíquicas, uma seria “desordem da conversão” – isto quer dizer que Saulo foi contagiado de alguma forma pelas muitas conversões que aconteciam naqueles dias, e a outra ou ainda, Saulo sofria do Complexo do Messias – isto quer dizer que Saulo tinha tantas expectativas quanto a chegada do Messias, que foi contagiado por este complexo ao ter que lidar com cristãos tão convictos de que Jesus era de fato o Cristo.

Uma outra possibilidade, é a que aparece nas Escrituras, que é a possibilidade do corpo ter sido roubado do túmulo, pelos próprios discípulos alucinados. No entanto, as autoridades judaicas com medo desta hipótese solicitaram que alguns guardas vigiassem o túmulo, no entanto, os mesmos guardas foram testemunhas da ressurreição de Jesus, mas foram subornados pelos judeus para não falarem sobre o assunto (Mt 27:62-68; 28:1-15).

O evangelista Mateus narrou o episódio da ressurreição de Jesus da seguinte forma: “No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. O seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste, alva como a neve. E os guardas tremeram espavoridos e ficaram como se estivessem mortos.” (28:1-4). E ainda: “E, indo elas, eis que alguns da guarda foram à cidade e contaram aos principais sacerdotes tudo o que sucedera.” (28:11).

Quem mente no texto não são os discípulos, mas as autoridades judaicas. Os discípulos tinham uma série de obstáculos para vencerem a fim de que esta hipótese pudesse ser verdadeira, o que seria impossível. Como por exemplo enfrentarem uma guarda romana, romper o selo do túmulo, carregar e esconder o corpo, etc. Resta portanto aqui a versão lógica do testemunho dos guardas, das mulheres e do túmulo vazio.

Uma outra hipótese seria a de que Jesus teria desmaiado na cruz, e depois de alguns dias tivesse recobrado o juízo e saído do túmulo por si mesmo, e então se apresentado aos discípulos numa falsa ressurreição. O problema aqui é grave para a ciência provar a possibilidade de um possível desmaio que tenha durado quase três dias, e como este corpo terrivelmente debilitado foi capaz de romper os selos e rolar a pedra que fechava o túmulo e perambular por aquela região num espaço de quarenta dias no estado crítico no qual foi removido da cruz.

Então nossas mais significantes antíteses são alucinação coletiva originada pela dor, desordem da conversão, complexo do Messias, roubo do corpo e a não morte e continua aparência de um corpo no estado deplorável no qual se encontrava o corpo de Jesus, e tudo isto sem UMA ÚNICA evidência.

A realidade é que temos evidências suficientes para além dos evangelhos para acreditarmos na ressurreição de Jesus. Segundo Habermas [2] para se chegar a estas evidências podemos percorrer os seguintes caminhos: i) Utilizar somente os recursos que comprovam os fatos – estes recursos são: Públio Cornélio Tácito que mencionou em seus escritos a execução de Jesus durante o reinado Tibério Cláudio Nero César, no período em que Pôncio Pilatos foi prefeito da província romana da Judeia; O satirista grego do segundo século chamado Luciano, que mencionou em seus escritos a crucificação de Jesus; Mara Bar-Serapion que foi um escritor sírio, considerado, por alguns, como aquele que forneceu uma das primeiras referências não judaica e não cristã sobre Jesus, isto numa carta to primeiro século onde ele recomenda a seu filho para imitar a Jesus; Os escritos de Flávio Josefo e dos escritores Gaio Suetônio Tranquilo, Talo, Plínio o Jovem, Justino Mártir, Tertuliano e o Sanedrim judeu. E poderíamos recorrer ainda ao Alcorão, mas a maioria dos filósofos não aceitam o Alcorão como uma narrativa histórica fiável. ii) Habermas diz que estes mesmos fatos fornecem um conteúdo seguro para evidenciar a ressurreição de Jesus. iii) Habermas reclama o direito de ser ouvido, visto até que não fez uso sequer dos evangelhos para provar sua tese.

E para concluir, Habermas [3] apresenta quatro fatos, selecionados entre doze fatos inquestionáveis, que evidenciam a ressurreição de Jesus.

1. Jesus morreu de forma terrível na cruz do calvário, algo que nenhum historiador respeitável nega devido ao volume de evidências externas, isto é extra-bíblicas, que comprovam este fato histórico.
2. Os discípulos tiveram algumas experiências lúcidas nas quais eles acreditavam terem visto o Cristo ressuscitado. Isto envolve um numero muito grande de testemunhas e um espaço de tempo considerável entre uma aparição e outra.
3. A vida daqueles que viram o Jesus ressuscitado foi completamente transformada e passaram a estar dispostos a morrerem por esta verdade.
4. Paulo, um crítico e assassino de cristãos, pessoas as quais arrastou para prisões, se converteu ao evangelho através de uma experiência que ele acreditou ser uma visão do Cristo ressurreto.

Estas evidências devem servir para fortalecer a nossa fé, e não para que tenhamos recursos o suficiente para provar para o ímpio a nossa tese. Na verdade nenhuma diferença faz se um ímpio acredita na ressurreição de Jesus ou na existência das girafas, se ele não estiver disposto a ser transformado pelo Cristo que venceu a morte. No entanto, para nós cristãos, conhecer tais detalhes certamente nos enriquece a fé, a paixão e convicção de que estamos no caminho certo.

Posted in Ressurreição at fevereiro 4th, 2015. No Comments.

Mitos sexuais…. Verdade ou mentira?

mitos-sexuais-verdade-ou-mentira

Será que o tamanho realmente importa? Amendoim e canela podem aumentar a libido? Homens precisam mais de sexo que as mulheres? O que há de verdade nos mitos que cercam o maior dos prazeres? Seriam eles lendas, ou… onde há fumaça, há fogo?
De acordo com o Dicionário Houaiss da Língua portuguesa, palavra mito é a “construção mental de algo idealizado, sem comprovação prática; ideia, estereótipo”, e é o que acontece com a maioria dos mitos relacionados ao sexo.

Para ter bem-estar físico e psicológico, o ser humano precisa de uma variedade de situações que lhe produzam a sensação de tranquilidade, conforto e prazer. “Sexo é importante, não só porque há o prazer do contato íntimo e da comunicação entre duas pessoas, mas no momento da relação, uma série de substâncias são liberadas no corpo e acabam sendo responsáveis pelo relaxamento e contribuem para o equilíbrio entre saúde e sociabilidade do indivíduo”, disse José Benítez diretor médico do Boston Medical Group na Espanha, que analisou os principais mitos do sexo que habitam nossas mentes.

Homens precisam mais de sexo do que as mulheres?

Mito total. A necessidade de sexo é justificada pelo desejo, que é o que motiva essa relação e… surpresa! Tanto homens quanto mulheres são afetadas pelos mesmos fatores!

Estresse, falta de sono, doenças e o envelhecimento são iguais, e não dependem do gênero. É verdade que as mulheres têm também outras influências, como o uso de anticoncepcionais, mas a necessidade de sexo é tão urgente para homens como para mulheres.
O mito é antigo. Já fomos muito mais machistas que hoje, mas os avanços nessa área contribuem para que as mulheres possam buscar a igualdade com os homens em diversos momentos da vida. Se você tem contato com pessoas de 80, 70 anos, é possível ver como muitos dos pontos de vista deles nada têm a ver com o que pensam os jovens e isso vem de tempos imemoriais, mantidos por muitos homens, apenas por que lhes convem.

Depois de certa idade, o sexo deixa de ser importante?
Totalmente falso. O desejo sexual diminui ao longo do tempo, quer dizer, o desejo sexual que é dependente dos hormônios, isso porque existem apenas dois hormônios que estimulam o desejo e são eles que estão em declínio ao longo do tempo.

Mas não devemos confundir importância com freqüência. O sexo é importante: aproxima e mantém o relacionamento do casal. Quem nunca ouviu a expressão “é na cama que se faz as pazes” e não só com o sexo, mas é nela que as pessoas conversam, relaxam e descansam.

A pílula azul é a solução?

Viagra, a pílula milagrosa. A pequena pílula azul é muito importante, pois abriu a era das drogas que foram criados para fins sexuais. Não é a única solução, e não funciona com todo mundo, e sim, há contra-indicações.

Para começar, ela deve ser indicada por um especialista e só depois de um check-up mas não acredite que tudo está perdido, existem no mercado muitos mais medicamentos e outras formas de tratamento. Qualquer pessoa com disfunção sexual pode ser tratada.
tamanho importa?

Sempre houve esse debate que vem de tempos anteriores, bem no começo da humanidade quando a masculinidade era medida pelo tamanho do membro; mas realmente, isso não é importante.

O tamanho não importa, mas sim sua estrutura. Mais importante que o comprimento, é a sua espessura. Mais ainda, se o parceiro souber atingir os pontos eróticos e erógenos da parceira, o casal vai ter uma boa relação sexual, o que resulta em uma satisfação mútua.

A circunferência seria muito mais importante do que o comprimento. E segundo alguns pacientes, o sexo com parceiros dotados de grandes dimensões acaba sendo traumático e até mesmo limitado.

Mas isso é importante para os homens? Eu acho que a preocupação existe, mas nem é tão importante e ela té vem diminuindo com o aumento do acesso à informações sobre o sexo, e afinal, a chave do bom relacionamento entre parceiros é a sua identificação e conexão.

A ejaculação precoce só afeta os jovens?
Não devemos confundir com o machismo, mas estava pensando: O início da vida sexual dos garotos é cercada de desejo e nervosismo e isso é o gatilho para uma ejaculação rápida e que não acompanha o orgasmo do parceiro.

Mas não é regra. A ejaculação precoce afeta jovens e velhos da mesma maneira. No adulto a ejaculação precoce pode ocorrer mesmo se nunca aconteceu antes, mas em homens com mais de 40 ou 50 anos isso pode aparecer por algum distúrbio da próstata.

A ejaculação precoce pode estar relacionada também a uma erétil, isso porque, com a dificuldade de se manter a ereção o corpo resolve encerrar o ato antes. Todas estas questões são tratáveis e devem ser, assim que aparecerem, encaminhadas a um especialista. É um distúrbio de saúde como qualquer outro.

Hoje não, tô com dor de cabeça…

Erro. O sexo não só relaxa, como alivia dores como as de cabeça. Durante o orgasmo são liberadas endorfinas e a ocitocina, responsáveis para acalmar estas dores.

Há comidas que podem melhorar o sexo?
Não há nenhuma prova científica disso. Dizer que alimentos afrodisíacos podem despertar sensações ou imagens escondidas em nossa memória é totalmente psicológico. O mesmo acontece com suas cores e sabores: não passa de uma questão da nossa cabeça. Se você diz que amendoim é um estimulante sexual, isso fica gravado na mente e desencadeia mentalmente este fator.

Fatores estes que estimulam a memória visual e o sexo através do cérebro. O amendoim pode ter uma composição que te excita. Sabemos que tomar uma taça de champanhe para relaxar e reduzir substâncias corporais como a adrenalina, a vasodilatação ocorre e tanto relaxamento quanto a vasodilatação, colabora para que as estruturas do membro masculino se encham de sangue e garantam a ereção.

Para terminar: não são as substâncias alimentares que provocam a ereção ou excitação. Comer uma plantação inteira de amendoim não garante que o sexo seja incrível.

Posted in Mitos Sexuais at janeiro 28th, 2015. No Comments.

Quando Dizer A Verdade Ou Mentir?

Quando-Dizer-a-Verdade-ou-Mentir

Para começo de conversa, jamais minta, pois a mentira tem mesmo pernas curtas e você será pego mais cedo ou mais tarde com as calças na mão.  Então, apesar do título insinuar a necessidade de mentir, tal ação pode ser pacificamente substituída pelo omitir.  Assim, veremos adiante quando a verdade presta bons serviços e quando a sua potencial capacidade corrosiva deve ser contornada.

Médico.
Jamais minta para o médico ou sacerdote, pois cedo ou tarde eles acabam descobrindo a verdade e a sua saúde física e espiritual é que vai pra vala.

Gordo(a).
Diga a verdade desde o ponto em que o gordo esteja emagrecendo, a título de um belo incentivo pela iniciativa e persistência, e omita o dedo acusador quando a coisa está rolando ladeira abaixo.

Chefe.
A regra número de sobrevivência no mundo cão corporativo é não usar e muito menos abusar da sinceridade com os superiores. Portanto, seja homeopático com as críticas e magnânimo nos elogios (mesmo tratamento a ser dado às mulheres), tomando cuidado para não submergir na vala-comum do puxa-saquismo.

Esposa.
Esposas são como vasos de cristal quebradiços às verdades nuas e cruas. Na maioria das vezes, aplicar nelas uma meia-verdade é muito mais gratificante do que meter a verdade inteira descarnada. Caso não acredite nesta pequena dica de conforto, tente descobrir porque os sinceros inveterados são todos uns solteirões.

Doente grave.
Tudo depende do efeito que uma verdade bombástica poderá causar: se a resignação e aceitação do destino certo preconizado na única verdade da vida, ou o desespero e terror diante da morte. As civilizações anglo-saxônicas preferem dizer a verdade na lata, enquanto nós latinos preferimos a mentira até à morte. Quem estará mais certo?

Mulheres.
Aparentemente, as “mentiras sinceras” funcionam melhor com elas do que as verdades degradantes. Contudo, isto não significa mentira na acepção total da palavra, já que os homens podem se dar ao luxo de filtrar internamente os pensamentos ferinos com relação à idade, peso, atributos físicos, roupas, atitudes, etc, e externar coisas que podem até não existir, mas que são perfeitamente imagináveis por uma mente masculina minimamente sagaz.

Conclusões.
As piores pessoas do mundo são as que sempre dizem a verdade, ou as que mentem o tempo inteiro? Para falar a verdade, ambos os extremos são igualmente maléficos, pois enquanto as primeiras acabam queimando todas as relações sociais, as segundas correm os laços afetivos, o que determina o isolamento ao final.

Posted in Mentiras at janeiro 21st, 2015. No Comments.

Aprenda a identificar mentiras, sorrisos verdadeiros e a reconhecer enganações mesmo na história mais bem contada

 

Falsidade, sinceridade, mentiras e meias-verdades são constantes no nosso dia a dia. Mas é totalmente ruim mentir ? Existe espaço para uma mentirinha em nome da cortesia? É preciso ser sempre sincero para ser verdadeiro? E quando os filhos mentem, o que os pais devem fazer ? No nosso especial você aprende a navegar entre as muitas zonas cinzas que existem entre a verdade e a mentira.

aprenda-a-identificar-mentiras-sorrisos-verdadeiros-e-a-reconhecer-enganações-mesmo-na-historia-mais-bem-contada
Mentira: mulheres e homens têm razões diferentes para dissimular
Teste: você sabe identificar um sorriso verdadeiro?
Normalmente, o sorriso é associado ao sentimento de alegria, mas nem sempre é assim. Sorrir pode ser apenas uma cortesia. Faça o teste e descubra se você sabe identificar quem está sorrindo de verdade.

Você é sincero ou grosso ?
Um alemão decidiu passar 40 dias falando apenas a verdade. Sua experiência levou ao questionamento: a verdade é sempre essencial ?

Como detectar que ele está mentindo ?
Namorados e maridos, tremei: detetive da CIA entrega as principais reações do mentiroso: distorção de culpa, suor, pés inquietos…

Mentiras que as mulheres contam:
Entenda porque as mentiras que as mulheres contam são diferentes das mentiras que os homens contam.

Mentiras que os homens contam:
O cachorro, o trabalho, a mãe, a bateria celular… O que ele está realmente dizendo com essas 14 histórias nada criativas ?

Criança pequena não mente, fantasia:
Até certa idade, entrar na história e mostrar a realidade para a criança a partir dela é o melhor caminho

Transforme-se num detector de mentiras:
Livro desvenda os truques de detetive para reconhecer mentirosos

Afinal, o que tem de verdade e mentira no que as mães falam ?
Frases de mães são passadas de geração em geração. Especialistas apontam quais devem ser levadas a sério

Para além da mentira na família:
Mente-se por não confiar no amor e na aceitação do outro. Se, num casal, cada um puder se expressar, ninguém vai precisar mentir.

aprenda-a-identificar-mentiras-sorrisos-verdadeiros-e-a-reconhecer-enganações-mesmo-na-historia-mais-bem-contada-02
Como lidar com a mentira dos filhos ?
Crianças são cheias de estórias. Às vezes, por puro fruto da imaginação fértil típica dessa idade. Veja como detectá-las e como agir quando as mentiras são prejudiciais.

Por que mentimos para nossos amigos ?
Escritores propõem reflexão sobre as mentiras contadas para evitar mágoas: até que ponto elas são válidas?

Reconheça o significado de alguns gestos:
O especialista Paulo Sergio de Camargo conta o que alguns gestos podem significar.

Especialistas procuram a verdade sobre os boatos:
Explicar como algumas histórias absurdas surgem e ganham projeção internacional é desafio de livro.

Posted in Aprenda A Identificar Mentiras at janeiro 15th, 2015. No Comments.

Trabalhar em casa pela Internet verdade ou mentira.

Trabalhar-em-casa-pela-internet-verdade-mentira

É normal encontrar pessoas dizendo que trabalhar em casa pela Internet é uma grande mentira e que tudo não passa de enganação ou golpe para roubar o dinheiro de quem procura uma nova oportunidade online. É comum encontrar pessoas que tem essa mentalidade, mas hoje a verdade sobre trabalhar online sera revelada.  Se você também tem esta duvida e não acredita que é possível ganhar dinheiro usando a Internet, fique sabendo que você esta equivocado, pois talvez tenha caído em um desses golpes que oferecem dinheiro rápido e fácil pela Internet e por isso não acredita, mas é possível trabalhar online e viver disso. Acompanhe o artigo!

Hoje eu vou te mostrar o básico sobre como trabalhar através da Internet de uma forma segura, honesta e extremamente profissional, além disso, eu vou te explicar que nem tudo que lemos, assistimos e ouvimos na internet sobre negócios online é uma verdade absoluta, pois algumas vezes é de fato um golpe ou uma fraude.
Infelizmente muitos estelionatários e charlatões sabem que existe uma procura gigante no Google sobre como ganhar dinheiro trabalhando pela Internet e aproveitam para lançar seus golpes e fraudes no mercado dos negócios digitais, mas nem tudo é golpe ou enganação, pois existem métodos verdadeiros e eficazes para gerar renda online a médio / longo prazo honestamente, ou seja, se a proposta é dinheiro rápido e fácil é enganosa.

Todo anuncio, artigo, e-book, vídeo ou curso sobre ganhar muito dinheiro rápido e fácil na Internet é mentiroso, mas infelizmente as pessoas ainda procuram por formulas mágicas e prontas onde elas só precisam apertar o play para começar ganhar dinheiro online sem a necessidade de trabalhar muito para isso acontecer.
Infelizmente não existe nenhuma formula milagrosa que faça uma pessoa que trabalha em casa usando a Internet faturar milhares de reais, mas métodos eficientes desenvolvidos por especialistas que já trabalham há muitos anos com Internet fazendo estudos, testes e analisando o comportamento do mercado online.

Tudo gira em torno de vendas, ou seja, a única maneira para trabalhar através da Internet e ganhar dinheiro suficiente para viver disso é você vendendo alguma coisa, mas é exatamente neste ponto que muitos falham.

A grande sacada é que vender produtos físicos não é tão eficiente quando comparado com produtos digitais de informações (infoprodutos), onde o produto é entregue através do e-mail em forma de download ou acesso virtual e sempre de forma automatizada, ou seja, a pessoa compra o produto, o sistema reconhece a compra e libera aquele produto automaticamente através do e-mail cadastrado enviando ao mesmo ou dados de acesso.
Um produto digital de informação (Infoproduto) pode ser qualquer coisa como, por exemplo, um e-book, Sites de acesso restrito, vídeo-aulas, palestras, screencasts, audiobooks, ou seja, tudo que pode ser entregue online.

Estamos na era dos produtos digitais de informações e esse é sem duvida o melhor sistema profissional e verdadeiro para gerar renda pela Internet, mas não é fácil, pois muitos que estão iniciando neste ramo não fazem idéia de como criar seus infopordutos, além das técnicas e estratégias para vender esses infoprodutos.

Quem tem um bom conhecimento sobre marketing de afiliado nem precisa desenvolver o seu próprio produto digital, pois dependendo do nicho de mercado é possível encontrar milhares de infoprodutos prontos para você promover e ganhar ótimas comissões através de plataformas como, por exemplo, o próprio Hotmart .

Como trabalhar com produtos digitais de Informações

Trabalhar com infoprodutos é simplesmente maravilhoso, mas quem pensar que é fácil vender este material na Internet esta se enganando, pois é necessário compreender que não basta sair deixando links em todos os lugares da Internet e aguardar a comissão como se fosse um passe de mágica.

Muitos que ainda não compreenderam como se trabalha com infoprodutos tentam vender diretamente em seus blogs, Facebook, youtube atém de espalhar os hotlinks do Hotmart por tudo que é lugar na Internet, mas desta forma é muito difícil ter uma boa taxa de conversão.

Compreenda que mesmo que você inicie uma campanha 100% segmentada no Facebook e a pessoa clicar em seu hotlink e eventualmente comprar aquele infoproduto, quem te garante que receberá a comissão? Mesmo que venda no youtube, blog, twitter ou qualquer outra rede social, sua comissão pode esta sendo prejudicada pelos cookies? Você sabe como funciona um cookie?
O que acontece com o seu hotlink na Internet:

A pessoa chega e clica no seu hotlink de afiliado espalhado por qualquer lugar da Internet, até este momento mesmo ele estando navegando como anônimo se ele comprar o infoproduto seu hotlink é validado pelo hotmart e você recebe a comissão, mas se ele fechar a janela e comprar depois você não ganha nada, pois o navegador não terá o histórico, cookies serão apagados, o endereço não aparecerá na função autocompletar.

Muitos que saem deixando links por todos os lugares (Principalmente no Facebook) acreditam que é assim que se vende infoprodutos do Hotmart, até boots usam, mas qual é a probabilidade de uma pessoa clicar em um hotlink de infoproduto pela primeira vez e efetuar a compra? Quase “0” concorda? Então particularmente acredito que espalhar hotlinks pela Internet não é a melhor opção para vender infoprodutos do Hotmart.
Se você quer ter sucesso vendendo infoprodutos, precisa compreender que blogs, grupos, fóruns e mídias sociais são apenas ferramentas importantes para você atrair um trafego de qualidade, ganhar autoridade e criar uma reputação online. É possível criar uma LP otimizada no blog, fazer alguns anúncios e vender diretamente, mas nada comparado quando filtramos essas pessoas através do Email marketing já com nossos cookies.
A grande sacada para trabalhar com produtos digitais

Agora que você compreendeu que blogs, grupos, fóruns e mídias sociais são apenas ferramentas de atração, eu vou te falar gratuitamente a grande sacada para você vender infoprodutos ou qualquer coisa na Internet, seja produtos digitais do hotmart ou até produtos físicos da lojinha que você tem ai na sua casa.

O Email marketing é o segredo para vender na Internet. Não importa se você tem blogs, sites, mini-sites, canais ou uma fã page com 1 milhão de fãs, esse sim é o foco principal de qualquer empreendedor online de sucesso.

Comece a criar listas de emails relacionadas com o nicho de mercado e os produtos promovidos através do seu blog e das mídias sociais, mantenha o relacionamento com essas listas e depois efetue as vendas com 100% de certeza que receberá as comissões. Os cookies? Seus prospects apagam, pois querem comprar de você e ter a certeza que a comissão será sua. (Desde que confiem na sua indicação e você explique isso a eles).

Se você não sabe como fazer isso ou nunca trabalhou com email marketing, procure um curso de email marketing sério que possa lhe ajudar verdadeiramente, assim você compreenderá que o email marketing é a saída para quem deseja vender mais infoprodutos na internet e receber as comissões.

Como aprender trabalhar com email marketing?

Trabalhar com email marketing da forma correta, sem fazer spam para seus leads não é fácil, pois muitos acreditam que estão fazendo um bom trabalho, mas na verdade só fazem spam e você precisa compreender essa diferença para conseguir obter excelentes resultados trabalhando com email marketing corretamente.

 

Posted in Tecnologia at janeiro 14th, 2015. No Comments.

Mito ou realidade: Temperaturas mais baixas ajudam a dormir melhor.

mito-ou-realidade--temperaturas-mais-baixas-ajudam-a-dormir-melhor

Além de evitar cafeína, ter um horário fixo para dormir, beber um copo de leite morno saiba que a temperatura correta do quarto também pode ser um papel crucial para uma boa noite de sono. Em estudos, a temperatura ideal para dormir é relativamente fria, por volta de 15 a 20°C. E sim, para alguns, temperaturas que caem muito abaixo ou acima dessa faixa podem causar insônia. Temperaturas nesse grau facilitam a redução da temperatura central do corpo e assim iniciando a sonolência. Pesquisadores mostraram, por exemplo, que insones antes de irem para cama, tendem a ter um centro da temperatura do corpo mais aquecido do que uma pessoa que dorme normalmente. Isso leva ao aumento da excitação e força a pessoa a adormecer como se o corpo tentasse restaurar o termostato interno. Para pessoas que dormem normalmente, a queda da temperatura central é marcada por um aumento na temperatura das mãos e dos pés, como os vasos sanguíneos dilatam, levam o corpo a irradiar calor. Estudos mostram que para quem tem problemas de sono, um quarto frio e uma bolsa de água quente nos pés podem dilatar os vasos sanguíneos, estimulando o termostato interno.
Conclusão:Um quarto levemente frio e uma temperatura central mais baixa podem ser ótimos para dormir.

Posted in Insônia at janeiro 12th, 2015. No Comments.

Verdade ou mentira ? As mulheres falam mais do que os homens?

mulher-com-bolsa-formato-boca-imagem

As mulheres falam, em média, 20 mil palavras por dia, em comparação com meras 7 mil pronunciadas pelos homens, pelo menos segundo um livro de um neuropsiquiatra americano lançado em 2006.

Citada por um cientista aparentemente especializado no assunto e amplamente disseminada pela internet, a declaração reforça o estereótipo de que o “sexo fraco” passa seus dias fofocando, enquanto os homens, “trabalhadores”, estão fazendo algo de produtivo.

Mas até que ponto o dado corresponde à verdade?

A loquacidade pode ser medida de várias maneiras. Uma das técnicas é levar as pessoas para um laboratório, dar-lhes um tema de discussão e registrar suas conversas. Outro recurso seria tentar gravar as conversas diárias em casa. Por esse procedimento, se contaria o número total de palavras faladas, o tempo que a pessoa gasta falando, a quantidade de vezes que um indivíduo participa de uma conversa ou palavras faladas a cada vez.

Combinando os resultados de 73 estudos em crianças, um grupo de pesquisadores americanos descobriu que as meninas falavam mais palavras do que os meninos, mas a diferença foi insignificante. Além disso, essa pequena diferença só era aparente quando elas falavam com os pais, não com seus amigos.

Talvez o ponto mais importante desse estudo tenha sido a conclusão de que isso só ocorreu até os dois anos e meio, o que poderia significar simplesmente as diferentes velocidades com as quais as crianças, meninos e meninas, desenvolvem habilidades de linguagem.

Mas se a diferença é insignificativa entre as crianças, o mesmo se aplica aos adultos?

Por muito tempo, se pensou que as mulheres falavam mais do que os homens

Quando Campbell Leaper, psicólogo da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, autor da pesquisa, realizou uma análise mais aprofundada sobre o tema, descobriu que os homens eram mais tagarelas.

Mas, novamente, a diferença foi pequena. E o estudo constatou que as diferenças eram maiores em testes realizados em laboratórios do que em ambientes sociais mais próximos à vida real, indicando, segundo os pesquisadores, que os homens talvez se sintam mais confortáveis do que as mulheres em ambientes pouco comuns como um laboratório.

As descobertas de Leaper incentivaram uma revisão de 56 estudos realizados pela pesquisadora linguística Deborah James e pela psicóloga social Janice Drakich, transformada em um livro em 1993.

Apenas dois dos estudos conduzidos pelas pesquisadoras constataram que as mulheres falam mais do que os homens, enquanto 34 deles mostraram que os homens falavam mais do que as mulheres, pelo menos em algumas circunstâncias. Por outro lado, diferenças de metodologia dificultam uma comparação mais exata sobre o assunto.

Fora do laboratório

Estudos constataram que homens também falam muito

As conversas da vida real têm sido tradicionalmente mais difíceis de estudar por causa da necessidade de os participantes gravarem todos os seus diálogos.

No entanto, o psicólogo James Pennebaker, da Universidade do Texas, desenvolveu um dispositivo que grava 30 segundos de fragmentos de som a cada 12,5 minutos. Como os participantes da pesquisa não podem apagar os registros, o resultado é significativamente mais confiável.

Em uma pesquisa publicada na revista Science em 2007, Pennebaker constatou que, durante as 17 horas por dia em que o aparelho funcionava, as mulheres que participaram do estudo nos Estados Unidos e no México falavam uma média de 16.215 palavras e os homens, 15.669. Mais uma vez, uma diferença considerada residual.

Uma análise de 100 encontros públicos realizada por Janet Holmes, da Universidade Victoria de Wellington, na Nova Zelândia, mostrou que os homens faziam, em média, 75% das perguntas, embora constituíssem apenas dois terços da audiência.

Mesmo quando as plateias eram divididas por gênero em quantidade iguais, os homens formularam quase dois terços das perguntas.

Os resultados das pesquisas já realizadas apontam, portanto, que a afirmação de que as mulheres falam mais do que os homens não passa de um falso mito, sem qualquer comprovação científica.

O assunto voltou a ganhar destaque recentemente quando cientistas descobriram que meninas de até quatro anos de idade tinham 30% a mais de uma determinada proteína em uma área do cérebro importante para a aquisição da linguagem.

Imediatamente, as redes sociais foram inundadas de brincadeiras, associando o resultado da pesquisa ao fato de as mulheres falarem mais do que os homens.

Mito

Mas, então, de onde vem a ideia de que os homens pronunciam 7 mil palavras por dia, em comparação com as 20 mil das mulheres?

A afirmação apareceu pela primeira vez na capa do livro O Cérebro Feminino, escrito em 2006 por Louann Brizendine, neuropsiquiatra da Universidade da Califórnia em San Francisco, e vem desde então sendo amplamente citada.

Quando Mark Lieberman, professor de linguística da Universidade da Pensilvânia, questionou os dados, que pareciam vagamente baseados em números que aparecem em um livro de autoajuda, Brizendine concordou com ele e prometeu retirá-los de futuras edições.

Lieberman tentou rastrear a origem das estatísticas, mas teve pouca sorte: só encontrou uma declaração semelhante em um folheto de 1993 de aconselhamento matrimonial, que está longe de servir como base científica.

Posted in Comportamento at novembro 18th, 2013. No Comments.

Mitos e verdades sobre a enxaqueca

Cerca de 95% das pessoas terão, no mínimo, uma crise de enxaqueca ao longo da vida. No entanto, há muitas dúvidas sobre o que realmente desencadeia esse mal. O médico neurologista e pesquisador do Hospital Israelita Albert Einstein, André Felicio, lista dez mitos e verdades sobre as causas da enxaqueca. Confira:

1) A enxaqueca melhora durante a gravidez?

Verdade: caracteristicamente, a enxaqueca é muito mais frequente em mulheres do que homens, justamente porque nelas as flutuações hormonais, em uma pessoa suscetível, servem como fator desencadeante e agravante da dor. Durante a gestação, entretanto, a maioria das mulheres experimenta um alívio das suas crises, em particular, no segundo e terceiro trimestres.

2) A enxaqueca é sempre hereditária?

Mito: embora existam casos de enxaqueca claramente familiares, como a conhecida e rara síndrome da enxaqueca hemiplégica familiar, é comum que indivíduos desenvolvam episódios de enxaqueca, esporádicos ou crônicos, sem que existam membros na família com uma dor semelhante.

3) Toda dor de cabeça que pulsa ou lateja é uma enxaqueca?

Mito: de acordo com os critérios diagnósticos para enxaqueca, o fato de a dor ser pulsátil ou latejante reforça tratar-se desta síndrome. Entretanto, é perfeitamente possível que um indivíduo tenha enxaqueca e sua dor não seja pulsátil, apresentando, porém, outras características da enxaqueca, por exemplo, sintomas de um lado só da cabeça, intensidade da dor moderada a forte e piora com exercício ou atividade física.

4) Existe uma dieta para enxaqueca?

Verdade: existem alimentos que caracteristicamente estão associados à enxaqueca, por exemplo, queijos amarelos e outros derivados do leite, produtos enlatados, molho vermelho, bebidas alcoólicas, etc. Cabe ressaltar que esta lista de alimentos pode desencadear dor em alguns indivíduos, mas não em outros, ou seja, existem variações individuais.

5) A enxaqueca só acontece em adultos?

Mito: a enxaqueca pode aparecer em qualquer faixa etária e pode ocorrer pela primeira vez em indivíduos acima de 60 anos. Entretanto, esta não é uma situação comum e, normalmente, o médico responsável sugere investigação complementar por imagem, a fim de excluir outras causas potencialmente mais graves e que iniciam na terceira idade.

6) Uso excessivo de remédios para dor de cabeça podem provocar ainda mais dor?

Verdade: existem diversas estratégias para tratar a enxaqueca, mas uma das principais é cortar o uso excessivo, muitas vezes abusivo, dos analgésicos. Isto perpetua um ciclo vicioso de sensibilização periférica e central, leva a efeito rebote e auxilia a perpetuar a enxaqueca.

7) Existe enxaqueca sem dor?

Verdade: esta é uma situação incomum e curiosa. Sabemos que uma minoria dos indivíduos com enxaqueca pode desenvolver um tipo especial, conhecida por enxaqueca com aura. Este fenômeno nada mais é que um sinal neurológico focal que normalmente antecede a dor como, por exemplo, a aura visual, na qual o indivíduo tem alterações visuais e só depois de 10 a 15 minutos desenvolve a crise propriamente dita. Ocorre que pouquíssimos indivíduos que têm enxaqueca com aura podem desenvolver algumas crises com aura, mas sem a dor. Este fenômeno é conhecido como aura sem enxaqueca, uma situação na qual só existem os sintomas neurológicos focais (escotomas cintilantes, por exemplo), sem dor.

Posted in Padão at junho 28th, 2013. No Comments.