Verdade ou mentira ? As mulheres falam mais do que os homens?

mulher-com-bolsa-formato-boca-imagem

As mulheres falam, em média, 20 mil palavras por dia, em comparação com meras 7 mil pronunciadas pelos homens, pelo menos segundo um livro de um neuropsiquiatra americano lançado em 2006.

Citada por um cientista aparentemente especializado no assunto e amplamente disseminada pela internet, a declaração reforça o estereótipo de que o “sexo fraco” passa seus dias fofocando, enquanto os homens, “trabalhadores”, estão fazendo algo de produtivo.

Mas até que ponto o dado corresponde à verdade?

A loquacidade pode ser medida de várias maneiras. Uma das técnicas é levar as pessoas para um laboratório, dar-lhes um tema de discussão e registrar suas conversas. Outro recurso seria tentar gravar as conversas diárias em casa. Por esse procedimento, se contaria o número total de palavras faladas, o tempo que a pessoa gasta falando, a quantidade de vezes que um indivíduo participa de uma conversa ou palavras faladas a cada vez.

Combinando os resultados de 73 estudos em crianças, um grupo de pesquisadores americanos descobriu que as meninas falavam mais palavras do que os meninos, mas a diferença foi insignificante. Além disso, essa pequena diferença só era aparente quando elas falavam com os pais, não com seus amigos.

Talvez o ponto mais importante desse estudo tenha sido a conclusão de que isso só ocorreu até os dois anos e meio, o que poderia significar simplesmente as diferentes velocidades com as quais as crianças, meninos e meninas, desenvolvem habilidades de linguagem.

Mas se a diferença é insignificativa entre as crianças, o mesmo se aplica aos adultos?

Por muito tempo, se pensou que as mulheres falavam mais do que os homens

Quando Campbell Leaper, psicólogo da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, autor da pesquisa, realizou uma análise mais aprofundada sobre o tema, descobriu que os homens eram mais tagarelas.

Mas, novamente, a diferença foi pequena. E o estudo constatou que as diferenças eram maiores em testes realizados em laboratórios do que em ambientes sociais mais próximos à vida real, indicando, segundo os pesquisadores, que os homens talvez se sintam mais confortáveis do que as mulheres em ambientes pouco comuns como um laboratório.

As descobertas de Leaper incentivaram uma revisão de 56 estudos realizados pela pesquisadora linguística Deborah James e pela psicóloga social Janice Drakich, transformada em um livro em 1993.

Apenas dois dos estudos conduzidos pelas pesquisadoras constataram que as mulheres falam mais do que os homens, enquanto 34 deles mostraram que os homens falavam mais do que as mulheres, pelo menos em algumas circunstâncias. Por outro lado, diferenças de metodologia dificultam uma comparação mais exata sobre o assunto.

Fora do laboratório

Estudos constataram que homens também falam muito

As conversas da vida real têm sido tradicionalmente mais difíceis de estudar por causa da necessidade de os participantes gravarem todos os seus diálogos.

No entanto, o psicólogo James Pennebaker, da Universidade do Texas, desenvolveu um dispositivo que grava 30 segundos de fragmentos de som a cada 12,5 minutos. Como os participantes da pesquisa não podem apagar os registros, o resultado é significativamente mais confiável.

Em uma pesquisa publicada na revista Science em 2007, Pennebaker constatou que, durante as 17 horas por dia em que o aparelho funcionava, as mulheres que participaram do estudo nos Estados Unidos e no México falavam uma média de 16.215 palavras e os homens, 15.669. Mais uma vez, uma diferença considerada residual.

Uma análise de 100 encontros públicos realizada por Janet Holmes, da Universidade Victoria de Wellington, na Nova Zelândia, mostrou que os homens faziam, em média, 75% das perguntas, embora constituíssem apenas dois terços da audiência.

Mesmo quando as plateias eram divididas por gênero em quantidade iguais, os homens formularam quase dois terços das perguntas.

Os resultados das pesquisas já realizadas apontam, portanto, que a afirmação de que as mulheres falam mais do que os homens não passa de um falso mito, sem qualquer comprovação científica.

O assunto voltou a ganhar destaque recentemente quando cientistas descobriram que meninas de até quatro anos de idade tinham 30% a mais de uma determinada proteína em uma área do cérebro importante para a aquisição da linguagem.

Imediatamente, as redes sociais foram inundadas de brincadeiras, associando o resultado da pesquisa ao fato de as mulheres falarem mais do que os homens.

Mito

Mas, então, de onde vem a ideia de que os homens pronunciam 7 mil palavras por dia, em comparação com as 20 mil das mulheres?

A afirmação apareceu pela primeira vez na capa do livro O Cérebro Feminino, escrito em 2006 por Louann Brizendine, neuropsiquiatra da Universidade da Califórnia em San Francisco, e vem desde então sendo amplamente citada.

Quando Mark Lieberman, professor de linguística da Universidade da Pensilvânia, questionou os dados, que pareciam vagamente baseados em números que aparecem em um livro de autoajuda, Brizendine concordou com ele e prometeu retirá-los de futuras edições.

Lieberman tentou rastrear a origem das estatísticas, mas teve pouca sorte: só encontrou uma declaração semelhante em um folheto de 1993 de aconselhamento matrimonial, que está longe de servir como base científica.

Posted in Comportamento at novembro 18th, 2013. No Comments.

Mitos e verdades sobre a enxaqueca

Cerca de 95% das pessoas terão, no mínimo, uma crise de enxaqueca ao longo da vida. No entanto, há muitas dúvidas sobre o que realmente desencadeia esse mal. O médico neurologista e pesquisador do Hospital Israelita Albert Einstein, André Felicio, lista dez mitos e verdades sobre as causas da enxaqueca. Confira:

1) A enxaqueca melhora durante a gravidez?

Verdade: caracteristicamente, a enxaqueca é muito mais frequente em mulheres do que homens, justamente porque nelas as flutuações hormonais, em uma pessoa suscetível, servem como fator desencadeante e agravante da dor. Durante a gestação, entretanto, a maioria das mulheres experimenta um alívio das suas crises, em particular, no segundo e terceiro trimestres.

2) A enxaqueca é sempre hereditária?

Mito: embora existam casos de enxaqueca claramente familiares, como a conhecida e rara síndrome da enxaqueca hemiplégica familiar, é comum que indivíduos desenvolvam episódios de enxaqueca, esporádicos ou crônicos, sem que existam membros na família com uma dor semelhante.

3) Toda dor de cabeça que pulsa ou lateja é uma enxaqueca?

Mito: de acordo com os critérios diagnósticos para enxaqueca, o fato de a dor ser pulsátil ou latejante reforça tratar-se desta síndrome. Entretanto, é perfeitamente possível que um indivíduo tenha enxaqueca e sua dor não seja pulsátil, apresentando, porém, outras características da enxaqueca, por exemplo, sintomas de um lado só da cabeça, intensidade da dor moderada a forte e piora com exercício ou atividade física.

4) Existe uma dieta para enxaqueca?

Verdade: existem alimentos que caracteristicamente estão associados à enxaqueca, por exemplo, queijos amarelos e outros derivados do leite, produtos enlatados, molho vermelho, bebidas alcoólicas, etc. Cabe ressaltar que esta lista de alimentos pode desencadear dor em alguns indivíduos, mas não em outros, ou seja, existem variações individuais.

5) A enxaqueca só acontece em adultos?

Mito: a enxaqueca pode aparecer em qualquer faixa etária e pode ocorrer pela primeira vez em indivíduos acima de 60 anos. Entretanto, esta não é uma situação comum e, normalmente, o médico responsável sugere investigação complementar por imagem, a fim de excluir outras causas potencialmente mais graves e que iniciam na terceira idade.

6) Uso excessivo de remédios para dor de cabeça podem provocar ainda mais dor?

Verdade: existem diversas estratégias para tratar a enxaqueca, mas uma das principais é cortar o uso excessivo, muitas vezes abusivo, dos analgésicos. Isto perpetua um ciclo vicioso de sensibilização periférica e central, leva a efeito rebote e auxilia a perpetuar a enxaqueca.

7) Existe enxaqueca sem dor?

Verdade: esta é uma situação incomum e curiosa. Sabemos que uma minoria dos indivíduos com enxaqueca pode desenvolver um tipo especial, conhecida por enxaqueca com aura. Este fenômeno nada mais é que um sinal neurológico focal que normalmente antecede a dor como, por exemplo, a aura visual, na qual o indivíduo tem alterações visuais e só depois de 10 a 15 minutos desenvolve a crise propriamente dita. Ocorre que pouquíssimos indivíduos que têm enxaqueca com aura podem desenvolver algumas crises com aura, mas sem a dor. Este fenômeno é conhecido como aura sem enxaqueca, uma situação na qual só existem os sintomas neurológicos focais (escotomas cintilantes, por exemplo), sem dor.

Posted in Padão at junho 28th, 2013. No Comments.

Música chiclete – Sons chatos grudam mais na nossa cabeça?

som-grudento-musica-chiclete-gruda-na-cabecaPraticamente todo mundo já passou por isso: ficar o dia todo com uma música na cabeça, cantando repetidamente apenas uma parte dela, odiando-a cada vez mais.

Sejam canções de rock, funk ou música clássica, é fácil ter fragmentos grudados na mente, tocando incessantemente por algum período determinado, mesmo que a música não seja do seu agrado.

Essa repetição “chiclete” é conhecida pelo termo “earworm” (algo como “verme de ouvido”), expressão utilizada pela primeira vez em 1980, em tradução literal do alemão “ohrwurm”.

Em um estudo recente da Universidade Western Washington (EUA), pesquisadores analisaram o que torna as músicas mais propensas a “grudar na nossa mente”, expondo centenas de participantes inocentes a canções populares e, em seguida, pedindo-lhes para completar várias tarefas.

Pesquisas anteriores haviam mostrado que as pessoas são capazes de recordar o primeiro verso de uma música que elas gostam, mas depois do refrão, começam a tropeçar na letra. Neste ponto, a música torna-se “incompleta” (você não “consegue” encerrá-la), e isso se torna um pensamento intrusivo.

“Chega-se ao refrão, e então você trava bem ali, e fica ‘condenado’ a esse ponto da música”, explica Ira Hyman Jr, principal autor do novo estudo.

A pesquisa descobriu que as canções se “intrometeram” nas mentes das pessoas tipicamente durante as tarefas muito difíceis, o que fez com que a mente vagasse, ou muito fáceis, o que criou uma abertura mental para pensamentos repetitivos.

Mais: a pesquisa sugere que as músicas de que gostamos, e não aquelas que desprezamos, são mais propensas a formar pensamentos intrusivos – os quais vão se “intrometer” na nossa mente quando nos deparamos com tarefas mais fáceis ou mais difíceis.

O truque para afugentar um “earworm”, segundo o Dr. Hyman, é encontrar uma tarefa envolvente que exija os componentes auditivos e verbais de sua memória de trabalho – como a leitura de um bom livro ou assistir a seu programa favorito.[NYTimes]

Espontaneamente chata

Outras pesquisas sobre o assunto já foram feitas. A Dra. Vicky Williamson, da Universidade Goldsmith (Reino Unido), por exemplo, sugere que a nossa memória processa certas músicas de uma forma que faz com que nossos cérebros sejam particularmente propensos a recuperá-las espontaneamente.

Ou seja, uma canção pode ser desencadeada em nossa mente por uma palavra encontrada nas letras, ou por sentimentos como estresse ou surpresa, que correspondem a uma memória particular que ocorreu enquanto você estava ouvindo a música. Por exemplo, ler a palavra “Delícia” em uma marca de margarina faz você lembrar da música do Michel Teló a ponto de cantá-la o dia todo.

Surpreendentemente, a Dra. Vicky descobriu que a composição da música (por exemplo, se é uma música que “pega” por ter rimas fáceis) não é especialmente importante para determinar se lembraremos dela ou não.

Mas essa habilidade de certas músicas de “surgirem” em nossas memórias de forma completamente espontânea, sem que procuremos nos lembrar dela, pode fazer com que fiquemos com canções que não gostamos, como “Rebolation”, na mente por muito tempo.

Os pesquisadores acreditam que isso acontece porque estruturas rítmicas e intervalos no timbre são parecidos nessas músicas – receita que torna mais fácil para nosso cérebro recordá-las.

Posted in Comportamento, Mentira, Mentiras, Mitos, Verdade, Verdades at fevereiro 26th, 2013. No Comments.

Vinagre pode enganar o resultado do Bafômetro?

Esta informação circula pela internet já faz alguns anos e há muito tempo vem surgindo sugestões para burlar o teste do bafômetro pela internet, certo!
No Programa do Ratinho teve uma reportagem, com Policiais de trânsito, sobre as possíveis receitas para driblar o bafômetro.

Então… falava-se em métodos para se burlar o BAFÔMETRO, segundo autoridades e professores químicos, eles afirmavam em vários meios de comunicações há muito tempo que não adiantava se fazer essas receitas caseiras que não funcionaria certo? Vejam só.
Um funcionário do programa tomou varias doses de Vodka com energético ok, no certo tomou 4 doses boas de vodka com energético, então vai ao teste do BAFÔMETRO.
Receitas caseiras segundo professores de química não funcionam contra o bafômetro certo.
Mico geral, quem assistiu sabe do que estou falando.

O funcionário depois das vodkas foi para o BAFÔMETRO, logo acusou um limite alto de álcool no sangue cerca de 0,30%, onde se ele fosse pego na blitz seria multado imediatamente certo.
A nova Lei 11.705, que altera o Código de Trânsito Brasileiro, proíbe o consumo de praticamente qualquer quantidade de bebida alcoólica por condutores de veículos. A partir de agora, motoristas flagrados excedendo o limite de 0,2 gramas de álcool por litro de sangue pagarão multa de 957 reais, perderão a carteira de motorista por um ano e ainda terão o carro apreendido. Para alcançar o valor-limite, basta beber uma única lata de cerveja ou uma taça de vinho. Quem for apanhado pelos já famosos “bafômetros” com mais de 0,6 gramas de álcool por litro de sangue (equivalente três latas de cerveja) poderá ser preso.

Logo foi fazer outro teste para comprovar que receitas caseiras não funcionam, segundo “autoridades e estudiosos no assunto”, o funcionário (cobaia) antes do segundo teste tomou um gole de vinagre, isso mesmo vinagre esses que temperamos saladas, lembrando que policiais e professores afirmavam que não funcionava, pois é o rapaz toma o tal vinagre ao vivo no programa e vai se ao teste, assopra no canudinho do bafômetro segurado por um policial de trânsito, kkkkkkkk o MICO DO ANO.

A câmera filmando o bafômetro no visor que detecta o teor alcoólico no ar contido no pulmão do individuo, depois de 4 doses de Vodka e, com um gole de vinagre no final, como em um passe de mágica, ACUSOU 0,10 % DE ÁLCOOL, logo o policial tira o BAFÔMETRO do foco da câmera, sem explicação para o acontecido, resumindo não acreditavam, por isso não fizeram o teste antes de ir ao ar.

PONTO DE VISTA ELETRÔNICO

Lembrando que esta postagem não tem intuito de ensinar a ninguém a burlar a lei, LEI FOI FEITA PARA SER CUMPRIDA E NÃO DISCUTIDA, MUITO MENOS BURLADA.
É bom lembrar que o policial está “habilitado” a encaminhar o motorista sujeito de embriaguez à delegacia, este fazendo ou não o teste do bafômetro! Mesmo que o motorista Pudim-de-pinga consiga usar de algum artifício para dar uma enganada no aparelho, havendo indícios de bebedeira, o cabra pode ser levado para o DP.
Frisamos que, o motorista não é obrigado a fazer o teste, com esse direito garantido por lei. E somente em caso de acidente com vítimas, o fator alcoólico poderá ter efeito legal o exame de sangue.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Art.5, II da CF – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da lei.

Art.5, X “da CF – como também no princípio onde ‘‘ ninguém deve ser obrigado a produzir prova contra si mesmo”.

 
Posted in Comportamento, Medicina, Verdade, Verdades at fevereiro 19th, 2013. No Comments.

Câncer: Crianças , jovens e adultos também desenvolvem a doença, que, em estágio inicial, é menos letal e de mais fácil tratamento

Esta segunda-feira (4) é o Dia Mundial do Câncer. Este ano, são estimados mais de meio milhão de novos casos de câncer no Brasil. Uma das maiores preocupações do Instituto Nacional do Câncer (Inca) são os fumantes, que representam 15% da população.

Segundo o Ministério da Saúde, o fumo é responsável por 90% dos casos de câncer no pulmão e por 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer.

Diretora executiva da ONG Aliança para o Controle do Tabagismo, Paula Johns, destaca que a doença é “uma epidemia absolutamente evitável”. Paula acrescenta que a estimativa da Fiocruz é de que são gastos R$ 21 bilhões por ano somente com tratamentos de algumas doenças relacionadas com o tabagismo e que o custo é muito maior do que se traz em tributos. “O câncer de pulmão em não fumantes é praticamente inexistente. Existem alguns casos, mas são raríssimos. Uma pessoa pode levar de 15 a 20 anos para desenvolver um câncer e 90% dos fumantes começam a fumar antes dos 19 anos”, afirma.

A especialista defende a adoção de políticas de prevenção. Uma resolução da Anvisa proíbe os aditivos de sabores nos cigarros, que, segundo Paula, são comprovadamente a porta de entrada para o adolescente no tabagismo. “Agente precisa garantir que a Anvisa consiga emplacar essa resolução”, destaca a especialista.

Mitos e verdades sobre o câncer:

Mito:
– Câncer é doença apenas de idosos
– Câncer é apenas problema de saúde
– Câncer é uma sentença de morte
– Ter câncer é destino

Verdade:
– Crianças, jovens e adultos também desenvolvem a doença
– Implicações sociais, econômicas, de desenvolvimento e direitos humanos
– Em estágio inicial é menos letal e de mais fácil tratamento
– Mais de 1 em cada 3 casos podem ser prevenidos

Posted in Padão at fevereiro 4th, 2013. No Comments.

Previdência privada – Dez mitos e verdade sobre aposentadoria

A previdência privada é um recurso que garante uma renda complementar, permitindo que o beneficiário mantenha seu padrão de vida e a tranquilidade durante a aposentadoria. No entanto, muitas pessoas ainda têm dúvidas e cultivam diversos mitos sobre esta opção. Para esclarecer alguns pontos, Flavio Sahib, diretor de distribuição em canais bancários da MetLife, aponta dez mitos e verdades sobre a previdência privada. Confira.

01. No plano de previdência, você define quanto e quando quer receber a sua renda.

Verdade! Trata-se do período de concessão do benefício. Quando for atingida a idade de saída escolhida, a reserva acumulada transforma-se efetivamente em renda. É possível optar, ainda, pela melhor forma de recebê-la, como benefícios, rendas vitalícias ou temporárias.

02. A previdência privada é uma forma de investimento contratado para garantir uma renda ao comprador ou seu beneficiário.

Verdade! A maior parte das pessoas enxerga a previdência como forma de investimento apenas, e não como “seguro”. As seguradoras cuidam dos setores que auxiliam o bem-estar da pessoa física, seja diretamente ou indiretamente, como no caso dos planos de Previdência Privada, que o auxiliarão na aposentadoria.

03. Além da aposentadoria, é possível ter outros benefícios.

Verdade! O participante ou segurado pode ter a sua disposição outros benefícios durante o período de acumulação, que o protegem contra morte ou invalidez.

04. Quem é jovem não deve se preocupar, pois ainda tem muito tempo para pensar em aposentadoria. E quem é mais velho já não tem mais tempo para adquirir um plano.

Mito! Para os jovens, começar o quanto antes permite que, com uma pequena parcela mensal, seja possível acumular uma boa quantia na aposentadoria. Já uma pessoa com 45 anos de idade, por exemplo, ainda tem outros 10 ou 15 anos até se aposentar. Estamos vivendo mais, portanto, mesmo que um pouco mais tarde, ainda há tempo para contratar um plano de previdência e garantir uma aposentadoria mais tranquila.

05. As alíquotas de Imposto de Renda diminuem à medida que o tempo passa.

Depende! Para o sistema regressivo sim. Quanto mais tempo o dinheiro permanece aplicado, menos imposto se paga. Já para o sistema progressivo não, porque o IR é constante. O investidor paga o imposto de renda no resgate, seguindo a mesma tabela que tributa os salários.

06. Fundos de previdência são aplicações de longo prazo.

Verdade! Resgatar o investimento com pouco tempo não é bom negócio, pois a alíquota de IR pode ser mais alta do que a de outros fundos de investimento de longo prazo.

07. Caso a instituição escolhida quebre, o beneficiário perde tudo.

Verdade! Com a Lei Complementar 109, a previdência privada passou a contar com grande segurança jurídica, uma vez que as regras que regulamentam o setor ficaram extremamente rígidas para as empresas que comercializam o serviço. Por isso, é sempre importante pesquisar e procurar uma empresa com solidez financeira.

08. A portabilidade permite que o participante ou segurado migre para outra entidade.

Verdade! Na fase de acumulação, a lei permite que o participante ou segurado migre a reserva para outra instituição de previdência privada, sem a necessidade de pagar por custos adicionais. Durante a fase de aposentadoria não são permitidas transferências de reservas.

09. É preciso muita disponibilidade financeira para adquirir um plano de previdência privada.

Mito! Atualmente, existem planos no mercado que permitem contribuições a partir de R$ 30 por mês. Outros, depois de abertos, podem receber aplicações a qualquer momento, para aproveitar uma sobra de recursos do aplicador.

10. O Plano de Previdência é indicado somente para alguns perfis de renda e classe social.

Mito! O benefício máximo pago pela previdência social é de R$ 3.689,66, os planos de previdência privada são recomendados para quem tem salário superior a esse valor. No entanto, o investimento, que pode ser iniciado desde cedo e agora com valores cada vez mais populares, é uma forma de garantir a renda complementar garantindo mais tranquilidade e estabilidade durante sua aposentadoria.

Posted in Padão at dezembro 10th, 2012. No Comments.

Saúde bucal – Conheça os mitos e verdades quando o assunto é cuidar dos dentes e garantir um sorriso bonito e saudável

O cuidado com os dentes é sinônimo não só de saúde, mas também de beleza e auto estima. Porém existem muitos mitos em meio ao que realmente faz diferença na hora de manter os dentes saudáveis. Veja alguns mitos e verdades em relação ao assunto esclarecidos pelo cirurgião dentista Flavio Goulart, da Clínica Crescità.

1- Chiclete sem açúcar auxilia contra as cáries? Mito

A prevenção de cáries se dá através da escovação e uso do fio dental completados com o uso de um bochecho que contenha flúor. O chiclete sem açúcar não causa cárie mas está longe de prevenir. Além disso, a mastigação de chicletes pode levar a uma fadiga muscular (dos músculos relacionados a abertura e fechamento da boca), acentuar problemas na ATM (articulação temporamandibular) e acentuar problemas relacionados ao bruxismo.

2 – O dente do siso sempre deve ser extraído?Mito

O dente do siso normalmente não possui espaço na arcada dentária para sua correta erupção, sendo assim, na maior parte dos casos erupciona fora de posição, empurrando outros dentes, pode causar inflamação dos tecidos ao redor e em casos mais graves um trismo mandibular (caso em que o paciente não consegue abrir a boca, além de ficar com muita dor no local, sendo necessário uso de anti-inflamatórios e em alguns casos antibióticos).Desde que ele esteja corretamente posicionado não há necessidade de extração, mas isso ocorre na minoria dos casos.

3 – Bicarbonato de sódio ajuda a clarear os dentes?Mito

O bicarbonato de sódio não deve nunca ser utilizado com o intuito de clarear os dentes, ele é altamente abrasivo e seu uso inadequado pode provocar um desgaste exagerado do esmalte dentário, causando sérios danos. Hoje em dia existem outros produtos para serem utilizados no clareamento dentário que não prejudicam ou danificam o esmalte dos dentes. O bicarbonato deve ser utilizado somente pelos dentistas na intenção de promover uma limpeza superficial do esmalte, eliminando manchas causadas por alimentos, bebidas, nicotina, etc.

4 – Dentes sensíveis se fortalecem como flúor?Verdade

O flúor ajuda muito na sensibilidade dentinária, através do processo de remineralização que ele provoca, mas hoje em dia existem formas mais eficientes de acabar com os dentes sensíveis, como o uso de Laser, método indolor e extremamente eficaz.

5 – Enxaguantes bucais podem substituir a escovação?Mito

Os enxaguantes bucais apenas completam a higiene bucal, e de preferência aqueles que contem flúor em sua composição. A escovação e uso de fio dental são os métodos mais eficientes. Para pacientes que usam aparelho ortodôntico ou possuem prótese dentária, existem escovas específicas e até um sistema de jato d’água (water pik) para facilitar a higienização.

6 – Bruxismo pode danificar a superfície dental?Verdade

Existem dois tipos de bruxismo, o cêntrico (onde o paciente aperta os dentes) e o excêntrico(onde o paciente range os dentes). O bruxismo apesar de ser normalmente um hábito noturno, também pode ocorrer durante o dia, com o paciente acordado. O bruxismo excêntrico é o que tem maior poder destrutivo dos dentes, causando grande desgaste dental e em casos extremos esse desgaste chega até o nervo do dente obrigando o paciente a um tratamento endodôntico. O bruxismo além de ser prejudicial para os dentes, também pode causar estragos na ATM(articulação têmporo mandibular), alterações musculares, dores de cabeça, enxaquecas, limitações de abertura de boca.

7 – Clareamento dental sensibiliza os dentes? Verdade

Antes de fazer o clareamento dental, o dentista precisa avaliar o paciente e verificar se esse tipo de tratamento está indicado para o paciente. Em alguns pacientes o clareamento não terá o resultado esperado. Durante o processo de clareamento temos uma abertura ou desobstrução dos canais existentes entre a superfície dental e a polpa ou nervo do dente, e esse processo pode provocar em alguns pacientes um pouco de sensibilidade somente durante o período de tratamento.

8 – Escova dura limpa melhor?Mito

A escova nunca deve ser dura, sempre macia ou ultramacia e de cabeça pequena. Sempre massageando a gengiva, sem usar muita força que pode causar retrações gengivais e desgastar o esmalte. Durante sua visita ao dentista, ele vai orientá-lo sobre como deve ser feita a escovação. Escovar a língua, bochechas e tecidos adjacentes também é muito importante, pois nessas regiões temos bactérias que ficam acumuladas, causando mal hálito.

9 – Escovar os dentes imediatamente após as refeições. Verdade

Em nosso dia a dia, muitos pacientes não conseguem tempo se quer para fazer o mínimo de três escovações diárias, se formos pedir para eles aguardarem 30 minutos antes de escovar os dentes para dar tempo da saliva neutralizar o ph dos alimentos, ai que esses paciente não escovaram mesmo. E isso depende muito do alimento, por exemplo, balas tendem a ficar grudadas nos dentes, nesse caso é melhor escovar logo em seguida para eliminá-las da superfície dental. E hoje em dia os cremes dentais possuem substâncias como o bicarbonato que ajudam a neutralizar o ph ácido de alguns alimentos. Via de regra é melhor escovar logo em seguida a escovação, do que deixar de escovar.

10 – Usar grande quantidade de pasta dental – Mito

Não há necessidade, coloque uma quantidade que ocupe o sentido transverso da escova, mais do que isso você estará desperdiçando pasta pois isso não aumenta os benefícios, e aumentando a chance de engolir esse excesso, principalmente nos casos das crianças.

11 – É necessário escovar língua e gengiva?Verdade

Com toda certeza, com escovas macias ou ultramacias, uso diário, nessas regiões temos muitas bactérias alojadas. Seu dentista pode explicar corretamente a melhor técnica para não causar injúrias nesses tecidos.

12- A higienização noturna é a mais importante? Verdade

Devemos escovar no mínimo três vezes ao dia nossos dentes e usar o fio dental em todas elas, toda escovação é importante. O que ocorre é que muitas vezes o paciente não tem tempo para fazer essas três escovações de forma minuciosa, nesse caso dê preferência à noturna, pois é o período onde o alimento ficará mais tempo acumulado nos dentes e tecidos bucais já que o paciente estará dormindo e com uma diminuição do fluxo salivar que ajuda na limpeza.

13 – Chá verde escurece os dentes? Verdade

O consumo regular de chá verde, ou qualquer outro chá, assim como café, refrigerantes a base de cola, ou qualquer alimento com muito corante, vai provocar um escurecimento mais rápido dos dentes. O clareamento dental pode ser utilizado para devolver o branco dos dentes e durante o processo esse tipo de alimento ou bebida deve ser evitado.

14 – Cigarro causa gengivite? Verdade

O cigarro causa inúmeros problemas de saúde, e com certeza a gengivite está entre eles, o aumento da temperatura bucal causado pelo cigarro, unido com os produtos químicos de seus componentes causam uma inflamação dos tecidos bucais, entre eles a gengiva, e a cronicidade do processo leva a gengivite, mas talvez o pior problema bucal causado pelo cigarro é o câncer bucal.

Posted in da Boca, do Dentes, Mentira, Mentiras, Mitos, Saúde, Verdade, Verdades at dezembro 10th, 2012. 2 Comments.

Verdades em mentiras sobre comidas : manga, água de coco, margarina, alimentos integrais, alho, leite, maracujá, suco de laranja, banana e chocolate

1. Comer manga com leite causa indigestão e faz mal à saúde

MITO! E é mais velho que rascunho de Bíblia – (ok, nem tanto). Essa crença foi passada pelos senhores de engenho, no tempo da carochinha (em que existiam escravos), para que os seus servos não consumissem os devidos produtos das propriedades em que trabalhavam.

2. Água de coco é um santo remédio

MITO! A água de coco é muito indicada, sim, para pessoas desidratadas, mas, assim como tudo, deve ser usada com moderação; principalmente por hipertensos – pela grande concentração de sódio – e por diabéticos – pela quantidade de carboidratos. Portanto, não serve para tudo, como sei que muita mãe diz para filho (experiência própria!).

3. Margarina é mais saudável do que manteiga

MITO! Esse vai virar a cabeça de muita gente: a verdade é que a margarina é, ao contrário do que dizem, menos saudável do que a manteira pois possui gordura trans – que é o tipo de gordura que aumenta o “colesterol ruim” (o LDL) e diminui o “bom” (HDL).

Porém, existem, sim, margarinas sem gorduras trans no mercado e essas específicas podem ser mais saudáveis do que a manteiga.

4. Alimentos integrais, como arroz e pão, têm menos calorias que os normais

MITO! Alimentos integrais são mais saudáveis e costuma deixar a pessoa mais tempo satisfeitas, ou seja, passam mais tempo sem fome, mas isso não quer dizer que eles possuam menos calorias que os alimentos comuns.

De acordo com a especialista em obesidade Rosemary Marlière Létti, esses alimentos são mais ricos em fibras, mas quem está de dieta deve consumí-los com moderação. Exemplo: uma fatia de pão de forma comum possui 74 calorias, e o integral, 100 calorias.

5. Chá de alho cura gripe

MITO! Nenhum chá cura gripe, mas ele ajuda no tratamento da doença. O chá hidrata a pessoa e, com isso, torna a secreção mais fluida e facilita a expectoração. Tomando chá a pessoa se sente mais confortável.

6. Leite é indicado para desintoxicação

VERDADE! Muitas drogas venenosas são capazes de se ligar às proteínas e a substância é rica no leite. Portanto, a proteína contida no leite retarda a absorção do veneno, mas não o retira do corpo.

2. Maracujá é calmante

VERDADE! A fruta possui substância calmante, mas não é com apenas um suco que a pessoa ficará “zen” – seria necessário ingerir grande quantidade do alimento ou da bebida. Tem gente que até consegue acalmar os nervos com um bom suco de maracujá, mas isso é psicológico.

O açúcar também acalma, pois aumenta a produção de serotonina no cérebro – por isso que, quando estamos nervosos, o recomendado tomar água com açúcar. Mas suco de maracujá com açúcar também pode funcionar, viu? Comigo funciona.

3. Suco de laranja com berinjela emagrece e combate o colesterol

VERDADE! Todos os legumes e frutas, em geral, ajudam a diminuir a absorção de gordura e colesterol dos alimentos, mas eles não devem substituir os remédios se você já os estiver usando! Portanto, se você quiser se livrar do medicamento, a melhor coisa a fazer é procurar uma recomendação médica.

4. Comer banana reduz cãimbra

VERDADE! As cãimbras são causadas por diversos motivos, sendo os mais comuns a falta de cálcio ou pela falta do potássio. A banana é rica em potássio e realmente pode contribuir para o desaparecimento das cãibras, se este for o motivo das mesmas.

5. Chocolate vicia

VERDADE! E como! Palavras de uma chocólatra. Pesquisas científicas demonstram que existem mais de 300 substâncias diferentes no chocolate criadas e implantadas para levar o organismo à dependência do produto, como as xantinas (responsáveis pelo surgimento da sensação de bem-estar, relaxamento e ânimo), e os carboidratos e as gorduras (que interferem diretamente na produção de serotonina e endorfina — substâncias que também provocam prazer e alegria).

O problema é que, como tudo o que vicia, quando o “efeito” do chocolate passa, a pessoa fica desanimada e triste. ‘‘Para ficar bem de novo, a pessoa vai comer mais chocolate. É aí que o vício se estabelece’’, explica o presidente da Associação Psiquiátrica de Brasília e especialista em tratamento de compulsões, Antônio Geraldo.

Posted in Mentira, Mentiras, Mitos, Saúde at novembro 2nd, 2012. No Comments.

Cirurgia plástica

Seja por estética ou para corrigir malformações, a busca pelo corpo perfeito tem levado muitas pessoas a recorrerem à cirurgia plástica. Esse tipo de intervenção está relacionado ao bem-estar social e emocional, pois quando a plástica é feita para resolver problemas estéticos ou reparadores, ela reflete diretamente no bem-estar do paciente, melhorando a sua autoestima.

De acordo com a cirurgiã plástica Ana Paula Polato Guiné (CRM-87. 718), o desejo de mudar algo que não agrade no corpo motiva o brasileiro a procurar cada vez mais procedimentos cirúrgicos. “Uma das primeiras coisas que as pessoas notam após uma cirurgia plástica é que seus corpos parecem mais proporcionais ou equilibrados. O intuito da cirurgia é a busca pelo contorno corporal,”, explica a cirurgiã. Segundo com uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), só no ano passado 400 mil brasileiras, das quais 60 mil têm menos de 30 anos, implantaram silicone nos seios ou eliminaram gordura de algum ponto do corpo.

“A insatisfação com o corpo e o medo da velhice são os principais motivos que levam as pessoas ao centro cirúrgico. Entre os procedimentos estéticos, o mais procurado é a cirurgia de mama (levando em conta aumento, redução e lifting mamário), seguido pela cirurgia de lipoaspiração, ressalta a cirurgiã plástica.

Antes de submeter a uma cirurgia plástica, a médica Ana Paula Polato Guiné explica qual é a finalidade de cada uma delas: Inclusão de Prótese Mamária de Silicone: É indicada para quem deseja aumentar o tamanho das mamas. Indiretamente, a inclusão das próteses contribui para deixá-las mais firmes e com os contornos mais bonitos e interessantes.

Cirurgia plástica do Abdômen: Recomendada para mulheres que já tiveram filhos ou passaram por grandes emagrecimentos e têm excesso de pele, na região do abdômen.

Cirurgia Plástica do Nariz: Indicada para quem não está contente com o formato ou o tamanho do seu nariz, realizando mudanças específicas, mas mantendo o padrão individual.

Cirurgia Plástica das Pálpebras: Utilizada para melhorar o famoso “olhar cansado”, retirando o excesso de pele e as “bolsas de gordura” das pálpebras.

Cirurgia Plástica de redução e Levantamento das Mamas: Aconselhada para quem tem mamas grandes ou somente caídas. Realiza a retirada de pele e/ou tecido mamário e o reposicionamento das aréolas.

Cirurgia Estética do Contorno Corporal Pós- Emagrecimento: Ideal para quem perdeu muito peso e tem excesso de pele retirada no abômen, mamas, braços e/ou coxas.

Lipoaspiração: A lipoaspiração tem a finalidade de melhorar o contorno do corpo, não é uma cirurgia de emagrecimento.

Cirurgia Plástica de Orelhas: A sua finalidade é corrigir as famosas “orelhas de abano”

Cirurgia Plástica da Face: Para quem tem rugas em excesso e flacidez na pele do rosto. Pode ser realizada com pequenas incisões (Mini-Lifting) ou com a Ritidoplastia completa, dependendo de cada indicação.

Cirurgia Plástica Íntima: Serve para melhorar a autoestima e o bem-estar das mulheres insatisfeitas com o aspecto estético da genitália.

Para esclarecer algumas duvidas de pacientes que desejam fazer algum tipo de cirurgia plástica, a cirurgiã plástica Ana Paula Polato Guiné (CRM- 87.718), expõe 25 questões sobre o que é mito e verdade:

1-A cirurgia plástica não deixa cicatriz?

MitoA partir do momento que se realiza um corte, presente em TODA cirurgia, é formado uma cicatriz pelo corpo, que NUNCA desaparece. Não há fórmula secreta para amenizar o aparecimento das cicatrizes, e a cirurgia plástica procura deixa-las o menor possível e tentar esconder ao máximo para que fiquem discretas.

2- A cirurgia plástica emagrece?

MitoA cirurgia plástica não emagrece, apenas melhora o contorno corporal. Pacientes que desejam emagrecer devem fazer essa escolha antes da cirurgia, para que o resultado seja o melhor possível.

3- É possível engrossar as pernas com silicone?

VerdadeAs próteses para o implante de silicone nas pernas coxas e panturrilhas são do mesmo material das próteses de mama. É possível fazer o implante nessas áreas do corpo.

4- Mulheres que acabaram de dar a luz podem fazer plástica?

Mito- O ideal é a futura mãe aguarde cinco meses após o parto e mais três depois da interrupção da amamentação. O correto é operar a paciente cerca de nove meses após o nascimento da criança.

5- Cirurgia plástica também se faz nos órgãos sexuais?

VerdadeÉ muito comum as mulheres solicitarem a diminuição dos pequenos lábios (ninfoplastia) e o aumento dos grandes lábios (com enxerto de gordura). Estes procedimentos dão um aspecto jovial à área que se modifica com a idade, principalmente após a gestação.

Lipoaspiração: Mito X Verdade:

6- A lipoaspiração a laser proporciona um pós-operatório mais rápido?

Mito- A finalidade do laser é auxiliar na perfuração da gordura e facilitar o trabalho do cirurgião. O pós-operatório pode variar a cada paciente. Ainda não existe uma cirurgia plástica que não deixe o corpo inchado.

7- A vibrolipoaspiração com cânula vibratória é mais segura que a cirurgia tradicional?

Mito- Qualquer tipo de lipoaspiração pode apresentar um risco para o paciente, enquanto todos os tipos de lipoaspiração são seguros igualmente, quando bem indicados. A diferença da vibrolipo para a lipoaspiração convencional é que ela é menos cansativa para o médico e a agressividade do movimento é menor, o que, indiretamente pode aumentar sua segurança.

8- Usar cânulas descartáveis durante a cirurgia de lipoaspiração elimina os riscos do paciente pegar uma infecção?

Mito- As cânulas descartáveis devem ser esterilizadas antes da cirurgia para aumentar a segurança do paciente. Esse processo pode amenizar os riscos, mas não elimina a possibilidade de ocorrer uma infecção, inerente a qualquer procedimento cirúrgico.

9- A lipoaspiração pode sumir com a celulite?

MitoSe a pele é flácida pode até haver uma piora, principalmente se a celulite estiver associada á flacidez.

10- A minilipo é mais perigosa?

VerdadeA minilipo, quando realizada fora do ambiente hospitalar, geralmente é feita, sem condições adequadas de antissepsia, sem anestesista, ou monitorização. A indicação correta de minilipo é quando a região a ser tratada é pequena, em ambiente hospitalar e com acompanhamento de um anestesista.

11- O resultado da lipoaspiração só pode ser conferido após seis meses?

Verdade- Logo após a lipoaspiração o corpo fica inchado o que dificulta notar o resultado. A pele ainda não se acomodou e pode haver a presença de alguns nódulos e hematomas. Para conferir o resultado, o ideal é esperar até seis meses, pois antes disso podem ocorrer pequenas modificações.

12- Depois da lipoaspiração, o volume na região aspirada não volta mais?

VerdadeDepois que as células adiposas são retiradas elas não se formam novamente. Estas células podem aumentar de tamanho se houver um ganho retirado de peso. É recomendado fazer lipoaspiração para tratar as gorduras localizadas, pois o resultado pode ser definitivo. Um culote aspirado não volta mais, mesmo com o aumento de peso.

13- Há um limite para a quantidade de gordura a ser retirada?

VerdadePara garantir que a cirurgia seja um sucesso e diminuir grandemente o risco de morte, o correto é não exceder o limite de 7% do peso corporal e 40% da superfície corporal.

14- A gordura enxertada vai ser toda absorvida em algum tempo?

MitoCada caso é diferente. Em geral, existe a absorção de apenas parte da gordura enxertada. Esta absorção é de 30% a 40%. Alguns pacientes podem ter uma absorção bem próxima ao total.

15- Fazer lipoaspiração pela segunda vez é mais difícil que na primeira?

Verdade - Quando a cirurgia é feita pela segunda ou terceira vez, em uma mesma região, há traves fibrosas naquele tecido gorduroso e muitos vasos sanguíneos neoformados, o que dificulta a execução do procedimento e aumenta a chance de fibrose (nódulos endurecidos) pós-operatória.

Silicone: Mitos X Verdades:

16- As próteses de silicone nas mamas prejudica a amamentação?

Mito- O silicone não interfere na amamentação. As próteses também não interferem na produção ou excreção do leite.

17- Caso a pessoa sofra um impacto muito forte, a prótese pode romper?

MitoAs próteses de seios e nádegas são feitas de gel coeso e podem ser cortadas como uma gelatina. Mesmo assim, o conteúdo não escorre.

18- A paciente pode pedir ao médico o tamanho de prótese que ela quiser?

Mito- Antes de mais nada a paciente deve ter pele suficiente para a inclusão do tamanho desejado, ou seja, a prótese deve caber. Além disso, o bom senso deve prevalecer. Cabe a ambos avaliar as proporções físicas para saber se o resultado final vai ser satisfatório ou não. Antes de escolher a quantidade exata é necessário observar o tamanho do tronco, a circunferência das costas, a distância entre o pescoço e os seios, o tamanho atual das mamas e a compleição física da paciente.

19 -Depois de colocar silicone a mulher perde a sensibilidade nos seios?

MitoÉ comum ter a sensibilidade alterada, principalmente na região dos mamilos, depois da cirurgia e nos três meses seguintes. Mas, gradualmente, a paciente deve recuperar a sensibilidade. São raros os casos onde a perda de sensibilidade é permanente.

20- A prótese de silicone nos seios precisa ser trocada a cada dez anos?

MitoNão há essa necessidade. A prótese deve ser examinada com frequência e, caso tenha se mantido intacta, não há necessidade de trocar.

21- Existe alguma idade ideal para realizar o implante de silicone nos seios?

VerdadeA cirurgia só poderá ser realizada após a passagem da puberdade, quando o corpo já está completamente formado. Normalmente essa idade está relacionada à primeira menstruação, sendo recomendado esperar o mínimo de 3 anos após esse acontecimento. Além disso, a maturidade da adolescente deve ser levada em conta.

22- O implante de silicone é uma cirurgia segura?

VerdadeA segurança e o alto índice de satisfação das pacientes é o que faz com que seja uma das cirurgias plásticas mais procuradas hoje em dia.

23- Cirurgia plástica na barriga só se faz quando há sobra de pele na região, não é para emagrecer.

VerdadeNenhuma cirurgia plástica serve para emagrecer. Apenas para melhorar o aspecto do corpo. Pode-se aspirar à gordura localizada e retirar o excesso de pele, o que melhorará o contorno corporal.

24 – A cirurgia da face (facelifting) torna o paciente mais bonito?

MitoEla apenas dá um aspecto mais descansado ao rosto. É importante o uso posterior de peelings, toxina botulínica, preenchimentos para alcançar um melhor resultado.

25 – Cirurgia plástica dura para sempre.

Mito Tanto a face quanto o corpo sofrem as mudanças relacionadas às exposições ao ambiente, à gravidade, características individuais como tipo de pele, genética, etc. A cirurgia plástica não congela o tempo.

Vai fazer cirurgia plástica? Então, preste atenção na hora de escolher o seu cirurgião plástico. Converse bastante com seus familiares ou com pessoas que já se submeteram a intervenção cirúrgica. Verifique se o médico escolhido é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.sbcp.org.br) e procure um profissional com o qual sinta empatia e segurança. O preço é importante, mas deve vir no final de sua lista de prioridades.[www.polatoplastica.com.br].

Posted in Medicina, Mentira, Mentiras, Mitos, Saúde, Verdade, Verdades at novembro 2nd, 2012. No Comments.

Check-ups previnem doenças? Mito ou realidade

Um estudo dinamarquês descobriu que check-ups médicos anuais não ajudam a prevenir doenças ou identificá-las precocemente para melhorar as chances de tratamento. Na verdade, podem simplesmente causar estresse extra.

O estudo do Centro Nórdico Cochrane, em Copenhague, na Dinamarca, se baseou na análise de 14 pesquisas de longo prazo (com acompanhamento médio de nove anos) envolvendo 182.880 pessoas (incluindo 11.940 mortes), dentre as quais algumas fizeram exames de saúde gerais regularmente e outras não.

Conclusão: nove dos estudos não encontrou diferenças no número de mortes durante o período de estudo entre os grupos, incluindo mortes por doenças cardíacas ou câncer, duas das condições mais comumente avaliadas durante esses exames gerais.

No geral, a análise não encontrou nenhuma diferença em internações hospitalares, encaminhamentos especializados, visitas adicionais ao médico, licenças de saúde, etc, entre os grupos. Isso sugere que as pessoas que fizeram exames médicos anuais não tiveram uma melhor taxa de diagnóstico de doenças, que é o que se esperaria.

No máximo, um dos estudos encontrou um aumento de 20% nos diagnósticos entre aqueles que fizeram exames de saúde mais frequentes.

Alguns outros estudos registraram um aumento no número de participantes que tomavam medicamentos para hipertensão, por exemplo (que é um fator que influencia doenças cardíacas), mas o uso desses medicamentos não se traduziu em melhores resultados de saúde.

“A partir dessas evidências, concluímos que convidar os pacientes a fazer exames de saúde gerais é provavelmente pouco benéfico”, disse o pesquisador Lasse Krogsbøll.

Os resultados não significam que a prevenção é inútil, só que a oferta de exames para a população geral de adultos não parece acrescentar benefícios. Além disso, potenciais malefícios são o sobrediagnóstico (diagnóstico e tratamento sem benefício de sobrevivência) e a transformação de pessoas saudáveis em pacientes, o que pode afetar a forma como eles se veem.

Paradoxo

Historicamente, exames gerais incluem exame físico, exame de sangue e às vezes cardiogramas. Fazer check-ups regulares deveria ajudar as pessoas a descobrir doenças em seu estágio inicial, melhorando sua expectativa de vida.
Aparentemente, isso não acontece. Por quê?

Em um exemplo clássico, muitos estudos já mostraram que mamografias regulares podem não ser benéficas. Muitas vezes os números de falsos positivos são significativos e, no final, ao invés de detectar câncer de mama, os exames só causam tensão física e emocional. Tanto que médicos e grupos de saúde chegam a recomendar que as mulheres esperem até a idade de 50 (não 40) para fazer mamografias anuais.

Essa recomendação não serve para aconselhar médicos a interromperem exames se eles acreditam que um paciente tem um problema de saúde, mas sim que check-ups sistemáticos podem não fazer sentido.

Exames específicos, não gerais

Segundo cientistas, é muito melhor que o médico passe mais tempo com o paciente, descobrindo seu estilo de vida, histórico familiar, condições de saúde, para pedir exames específicos para doenças que os pacientes podem estar em verdadeiro risco.

Inicialmente, isso pode exigir um investimento maior de recursos, mas, no futuro, pode significar menos gastos (já que exames regulares também custam muito aos bolsos de órgãos públicos e privados de saúde, e muitas vezes se mostram desnecessários).

Outro problema é que as pessoas com tendência a se submeter a exames regulares de saúde já são mais propensas a cuidarem da sua saúde, então não são as que se beneficiariam mais de exames anuais.

Especialistas sugerem que os profissionais de saúde devem se concentrar em ver o paciente mais vezes e pedir testes direcionados para fatores de risco específicos de acordo com sua idade, sexo, histórico, etc. [CBC, BBC, CNN]

Posted in Padão at outubro 22nd, 2012. No Comments.