Vinagre pode enganar o resultado do Bafômetro?

Esta informação circula pela internet já faz alguns anos e há muito tempo vem surgindo sugestões para burlar o teste do bafômetro pela internet, certo!
No Programa do Ratinho teve uma reportagem, com Policiais de trânsito, sobre as possíveis receitas para driblar o bafômetro.

Então… falava-se em métodos para se burlar o BAFÔMETRO, segundo autoridades e professores químicos, eles afirmavam em vários meios de comunicações há muito tempo que não adiantava se fazer essas receitas caseiras que não funcionaria certo? Vejam só.
Um funcionário do programa tomou varias doses de Vodka com energético ok, no certo tomou 4 doses boas de vodka com energético, então vai ao teste do BAFÔMETRO.
Receitas caseiras segundo professores de química não funcionam contra o bafômetro certo.
Mico geral, quem assistiu sabe do que estou falando.

O funcionário depois das vodkas foi para o BAFÔMETRO, logo acusou um limite alto de álcool no sangue cerca de 0,30%, onde se ele fosse pego na blitz seria multado imediatamente certo.
A nova Lei 11.705, que altera o Código de Trânsito Brasileiro, proíbe o consumo de praticamente qualquer quantidade de bebida alcoólica por condutores de veículos. A partir de agora, motoristas flagrados excedendo o limite de 0,2 gramas de álcool por litro de sangue pagarão multa de 957 reais, perderão a carteira de motorista por um ano e ainda terão o carro apreendido. Para alcançar o valor-limite, basta beber uma única lata de cerveja ou uma taça de vinho. Quem for apanhado pelos já famosos “bafômetros” com mais de 0,6 gramas de álcool por litro de sangue (equivalente três latas de cerveja) poderá ser preso.

Logo foi fazer outro teste para comprovar que receitas caseiras não funcionam, segundo “autoridades e estudiosos no assunto”, o funcionário (cobaia) antes do segundo teste tomou um gole de vinagre, isso mesmo vinagre esses que temperamos saladas, lembrando que policiais e professores afirmavam que não funcionava, pois é o rapaz toma o tal vinagre ao vivo no programa e vai se ao teste, assopra no canudinho do bafômetro segurado por um policial de trânsito, kkkkkkkk o MICO DO ANO.

A câmera filmando o bafômetro no visor que detecta o teor alcoólico no ar contido no pulmão do individuo, depois de 4 doses de Vodka e, com um gole de vinagre no final, como em um passe de mágica, ACUSOU 0,10 % DE ÁLCOOL, logo o policial tira o BAFÔMETRO do foco da câmera, sem explicação para o acontecido, resumindo não acreditavam, por isso não fizeram o teste antes de ir ao ar.

PONTO DE VISTA ELETRÔNICO

Lembrando que esta postagem não tem intuito de ensinar a ninguém a burlar a lei, LEI FOI FEITA PARA SER CUMPRIDA E NÃO DISCUTIDA, MUITO MENOS BURLADA.
É bom lembrar que o policial está “habilitado” a encaminhar o motorista sujeito de embriaguez à delegacia, este fazendo ou não o teste do bafômetro! Mesmo que o motorista Pudim-de-pinga consiga usar de algum artifício para dar uma enganada no aparelho, havendo indícios de bebedeira, o cabra pode ser levado para o DP.
Frisamos que, o motorista não é obrigado a fazer o teste, com esse direito garantido por lei. E somente em caso de acidente com vítimas, o fator alcoólico poderá ter efeito legal o exame de sangue.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

Art.5, II da CF – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da lei.

Art.5, X “da CF – como também no princípio onde ‘‘ ninguém deve ser obrigado a produzir prova contra si mesmo”.

 
Posted in Comportamento, Medicina, Verdade, Verdades at fevereiro 19th, 2013. No Comments.

Cirurgia plástica

Seja por estética ou para corrigir malformações, a busca pelo corpo perfeito tem levado muitas pessoas a recorrerem à cirurgia plástica. Esse tipo de intervenção está relacionado ao bem-estar social e emocional, pois quando a plástica é feita para resolver problemas estéticos ou reparadores, ela reflete diretamente no bem-estar do paciente, melhorando a sua autoestima.

De acordo com a cirurgiã plástica Ana Paula Polato Guiné (CRM-87. 718), o desejo de mudar algo que não agrade no corpo motiva o brasileiro a procurar cada vez mais procedimentos cirúrgicos. “Uma das primeiras coisas que as pessoas notam após uma cirurgia plástica é que seus corpos parecem mais proporcionais ou equilibrados. O intuito da cirurgia é a busca pelo contorno corporal,”, explica a cirurgiã. Segundo com uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), só no ano passado 400 mil brasileiras, das quais 60 mil têm menos de 30 anos, implantaram silicone nos seios ou eliminaram gordura de algum ponto do corpo.

“A insatisfação com o corpo e o medo da velhice são os principais motivos que levam as pessoas ao centro cirúrgico. Entre os procedimentos estéticos, o mais procurado é a cirurgia de mama (levando em conta aumento, redução e lifting mamário), seguido pela cirurgia de lipoaspiração, ressalta a cirurgiã plástica.

Antes de submeter a uma cirurgia plástica, a médica Ana Paula Polato Guiné explica qual é a finalidade de cada uma delas: Inclusão de Prótese Mamária de Silicone: É indicada para quem deseja aumentar o tamanho das mamas. Indiretamente, a inclusão das próteses contribui para deixá-las mais firmes e com os contornos mais bonitos e interessantes.

Cirurgia plástica do Abdômen: Recomendada para mulheres que já tiveram filhos ou passaram por grandes emagrecimentos e têm excesso de pele, na região do abdômen.

Cirurgia Plástica do Nariz: Indicada para quem não está contente com o formato ou o tamanho do seu nariz, realizando mudanças específicas, mas mantendo o padrão individual.

Cirurgia Plástica das Pálpebras: Utilizada para melhorar o famoso “olhar cansado”, retirando o excesso de pele e as “bolsas de gordura” das pálpebras.

Cirurgia Plástica de redução e Levantamento das Mamas: Aconselhada para quem tem mamas grandes ou somente caídas. Realiza a retirada de pele e/ou tecido mamário e o reposicionamento das aréolas.

Cirurgia Estética do Contorno Corporal Pós- Emagrecimento: Ideal para quem perdeu muito peso e tem excesso de pele retirada no abômen, mamas, braços e/ou coxas.

Lipoaspiração: A lipoaspiração tem a finalidade de melhorar o contorno do corpo, não é uma cirurgia de emagrecimento.

Cirurgia Plástica de Orelhas: A sua finalidade é corrigir as famosas “orelhas de abano”

Cirurgia Plástica da Face: Para quem tem rugas em excesso e flacidez na pele do rosto. Pode ser realizada com pequenas incisões (Mini-Lifting) ou com a Ritidoplastia completa, dependendo de cada indicação.

Cirurgia Plástica Íntima: Serve para melhorar a autoestima e o bem-estar das mulheres insatisfeitas com o aspecto estético da genitália.

Para esclarecer algumas duvidas de pacientes que desejam fazer algum tipo de cirurgia plástica, a cirurgiã plástica Ana Paula Polato Guiné (CRM- 87.718), expõe 25 questões sobre o que é mito e verdade:

1-A cirurgia plástica não deixa cicatriz?

MitoA partir do momento que se realiza um corte, presente em TODA cirurgia, é formado uma cicatriz pelo corpo, que NUNCA desaparece. Não há fórmula secreta para amenizar o aparecimento das cicatrizes, e a cirurgia plástica procura deixa-las o menor possível e tentar esconder ao máximo para que fiquem discretas.

2- A cirurgia plástica emagrece?

MitoA cirurgia plástica não emagrece, apenas melhora o contorno corporal. Pacientes que desejam emagrecer devem fazer essa escolha antes da cirurgia, para que o resultado seja o melhor possível.

3- É possível engrossar as pernas com silicone?

VerdadeAs próteses para o implante de silicone nas pernas coxas e panturrilhas são do mesmo material das próteses de mama. É possível fazer o implante nessas áreas do corpo.

4- Mulheres que acabaram de dar a luz podem fazer plástica?

MitoO ideal é a futura mãe aguarde cinco meses após o parto e mais três depois da interrupção da amamentação. O correto é operar a paciente cerca de nove meses após o nascimento da criança.

5- Cirurgia plástica também se faz nos órgãos sexuais?

VerdadeÉ muito comum as mulheres solicitarem a diminuição dos pequenos lábios (ninfoplastia) e o aumento dos grandes lábios (com enxerto de gordura). Estes procedimentos dão um aspecto jovial à área que se modifica com a idade, principalmente após a gestação.

Lipoaspiração: Mito X Verdade:

6- A lipoaspiração a laser proporciona um pós-operatório mais rápido?

MitoA finalidade do laser é auxiliar na perfuração da gordura e facilitar o trabalho do cirurgião. O pós-operatório pode variar a cada paciente. Ainda não existe uma cirurgia plástica que não deixe o corpo inchado.

7- A vibrolipoaspiração com cânula vibratória é mais segura que a cirurgia tradicional?

MitoQualquer tipo de lipoaspiração pode apresentar um risco para o paciente, enquanto todos os tipos de lipoaspiração são seguros igualmente, quando bem indicados. A diferença da vibrolipo para a lipoaspiração convencional é que ela é menos cansativa para o médico e a agressividade do movimento é menor, o que, indiretamente pode aumentar sua segurança.

8- Usar cânulas descartáveis durante a cirurgia de lipoaspiração elimina os riscos do paciente pegar uma infecção?

MitoAs cânulas descartáveis devem ser esterilizadas antes da cirurgia para aumentar a segurança do paciente. Esse processo pode amenizar os riscos, mas não elimina a possibilidade de ocorrer uma infecção, inerente a qualquer procedimento cirúrgico.

9- A lipoaspiração pode sumir com a celulite?

MitoSe a pele é flácida pode até haver uma piora, principalmente se a celulite estiver associada á flacidez.

10- A minilipo é mais perigosa?

VerdadeA minilipo, quando realizada fora do ambiente hospitalar, geralmente é feita, sem condições adequadas de antissepsia, sem anestesista, ou monitorização. A indicação correta de minilipo é quando a região a ser tratada é pequena, em ambiente hospitalar e com acompanhamento de um anestesista.

11- O resultado da lipoaspiração só pode ser conferido após seis meses?

VerdadeLogo após a lipoaspiração o corpo fica inchado o que dificulta notar o resultado. A pele ainda não se acomodou e pode haver a presença de alguns nódulos e hematomas. Para conferir o resultado, o ideal é esperar até seis meses, pois antes disso podem ocorrer pequenas modificações.

12- Depois da lipoaspiração, o volume na região aspirada não volta mais?

VerdadeDepois que as células adiposas são retiradas elas não se formam novamente. Estas células podem aumentar de tamanho se houver um ganho retirado de peso. É recomendado fazer lipoaspiração para tratar as gorduras localizadas, pois o resultado pode ser definitivo. Um culote aspirado não volta mais, mesmo com o aumento de peso.

13- Há um limite para a quantidade de gordura a ser retirada?

VerdadePara garantir que a cirurgia seja um sucesso e diminuir grandemente o risco de morte, o correto é não exceder o limite de 7% do peso corporal e 40% da superfície corporal.

14- A gordura enxertada vai ser toda absorvida em algum tempo?

MitoCada caso é diferente. Em geral, existe a absorção de apenas parte da gordura enxertada. Esta absorção é de 30% a 40%. Alguns pacientes podem ter uma absorção bem próxima ao total.

15- Fazer lipoaspiração pela segunda vez é mais difícil que na primeira?

Verdade Quando a cirurgia é feita pela segunda ou terceira vez, em uma mesma região, há traves fibrosas naquele tecido gorduroso e muitos vasos sanguíneos neoformados, o que dificulta a execução do procedimento e aumenta a chance de fibrose (nódulos endurecidos) pós-operatória.

Silicone: Mitos X Verdades:

16- As próteses de silicone nas mamas prejudica a amamentação?

MitoO silicone não interfere na amamentação. As próteses também não interferem na produção ou excreção do leite.

17- Caso a pessoa sofra um impacto muito forte, a prótese pode romper?

MitoAs próteses de seios e nádegas são feitas de gel coeso e podem ser cortadas como uma gelatina. Mesmo assim, o conteúdo não escorre.

18- A paciente pode pedir ao médico o tamanho de prótese que ela quiser?

MitoAntes de mais nada a paciente deve ter pele suficiente para a inclusão do tamanho desejado, ou seja, a prótese deve caber. Além disso, o bom senso deve prevalecer. Cabe a ambos avaliar as proporções físicas para saber se o resultado final vai ser satisfatório ou não. Antes de escolher a quantidade exata é necessário observar o tamanho do tronco, a circunferência das costas, a distância entre o pescoço e os seios, o tamanho atual das mamas e a compleição física da paciente.

19 -Depois de colocar silicone a mulher perde a sensibilidade nos seios?

MitoÉ comum ter a sensibilidade alterada, principalmente na região dos mamilos, depois da cirurgia e nos três meses seguintes. Mas, gradualmente, a paciente deve recuperar a sensibilidade. São raros os casos onde a perda de sensibilidade é permanente.

20- A prótese de silicone nos seios precisa ser trocada a cada dez anos?

MitoNão há essa necessidade. A prótese deve ser examinada com frequência e, caso tenha se mantido intacta, não há necessidade de trocar.

21- Existe alguma idade ideal para realizar o implante de silicone nos seios?

VerdadeA cirurgia só poderá ser realizada após a passagem da puberdade, quando o corpo já está completamente formado. Normalmente essa idade está relacionada à primeira menstruação, sendo recomendado esperar o mínimo de 3 anos após esse acontecimento. Além disso, a maturidade da adolescente deve ser levada em conta.

22- O implante de silicone é uma cirurgia segura?

VerdadeA segurança e o alto índice de satisfação das pacientes é o que faz com que seja uma das cirurgias plásticas mais procuradas hoje em dia.

23- Cirurgia plástica na barriga só se faz quando há sobra de pele na região, não é para emagrecer.

VerdadeNenhuma cirurgia plástica serve para emagrecer. Apenas para melhorar o aspecto do corpo. Pode-se aspirar à gordura localizada e retirar o excesso de pele, o que melhorará o contorno corporal.

24 – A cirurgia da face (facelifting) torna o paciente mais bonito?

MitoEla apenas dá um aspecto mais descansado ao rosto. É importante o uso posterior de peelings, toxina botulínica, preenchimentos para alcançar um melhor resultado.

25 – Cirurgia plástica dura para sempre.

Mito Tanto a face quanto o corpo sofrem as mudanças relacionadas às exposições ao ambiente, à gravidade, características individuais como tipo de pele, genética, etc. A cirurgia plástica não congela o tempo.

Vai fazer cirurgia plástica? Então, preste atenção na hora de escolher o seu cirurgião plástico. Converse bastante com seus familiares ou com pessoas que já se submeteram a intervenção cirúrgica. Verifique se o médico escolhido é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.sbcp.org.br) e procure um profissional com o qual sinta empatia e segurança. O preço é importante, mas deve vir no final de sua lista de prioridades.[www.polatoplastica.com.br].

Posted in Medicina, Mentira, Mentiras, Mitos, Saúde, Verdade, Verdades at novembro 2nd, 2012. No Comments.

Visão – Especialistas desvendam as maiores mitos sobre os olhos

Tire suas dúvidas sobre mergulhar de olhos abertos, ler em movimento e usar colírio à toa

Quem nunca levou uma bronca dos pais ou avós porque estava muito próximo da televisão ou foi incentivado a comer mais cenoura para preservar a visão? Os mitos relacionados à saúde dos olhos são vários e se transmitem a cada geração. “A preocupação aparece quando essas informações, sem fundamento científico, começam a criar problemas de saúde que pode ser irreversíveis”, afirma o oftalmologista Rubens Belfort Jr., professor da Escola Paulista de Medicina. No Dia Mundial da Visão (11 de outubro), tire suas dúvidas sobre as principais polêmicas envolvendo esse tema e proteja seus olhos de informações falsas.

Usar óculos ou lente de contato faz o grau aumentar?

“O uso de lentes ou óculos não interfere no aumento ou na diminuição do grau”, afirma o oftalmologista Rubens. Segundo ele, esses acessórios podem ser comparados a um tênis: independentemente do tamanho do calçado, seus pés irão crescer até certo tamanho e o uso do calçado não interfere em nada nesse processo.

Alguns problemas de visão são herdados geneticamente?

“Existem muitas doenças oculares cujo desenvolvimento pode ser favorecido pelo material genético herdado, como é o caso do glaucoma“, afirma a oftalmologista Keila Monteiro de Carvalho, professora da Unicamp. Entretanto, a maior parte dos problemas de visão é decorrente de infecções. No caso da miopia, o histórico familiar influencia o aparecimento do problema, que está determinado pelo código genético do paciente.

Mergulhar de olhos abertos prejudica a saúde ocular?

De acordo com o oftalmologista Rubens, mergulhar de olhos abertos pode ser perigoso, principalmente em águas não tratadas. “Em uma piscina, o máximo que pode acontecer são irritações por causa de substâncias usadas na água, como o cloro”, explica. Por outro lado, em águas não tratadas, como rios, micro-organismos podem ultrapassar a camada fina de epitélio que reveste o globo ocular causando infecções. “Por isso, se precisar ou quiser passar bastante tempo de olhos abertos debaixo d’água, use óculos de natação”, recomenda. O sal do mar é outro agente irritante, por isso o contato deve ser evitado.

Ler em movimento descola a retina?

O único perigo associado à leitura quando estamos em movimento é o enjoo. A ideia de que o hábito pode levar ao descolamento da retina não passa de mito. “O descolamento da retina é uma doença ocular que ocorre por motivos de trauma, questões genéticas ou ainda por processos degenerativos, inflamatórios ou tumorais”, afirma a oftalmologista Keila.

Colírios não podem ser usados sem indicação médica?

“Colírios sempre requerem prescrição médica”, afirma a oftalmologista Keila. Segundo a especialista, mesmo aqueles que não precisam de receita controlada, como os de lágrimas artificiais, devem ser usados apenas depois da indicação de um profissional. Afinal, deixar de sentir um incômodo pelo uso do produto não significa, necessariamente, que a causa está sendo tratada. “Por trás de um simples olho seco, podem existir problemas mais graves que só serão identificados em uma consulta”, explica.

Olhos claros são mais propensos ter problemas do que olhos escuros?

Problemas oculares ou sensibilidade à luz não dependem da cor dos olhos ou da íris. “A probabilidade de uma pessoa com olhos claros desenvolver miopia ou qualquer outro problema de visão é igual a de outra com olhos escuros”, diz o oftalmologista Rubens.

Alguns alimentos ajudam a prevenir problemas de visão?

Segundo a oftalmologista Keila, uma dieta equilibrada é sinônimo de vida saudável e, consequentemente, de saúde ocular. Mas alguns alimentos ganham ainda maior destaque quando o assunto é visão: antioxidantes, como o zinco e o cobre, e vitaminas, como a A e a E. Invista, portanto, em saladas bastante coloridas com cenoura, folhas verde-escuras e consuma três porções de frutas diariamente.

Assistir à televisão de perto prejudica os olhos?

“É até recomendado que pessoas com problemas oculares se aproximem da televisão para enxergar melhor, pois isso não prejudica em nada a visão”, afirma o oftalmologista Rubens. Por outro lado, o hábito pode ser um indício de dificuldade para enxergar – repare no comportamento do seu filho e procure um oftalmologista se ele reclamar que não enxerga quando afastado. Marque uma consulta para saber se a necessidade da ampliação da imagem é decorrente de um comportamento natural ou da dificuldade de enxergar.

Ler no escuro prejudica a visão?

Muitas pessoas acreditam que forçar a vista para enxergar melhor pode prejudicar a visão, mas isso não passa de mito. “No máximo, o hábito gera a conhecida vista cansada”, explica a oftalmologista Keila. O mesmo vale para quem fica o dia todo em frente a um monitor de computador ou realiza trabalhos manuais minuciosos.

Óculos de farmácia não prejudicam a visão?

“Óculos comprados prontos não prejudicam a visão, mas são apenas de aumento, ou seja, destinados a quem tem miopia e o mesmo grau nos dois olhos”, afirma a oftalmologista Keila. Esse tipo de óculos não corrige outros problemas, como o astigmatismo. “Como são muito genéricos, esses óculos de farmácia atendem pouquíssimos casos, já que cada paciente apresenta particularidades que vão além da miopia e diferenças entre as necessidades de cada olho”.

Fonte: Laura Tavares/R7

Posted in Medicina, Mentira, Mentiras, Mitos, Olhos, Saúde at outubro 17th, 2012. 1 Comment.

Queda dos cabelos – Confira as respostas de médicos às dúvidas mais comuns sobre o problema

A maioria das mulheres que sofre com a queda de cabelo acredita na possibilidade de ficar careca. Quer passar longe desse mal? Confira as respostas de médicos às dúvidas mais comuns sobre o problema

Um estudo realizado na Universidade de Bologna, na Itália, concluiu que quem sofre de queda de cabelo – mais de 30% da população feminina mundial – teme a possibilidade de ficar careca. Para passar longe desse mal, confira algumas dicas e esclareça suas dúvidas.

1. A queda de cabelo dá sinais durante o banho ou no travesseiro

VERDADEIRO. As duas situações podem revelar o problema, mas lembre-se: é normal perder cerca de 100 fios de cabelo por dia. Como não dá para contar, apenas observe.
Se o volume de fios caídos aumentar, procure um médico.

2. Lavar o cabelo todos os dias provoca a queda dos fios

FALSO. Deixar de lavá-lo acreditando nisso pode causar ou piorar um quadro de caspa. O ideal é lavar o cabelo dia sim, dia não. Mas lavar diariamente não prejudica as raízes nem os fios e é fundamental para quem tem cabelo oleoso ou pratica esportes.

3. Menstruação faz cair cabelo

FALSO. O desequilíbrio hormonal é o que influencia, principalmente na fase pré-menstrual. O problema também pode surgir na menopausa, na puberdade e depois da gestação.

4. Estresse pode desencadear o problema

VERDADEIRO. O estresse é um grande motivador porque faz o corpo produzir substâncias químicas que interrompem o crescimento dos cabelos.

5. Anticoncepcional, remédios ou vitamina A misturados ao xampu combatem a queda e fazem o cabelo crescer

FALSO. Nenhum desses modismos funciona, pois eles não penetram nos fios ao serem aplicados externamente.

6. Cortar as pontas fortifica e ajuda a evitar a queda de cabelo

FALSO. As pontas não têm influência no crescimento dos fios. Diferentemente das plantas, a raiz não sabe o que acontece nas pontas porque não há nenhuma ligação entre elas. Cortar as pontas do cabelo só resolve o problema de pontas duplas.

7. Dormir de cabelo molhado aumenta as chances de queda

FALSO. A raiz não se encharca com a umidade dos fios. O único mal que pode causar é resfriado. Mas tome cuidado com a água muito quente que pode, sim, piorar o problema.

8. Escova e chapinha causam queda

DEPENDE. Tanto a escova como a chapinha podem enfraquecer os fios se forem feitas excessivamente. Se a frequência desses procedimentos for dia sim, dia não, não há grandes problemas. O problema seria escovar o cabelo com muita violência.

9. Megahair enfraquece os fios

VERDADEIRO. A raiz fica machucada e o cabelo cai por causa da força que os fios “puxados” fazem. Esse problema também pode acontecer com mulheres que prendem o cabelo todos os dias.

10. Problemas no couro cabeludo têm relação com queda capilar

VERDADEIRO. O mais comum é a caspa. Os mais raros são psoríase (áreas avermelhadas sobrepostas de escamas que podem ou não coçar) e infecção provocada por fungos (micose), mais comuns em crianças.

11. Comer errado faz perder cabelo

VERDADEIRO. Carência de vitaminas e nutrientes como ferro, zinco, biotina e alguns aminoácidos enfraquece os fios. Já as vitaminas A e E, o complexo B e o cálcio têm relação direta com fios saudáveis.

12. Se o cabelo da minha mãe cai, o meu pode cair também

VERDADEIRO. A calvície pode ser hereditária e não tem cura. É diferente da queda, que é normal e não gera preocupação.

Fontes: Ligia Kogos, dermatologista, e Ademir Júnior e Valcinir Bedin, tricologistas

Posted in dos Cabelos, Medicamento, Medicina, Saúde at setembro 28th, 2012. No Comments.

Beba água: Necessidade de tomar muito líquido é mito, diz nefrologista

Quem não está praticando exercícios físicos não tem necessidade de fiscalizar a ingestão de água ou de estabelecer metas de consumo, diz o nefrologista Antonio Carlos Seguro, do Hospital das Clínicas de SP.

“Décadas atrás não tinha esse mito de tomar muita água. Mais água não fará o seu rim funcionar melhor. Ao contrário: é até perigoso se o órgão não estiver funcionando bem”, diz ele.

Pessoas que têm uma alimentação adequada não precisam se preocupar com o risco de desidratação. “Normalmente já ingerimos uns 2,2 litros de água por dia entre alimentos sólidos e líquidos.”

A perda de água acontece por meio de urina, fezes, suor e respiração. Quando o tempo está seco, como nas últimas semanas nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste, há uma perda maior por meio da respiração, de acordo com o fisiologista Turíbio Leite de Barros. Por isso, recomenda-se aumentar a ingestão do líquido nesse período.

A desidratação pode deixar a pele seca, causar taquicardia, reduzir a pressão arterial, dar dor de cabeça e tontura. Um sinal de alerta é a urina mais densa e amarelada, mesmo durante o dia, explica Daniel Rinaldi dos Santos, presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia.

PREVENÇÃO

Para a nutricionista Heloisa Guarita, é melhor prevenir e se hidratar “mesmo sem sede”: “Nosso corpo é composto por 70% de água. A pessoa que bebe pouco líquido tem a pele mais seca e o intestino também não funciona muito bem”.

De acordo com o nefrologista Seguro, a ingestão programada de água só é útil para pessoas com pedras nos rins ou que já tiveram infecção urinária. “Aí é interessante ingerir de dois a dois litros e meio por dia.”

Outra exceção, segundo Santos, é no caso da pessoa idosa. Nos mais velhos, o mecanismo da sede fica alterado. “É importante oferecer água para essas pessoas de tempos em tempos.”

Em relação às crianças, a preocupação maior é durante a prática de exercícios físicos em sequência. “Muitas fazem horas de atividade e não há um intervalo para o corpo se reidratar”, diz Flávia Meyer, pediatra, médica do esporte e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ela não vê problemas no consumo de isotônicos por crianças “atletas”, desde que elas pratiquem pelo menos três horas de atividade física três vezes na semana.

O consumo de bebidas esportivas também é útil para crianças com diarreia, segundo o médico do esporte Luiz Oswaldo Rodrigues.

Posted in Medicina, Mitos at setembro 6th, 2012. No Comments.

Álcool dá câncer? Cientistas obtêm primeira prova de que o consumo de bebidas alcoólicas aumenta risco da doença

Cientistas da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, informaram nesta quarta-feira (22) a primeira evidência em humanos de que o consumo de bebidas alcoólicas aumenta o risco de alguns tipos de câncer, como o de esôfago.

A descoberta surge quase 30 anos depois dos primeiros estudos que levantaram a possibilidade de um elo entre o álcool e tumores.

Os resultados foram apresentados no 244º Encontro Nacional da Sociedade Americana de Química.

Segundo a autora Silvia Balbo, que liderou o trabalho, o corpo humano metaboliza – ou seja, quebra – as moléculas de álcool contidas em cervejas, vinhos e destilados. Uma das substâncias formadas a partir desse metabolismo é chamada de “acetaldeído“, que tem estrutura semelhante a um conhecido composto cancerígeno, o “formaldeído” — ligado a tumores nos pulmões, nariz, cérebro e sangue (leucemia).

Por meio de experimentos em laboratório com voluntários, os pesquisadores observaram que o acetaldeído também pode danificar o DNA, o que pode levar ao câncer.

Para testar a hipótese, dez voluntários tiveram que beber doses crescentes de vodka (até três) uma vez por semana, durante três semanas. Os pesquisadores descobriram que, horas após a ingestão de álcool, os níveis de alterações no DNA aumentavam até 100 vezes nas células da boca dos indivíduos, e diminuíam depois de 24 horas. O mesmo efeito foi observado nas células sanguíneas.

De acordo com Silvia, a maioria das pessoas tem um mecanismo de proteção natural altamente eficaz contra o efeito do álcool no DNA – uma enzima chamada “desidrogenase” converte o acetaldeído em acetato, uma substância relativamente inofensiva. No entanto, alguns são mais suscetíveis a terem problemas.

Entre esse grupo, estão 1,6 bilhão de pessoas de origem asiática que não têm essa enzima. Além dos orientais, alguns americanos (incluindo nativos do Alasca) apresentam uma deficiência na produção da desidrogenase.

Os cientistas dizem, no entanto, que a maior parte dos indivíduos não desenvolverá câncer por beber socialmente, mas é importante lembrar que o álcool traz outros problemas de saúde – ao fígado, cérebro e outros órgãos – e aumenta os riscos de acidentes no trânsito.

Fonte: G1

Posted in Medicina, Verdade at agosto 23rd, 2012. No Comments.

Mito ou verdade: Clima frio te deixa gripado ou resfriado?

Sua mãe manda você ficar bem agasalhado nos dias frios para não pegar gripe? Ouvimos essa história desde crianças, mas a verdade é que pegar frio não causa resfriado. Não estamos dizendo para você andar com pouca roupa nos dias de inverno, afinal, é legal estar quentinho e aquecido. Mas a relação entre a temperatura do ambiente e gripe não existe. É mais um daqueles mitos que, de tão propagados, é difícil acreditar que não são verdade.

O que acontece é que, em dias gelados, as pessoas costumam passar mais tempo em ambientes fechados – seja em casa, escola, trabalho ou ambientes de encontros coletivos. Assim, fica mais fácil para as pessoas doentes transmitirem o vírus para as outras que estão próximas. A contaminação acontece através de gotículas expelidas pelas vias aéreas, que podem se fixar em objetos. O mito também pode ser explicado pelo fato de que alguns tipos de vírus da gripe se multiplicam mais facilmente no frio.

E aí, será que sua mãe vai acreditar nos cientistas?

Posted in Medicina, Mentira, Mentiras, Mitos at maio 28th, 2012. 1 Comment.

Mito: Frituras não levam a problemas no coração, contanto que você use azeite de oliva ou óleo de girassol


Você não precisa mais parar de comer as batatas fritas que tanto ama. Segundo uma nova pesquisa, a ingestão regular de alimentos fritos não provoca ataques cardíacos, contanto que você use azeite de oliva ou óleo de girassol para fritá-los.

Ou seja, os cientistas disseram que o tipo de óleo usado, e se ele foi ou não utilizado antes, realmente importa.

Os pesquisadores espanhóis acompanharam mais de 40.000 pessoas, dois terços dos quais eram mulheres, a partir de meados dos anos 1990 a 2004.

Os participantes contaram quantas vezes comiam alimentos fritos, seja em casa ou fora de casa. Em seguida, os pesquisadores verificaram se a ingestão de alimentos fritos regularmente aumentou a probabilidade de algum participante ter doença cardíaca, como um ataque cardíaco ou angina que requeira cirurgia.

O estudo não encontrou nenhuma associação entre a frequência de consumo de alimentos fritos na Espanha – onde óleos de oliva e de girassol são principalmente usados nas frituras – e a incidência de doença cardíaca grave.

No entanto, a Fundação Britânica do Coração alertou os britânicos para não recorrer a frigideira tão rápido, pois a dieta mediterrânica como um todo ainda é mais saudável que a do Reino Unido.

Os pesquisadores dividiram os participantes do estudo em quatro grupos, de menor ingestão de alimentos fritos a maior, e não encontraram nenhuma diferença significativa no risco de doença cardíaca.

No total, houve 606 incidentes relacionados a doenças do coração, mas eles foram divididos de modo relativamente uniforme entre os quatro grupos.

Os autores concluíram que, em um país mediterrâneo, onde o azeite e o óleo de girassol são as gorduras mais comumente usadas para fritar, e onde grandes quantidades de alimentos fritos são consumidas tanto fora como dentro de casa, não foi observada associação entre o consumo de frituras e os riscos de doença cardíaca coronária ou morte.

Sim, no seu conjunto, o mito de que alimentos fritos são geralmente ruins para o coração não é suportado por evidências científicas. No entanto, isso não significa que refeições frequentes de frituras não terão consequências para a saúde.

Alimentos fritos contêm mais calorias, o que também é ligado à pressão alta e obesidade. Os autores do estudo espanhol observam que os resultados só poderiam realmente ser extrapolados para outros países mediterrâneos com dietas semelhantes, cujo povo tende a fritar com azeite e óleo de girassol “frescos”.

Frituras do estilo norte-americano (fast-foods e comidas pra entrega) são diferentes, porque tendem a ser fritas em óleos reutilizados, com mais gordura trans, além de ter muito mais sal, que aumenta a pressão arterial e o risco de doença cardíaca.

A dieta nos outros lugares do mundo é diferente da da Espanha, por isso não podemos dizer que o resultado seria o mesmo para nós também.

A recomendação dos pesquisadores é trocar gorduras saturadas, como manteiga, banha ou óleo de palma por gorduras insaturadas, como forma de manter seu colesterol baixo.

Mas, independentemente dos métodos de fritura utilizados, consumir alimentos com alto teor de gordura significa um elevado teor calórico, que pode levar a ganho de peso e obesidade, fatores de risco para doenças cardíacas.

Uma dieta bem equilibrada, com bastante frutas e vegetais e apenas uma pequena quantidade de alimentos ricos em gordura é melhor para um coração saudável.

Posted in Medicina, Mentira, Mitos at janeiro 25th, 2012. 1 Comment.

A zona erótica da mulher, o ponto “G” é mito diz cientistas

Segundo cientistas, não há evidência que a zona erótica da mulher exista

Um estudo descobriu que a zona erótica da mulher é um mito. O ponto “G” foi descoberto em 1950, no entanto a pesquisa afirmou que ele não existe. Os cientistas analisaram mais de 100 estudos publicados durante seis décadas e não encontraram qualquer evidência que provasse a existência do ponto. As informações são do The Sun.

Durante anos, homens e mulheres foram induzidos a procurar o ponto “G”, com orientações profissionais e artigos que buscavam provocar o ápice do prazer na mulher ao encontrar a região certa. As próprias mulheres davam indicações aos homens para que eles chegassem ao tal ponto.

Segundo o jornal, existem pontos em que a mulher sente mais prazer, no entanto, nada como o mítico ponto “G” que muitos homens e mulheres buscam encontrar sem sucesso.

Posted in Medicina, Mitos at janeiro 24th, 2012. 1 Comment.

Aspartame, é seguro usar?


aspartame ou aspartamo, um tipo de adoçante, é um aditivo alimentar criado para substituir o açúcar refinado.

Ele foi elaborado no ano de 1965 por uma empresa americana chamada G.D. Searle & Company que foi posteriormente adquirida pela Monsanto.

Ele tem maior poder de adoçar (cerca de 200 vezes mais doce que a sacarose) e é menos denso, por isso é um dos adoçantes mais utilizado em bebidas.

Abaixo segue um texto com perguntas e respostas elaborado pela ANVISA que visa tirar dúvidas quanto a saúde bem como a segurança do seu uso.

O aspartame é seguro?

Sim, existe consenso entre inúmeros comitês internacionais sobre a segurança do aspartame.

O que acontece com o aspartame no nosso organismo?

Ele é metabolizado no trato gastro intestinal liberando dois aminoácidos, o ácido aspártico e a fenilalanina, e metanol.

O ácido aspártico liberado pelo aspartame representa risco à saúde?

Não. Doses de aspartame acima da dose diária recomendada resultam em aumento pequeno de ácido aspártico no sangue, bem abaixo de doses consideradas como prejudiciais à saúde.

Alimentos em geral podem conter ácido aspártico. Por exemplo, um hambúrguer de 100 g pode conter até 40 vezes a quantidade de ácido aspártico presente em uma lata de refrigerante (350 ml) adicionado de aspartame.

A fenilanina liberada pelo aspartame representa risco à saúde?

Não. Após uma dose única de aspartame equivalente a 20 latas de refrigerante com este adoçante, o nível de fenilalanina no sangue permanece dentro da faixa normal , bem abaixo de níveis que possam causar toxicidade. Mesmo para indivíduos com capacidade reduzida de metabolizar a fenilanina (portadores heterozigotos de fenilcetonúria), uma dose semelhante não eleva os níveis plasmáticos de fenilanina a valores que possam ser considerados um risco à saúde.

O metanol liberado pelo aspartame representa risco à saúde?

Não. A quantidade de metanol liberada pelo aspartame é muito pequena e mesmo doses elevadas, equivalentes à ingestão diária recomendada para este adoçante, resulta em uma ingestão de metanol 200 vezes inferior à dose tóxica. A quantidade de metanol proveniente do aspartame contido em uma lata de refrigerante (350 ml) equivale à quantidade liberada pelo mesmo volume de suco de laranja e de maçã, sendo de 4 a 6 vezes inferior àquela presente no suco de tomate e de uva.

Quem não deve consumir o aspartame?

Os portadores de uma deficiência rara, fenilcetonúria, não metaboliza o aminoácido fenilalanina, devendo evitar o consumo de aspartame.

Esses indivíduos também são incapazes de metabolizar a fenilalanina de qualquer alimento, devendo ser submetidos a uma dieta rigorosa.

A legislação brasileira obriga que os alimentos que contém aspartame tragam no rótulo a seguinte advertência em destaque e negrito: CONTÉM FENILALANINA

O aspartame pode ser consumido por grávidas e crianças?

Sim. O metabolismo do aspartame já foi estudado nestes grupos da população, não havendo até o presente evidências científicas de que gestantes e crianças metabolizem o aspartame diferentemente de um adulto normal.

Existe alguma relação entre o consumo de aspartame e esclerose múltipla, Lúpus sistêmico, mal de Alzheimer ou aparecimento de tumor cerebral?

Não. Esclerose múltipla é uma doença causada por muitos fatores, não existindo qualquer associação entre sua ocorrência e o consumo de aspartame.

Também não existem evidências científicas associando o aspartame com Lúpus sistêmico, mal de Alzheimer e ocorrência de tumor cerebral.

O aspartame prejudica o diabético?

Não. Estimativas de ingestão de aspartame por diabéticos indicam um consumo considerado seguro pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Foram realizadas pesquisas para verificar o efeito do aspartame no organismo humano?

Sim. Há inúmeros dados na literatura sobre ensaios clínicos realizados em indivíduos normais, diabéticos e indivíduos com problemas no metabolismo da fenilalanina, não tendo sido evidenciados danos à saúde.

Qual a quantidade de adoçante a base de aspartame que pode ser ingerida diariamente?

A quantidade máxima de aspartame que um adulto com 60 kg pode ingerir diariamente, com segurança, é de 2.400 mg, o que equivale, aproximadamente, ao consumo de 48 envelopes de 1 g de um adoçante dietético com 5% de aspartame, ou a 4 litros de refrigerante adoçado apenas com aspartame.

No caso de uma criança com 30 kg, as quantidades máximas correspondem a 24 envelopes do mesmo adoçante ou a 2 litros de refrigerante.

Posted in Medicina, Mitos at julho 1st, 2010. No Comments.