Papai Noel Existe ou Não? Verdade ou Mentira? O Que Dizer Para As Crianças?

papai-noel-existe-ou-nao-verdade-ou-mentira-o-que-dizer-para-as-criancas-01

Símbolo inconfundível das festividades natalinas, o Papai Noel ainda desperta muita polêmica quando o assunto é realidade. Entre gaguejamento e línguas tropeçadas, fica difícil responder a pergunta “Papai noel existe?” para uma criança quando não estamos preparados. Mas afinal, Papai Noel existe? O que dizer para nossos filhos?

De acordo com os professores psicólogos Christopher Boyle e Kathy McKay do Exeter (Reino Unido) e da Australian New England University, dizer para as crianças que o Papai Noel existe é uma mentira escancarada que apenas fará com que as crianças não confiem mais em adultos assim que descobrirem a verdade. Segundo eles, a mentira sobre a existência do Papai Noel trará uma crise existencial, invalidando para as crianças qualquer confiança estabelecida nos adultos.
Mas o que é a verdade?

Embora a sugestão seja interessante, é preciso que nos atentemos a alguns pontos a respeito da verdadeira existência ou não do Papai Noel. Fato, ao menos irreparável socialmente, é que a figura do Papai Noel existe e todos sabem bem como é. Não há criança ou adulto que não saiba descrever com perfeição o Papai Noel.

Para o filósofo Alemão Friedrich Nietzsche, a questão da existência ou não do Papai Noel cai em descrédito total em própria formulação. Neste caso da verdade ou mentira, Nietzsche não define e nem aceita a definição da verdade, pois não há como alcançar com certeza a definição do oposto da mentira.

Já para a filosofia ocidental geral, a verdade depende de três constantes de valores variáveis: a realidade, o imaginário e a ficção. Desta maneira, quando os três critérios encontram um ponto central de entendimento, encontra-se a verdade.

Porém, não é possível aprofundar-se em filosofia com crianças durante o fervor causado pela pergunta “Papai Noel existe?”. Neste momento, temos uma decisão muito importante a fazer e que influenciará a forma com que a criança nos verá para o resto da vida. Por isso é importante prestar atenção.

papai-noel-existe-ou-nao-verdade-ou-mentira-o-que-dizer-para-as-criancas-02

Ver para crer!
Devemos ter em mente que a existência de algo não implica em uma tangibilidade, ou seja, não é necessário que possamos tocar algo para saber que algo existe. A partir daí podemos citar inúmeros exemplos, tais como o ar ou mesmo uma celebridade constantemente apresentada em revistas, programas de televisão e etc. Tudo isso nos é mostrado o tempo todo como real, mas será que precismos ter visto isto ou aquilo para sabermos se se trata da verdade?
Cada criança tem um tempo próprio de desenvolvimento físico e mental. Algumas crianças demonstram facilidade para certas coisas, enquanto outras podem demorar um pouco mais para desenvolver a aptidão. E isso acomete todo desenvolvimento da criança.

Evidentemente, se temos uma criança com 4 anos de idade que nos pergunta se o Papai Noel existe nós devemos responder que sim. O mesmo vale para crianças menores ou até chegarem na adolescência. Por quê? Pois a realidade depende diretamente da realidade que nos cerca em nossa fase de desenvolvimento.

Isso significa que, na realidade da criança, o Papai Noel existe. E, nesta questão, não faz diferença se foi você quem contou ou não sobre a existência do Papai Noel. Naturalmente a criança aprenderá que ele existe, e, naturalmente, aprenderá que não existe.

Mentiras sinceras!
Mas “mentir” sobre a existência do Papai Noel não é pior? Definitivamente não. Isso é claramente evidenciado quando interrogamos os que hoje são adultos. Em sua maioria, todos acreditaram em Papai Noel algum dia e isso não foi obstáculo algum para serem quem são hoje.

Isso não quer dizer que você deva necessariamente fazer seu filho ou filha acreditar em Papai Noel. Mas, se uma criança perguntar a você se o Papai Noel existe é porque ela acredita, e seu papel como pai, mãe ou cuidador(a) é o de deixá-la acreditar.

Como dito, naturalmente, a criança começará a ter dúvidas sobre a verdadeira existência com o passar dos anos. Neste ponto, basta esclarecer as dúvidas que surgirem e nada mais.

Posted in Papai Noel Existe? Verdade Ou mentira? at dezembro 6th, 2016. No Comments.

Verdade ou mentira? Marca australiana diz ter inventado um vestido que muda de cor.

A marca australiana Showpo pode ter inventado um super vestido, que vai fazer muitas pessoas por aí pirarem.
Teoricamente, eles vão lançar um vestido que muda de cor apenas apertando um botão.No vídeo, postado no Youtube da marca, a CEO da Showpo, Jane Lu, anuncia a novidade e mostra como é o escritório da marca. No final, ela mostra uma modelo e um rapaz usa um iPad para ir mudando o tom do vestido que ela usa. A modelo e todos que estão no estúdio ficaram pirados e gritam cada vez que o vestido mudar de cor.
Segundo o Huffington Post, o vídeo não passa de uma grande pegadinha para gerar buzz para a marca, que sempre se posicionou como uma grife cheia de inovação. A Showpo não se pronunciou oficialmente sobre o assunto ainda.
Pena que é mentira, mas já pensou se fosse e verdade você pudesse ter um vestido diferente todos os dias?

verdade-ou-mentira-marca-australiana-diz-ter-inventado-um-vestido-que-muda-de-cor

O pior é que é verdade » Luis Fernando Veríssimo lança coletânea de crônicas ‘As mentiras que as mulheres contam’

luis-fernando-verissimo-lança-coletanea-de-cronicas-as-mentiras-que-as-mulheres-contam

Autor busca repetir sucesso da versão masculina com livro que chega amanhã às lojas.Tem aquela da mulher que paga uma fortuna numa Louis Vuitton e, ao descobrir uma amiga que gastou uma pechincha por uma bolsa falsa, porém exatamente igual à sua, resolve mentir. Tem ainda o caso de uma fulana carente que leva um cego para casa, faz dele seu amante e acaba causando uma tragédia. E tem também uma outra que fala que é muito mais velha só para acharem que ela é muito mais nova.

Mulher mente por qualquer razão. E os homens, desde a mais tenra infância, aprendem a conviver com isso. “’Olha o aviãozinho!’ A primeira mentira. Ela querendo nos convencer de que o que tinha na mão não era uma colher com papinha, mas um avião. Um avião!”

É dessa maneira que Luis Fernando Verissimo dá a partida para sua nova coletânea de crônicas. Nas livrarias a partir desta quarta-feira, As mentiras que as mulheres contam (Editora Objetiva), é uma resposta ao best-seller de 15 anos atrás, As mentiras que os homens contam (500 mil exemplares vendidos). As 48 crônicas que recheiam o livro foram garimpadas pela editora do extenso material publicado na imprensa. Somente o texto introdutório (o do aviãozinho), que amarra o livro, é inédito.

Aos 79 anos, o marido de Lúcia (a primeira namorada séria) há 52, pai de Fernanda, Mariana e Pedro e avô de Lucinda, é um dos escritores mais populares do país. Também cartunista, tradutor, roteirista, dramaturgo, saxofonista, romancista bissexto (com seis títulos publicados), fez da crônica seu principal ofício.
Escrevendo semanalmente para três jornais, Verissimo versa com a mesma facilidade sobre temas áridos tanto quanto os corriqueiros. Nessa coletânea, que vem se somar a 60 livros publicados, ele fala de temas comezinhos, mas que fazem parte da vida de homens e mulheres.

É o orgasmo fingido, o presente passado para a frente, a mentira para ganhar um afago do marido, aquela desculpa esfarrapada que não faz mal a ninguém. Na entrevista a seguir, concedida ao Estado de Minas por e-mail, Verissimo mantém nas respostas o estilo de suas crônicas: curtas, certeiras e inspiradas.

‘‘Prefiro escrever, com tempo para pensar e não dizer bobagens’’

Em que situação uma mulher não mente?
Dormindo.

Quem mente mais: o homem ou a mulher?
Acho que é o homem, mas mulher é mais criativa.

O senhor está casado há mais de 50 anos. Um casamento só funciona com mentiras?
Eu nunca menti para a minha mulher, só omiti a verdade algumas vezes.

Qual foi a última mentira que o senhor disse?
Eu não minto. Esta é a primeira vez.

No Brasil de hoje ainda há motivos para rir?
O Brasil às vezes é desanimador, mas nunca deixa de ser engraçado. Muitas vezes no mau sentido.

Escrever hoje, para o senhor, é algo mais complicado do que há 20 anos?
Escrever fica cada vez mais difícil. Exigimos cada vez mais de nós mesmos e a autocrítica aumenta. Eu escrevia mais, antigamente. Não sei se fiquei mais conciso ou mais preguiçoso.

Dos seus livros, de qual o senhor mais gosta?
O analista de Bagé (1981). Não por ser diferente dos outros, mas por ser o primeiro que chamou a atenção.

Tem ideia de quantas crônicas o senhor já escreveu?
Já perdi a conta. Mesmo. A crônica sai com facilidade ou custa a sair, depende do assunto e da abordagem. Na minha experiência, as que dão mais trabalho são as que têm menos repercussão.

O que uma boa crônica deve trazer?
Antes de mais nada, deve ser atraente. É literatura de consumo rápido, ou pega o leitor ou ele escapa.

O senhor escreve muito e fala pouco. Escrever é melhor do que falar?
Prefiro escrever, com tempo para pensar e não dizer bobagens. Ou menos bobagens. Mas, na verdade, eu não falo pouco. São os outros que falam muito.

O que o senhor ainda espera da vida?
Eu sonhava em ser eterno, mas já me convenci de que não vai dar.

Citações e textos atribuídos ao senhor existem a perder de vista na internet. Isso, de alguma maneira, o incomoda?
Não há o que fazer para evitar os textos apócrifos. Alguns são até bons, e aí eu agradeço os elogios. Frequento pouco a internet. Acho que as redes sociais, muitas vezes, revelam o que há de pior nas pessoas. E o ódio é sempre triste.

O que é pior: fazer uma palestra ou dar uma entrevista ao vivo?
Empatam.

As mentiras que as mulheres contam
De Luis Fernando Verissimo.
Objetiva, 184 páginas, R$ 34,90 (livro) e R$ 23,90 (e-book).

Crônica

E por falar em festa…

“– Minha filha, você me deu sua palavra que a sua festa ia acabar às duas horas Crônica

E por falar em festa…

“– Minha filha, você me deu sua palavra que a sua festa ia acabar às duas horas.
– E acabou, papai.
– Sim, mas às duas da tarde! Nós estávamos almoçando, hoje, e ainda estava chegando gente pra festa de ontem!
– É que a turma se excedeu um pouco, papai, qualé?
– Outra coisa, você jurou que seus amigos iam ficar na sala e não invadiriam os outros aposentos.
– E então?
– Então que eu fui acordado no meio da noite por um cabeludo me perguntando se não tinha vodca em casa.
– Ele se perdeu, só isso.
– Tudo bem. Mas ele precisava me chamar de ‘sô do pijama’?
– Papai…
– E mais. Eles quis tirar sua mãe da cama para dançar.
– Qual é o problema?
– E ela foi.”

Posted in Padão at outubro 6th, 2015. No Comments.

Contabilidade: Verdades e Mentiras.

contabilidade-verdades-e-mentiras

A verdade é que a contabilidade passa por profundas transformações, exigindo de nós atualização constante, especialmente em relação às normas internacionais, agora adotadas oficialmente no Brasil.Como em toda ciência, a contabilidade sofre com estigmas que se introduzem com o tempo, cabendo a nós, contabilistas, combatê-las com o ímpeto necessário e visando preservar os penosos avanços até aqui alcançados por todos os que contribuíram e contribuem com a dinâmica do desenvolvimento social, econômico e científico.
A mentira é que isto é moda, que tudo passará e os balanços continuarão sendo apenas demonstrativos para o fisco. Ilude-se quem ainda julga que um balancete ou balanço possa ser fraudado com simples canetadas ou ajustes temporários. Com a introdução de diversos mecanismos de acompanhamento eletrônico (SPED-fiscal, ECD, NF-e, etc.) a “burla” terá vida curta – como diz o provérbio: “mentira tem perna curta”.
A verdade é que os contabilistas estão sobrecarregados de exigências extra-contábeis, como elaboração de minuciosas demonstrações para o fisco. Mais verdade ainda é que ainda não são remunerados adequadamente por todas estas obrigações, ainda mais considerando-se a grande responsabilidade civil e penal que têm ao assinar tais demonstrativos.
A mentira é que o governo vem simplificando as obrigações. Ao contrário, com exigências cada vez mais técnicas (manuais de operação com centenas de páginas de campos, dados, layouts, etc.), o profissional contábil vê-se quase à mercê, pagando caríssimo, de profissionais de outras áreas (como informática), tendo que delegar enormes quantidades de confiança e quase sem tempo para acompanhar todas as tarefas.
A verdade é que a contabilidade é útil, verdadeiro repositório de informações para o gerenciamento de um negócio ou de uma entidade sem fins lucrativos. Se ela não é utilizada com este fim, então estamos diante de outra verdade: dinheiro mal aproveitado.
A mentira é que a contabilidade é cara. Quem faz esta afirmação não conhece (ou não lê) as milhares de normas, regulamentos, leis, portarias, instruções e outras parafernálias diárias que são publicadas nos diários oficiais da União, Estados e Municípios, mudando grotescamente a legislação e as exigências do dia para a noite.A verdade é que a classe contábil é pouco unida, pouco participativa nos sindicatos. O episódio recente do COAF, exigindo que o contabilista quebre o sigilo dos clientes ao informar operações, é um exemplo: pouquíssimos sindicatos se manifestaram, cadê a atuação deles nesta aberração a ética do profissional?
A mentira é que não pudemos mudar o Brasil. Ora, somos mais de 500.000 profissionais, com alto conhecimento técnico, capacidades específicas, poder de gestão, e outros atributos. Como não podemos participar e contribuir para que o Brasil mude, a partir de ações individuais, profissionais, coletivas e participativas de uma classe tão numerosa e (ainda não) tão influente na vida social?
Verdades e mentiras. Você escolhe com as quais convive diariamente.

Beba água: Necessidade de tomar muito líquido é mito, diz nefrologista

Quem não está praticando exercícios físicos não tem necessidade de fiscalizar a ingestão de água ou de estabelecer metas de consumo, diz o nefrologista Antonio Carlos Seguro, do Hospital das Clínicas de SP.

“Décadas atrás não tinha esse mito de tomar muita água. Mais água não fará o seu rim funcionar melhor. Ao contrário: é até perigoso se o órgão não estiver funcionando bem”, diz ele.

Pessoas que têm uma alimentação adequada não precisam se preocupar com o risco de desidratação. “Normalmente já ingerimos uns 2,2 litros de água por dia entre alimentos sólidos e líquidos.”

A perda de água acontece por meio de urina, fezes, suor e respiração. Quando o tempo está seco, como nas últimas semanas nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste, há uma perda maior por meio da respiração, de acordo com o fisiologista Turíbio Leite de Barros. Por isso, recomenda-se aumentar a ingestão do líquido nesse período.

A desidratação pode deixar a pele seca, causar taquicardia, reduzir a pressão arterial, dar dor de cabeça e tontura. Um sinal de alerta é a urina mais densa e amarelada, mesmo durante o dia, explica Daniel Rinaldi dos Santos, presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia.

PREVENÇÃO

Para a nutricionista Heloisa Guarita, é melhor prevenir e se hidratar “mesmo sem sede”: “Nosso corpo é composto por 70% de água. A pessoa que bebe pouco líquido tem a pele mais seca e o intestino também não funciona muito bem”.

De acordo com o nefrologista Seguro, a ingestão programada de água só é útil para pessoas com pedras nos rins ou que já tiveram infecção urinária. “Aí é interessante ingerir de dois a dois litros e meio por dia.”

Outra exceção, segundo Santos, é no caso da pessoa idosa. Nos mais velhos, o mecanismo da sede fica alterado. “É importante oferecer água para essas pessoas de tempos em tempos.”

Em relação às crianças, a preocupação maior é durante a prática de exercícios físicos em sequência. “Muitas fazem horas de atividade e não há um intervalo para o corpo se reidratar”, diz Flávia Meyer, pediatra, médica do esporte e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ela não vê problemas no consumo de isotônicos por crianças “atletas”, desde que elas pratiquem pelo menos três horas de atividade física três vezes na semana.

O consumo de bebidas esportivas também é útil para crianças com diarreia, segundo o médico do esporte Luiz Oswaldo Rodrigues.

Posted in Medicina, Mitos at setembro 6th, 2012. No Comments.

Mito ou verdade: Clima frio te deixa gripado ou resfriado?

Sua mãe manda você ficar bem agasalhado nos dias frios para não pegar gripe? Ouvimos essa história desde crianças, mas a verdade é que pegar frio não causa resfriado. Não estamos dizendo para você andar com pouca roupa nos dias de inverno, afinal, é legal estar quentinho e aquecido. Mas a relação entre a temperatura do ambiente e gripe não existe. É mais um daqueles mitos que, de tão propagados, é difícil acreditar que não são verdade.

O que acontece é que, em dias gelados, as pessoas costumam passar mais tempo em ambientes fechados – seja em casa, escola, trabalho ou ambientes de encontros coletivos. Assim, fica mais fácil para as pessoas doentes transmitirem o vírus para as outras que estão próximas. A contaminação acontece através de gotículas expelidas pelas vias aéreas, que podem se fixar em objetos. O mito também pode ser explicado pelo fato de que alguns tipos de vírus da gripe se multiplicam mais facilmente no frio.

E aí, será que sua mãe vai acreditar nos cientistas?

Posted in Medicina, Mentira, Mentiras, Mitos at maio 28th, 2012. 1 Comment.

Verdade ou mentira? Cerveja dá barriga?

Um estudo feito por uma equipe de cientistas da Alemanha concluiu que a cerveja não é a responsável pela barriga nos homens. Ela apenas contribui para o aumento de peso.

Durante a pesquisa, os cientistas analisaram o peso, a medida do quadril e da cintura de quase 20 mil pessoas durante quatro anos. Além disso, os participantes relataram detalhes sobre a quantidade de bebida consumida por dia.

Então, o grupo percebeu que tanto consumidores de cerveja quanto os que não bebiam ganharam barriga. A partir disso, os pesquisadores concluíram que a barriga de cerveja é um mito.

Logo, o consumo de cerveja interfere apenas no aumento de gordura corporal total, contaram os cientistas ao Jornal Europeu de Nutrição Clínica. Portanto, consumidores de cerveja realmente ganham peso, mas não necessariamente na região da cintura. Por sua vez, as mulheres analisadas ganharam mais massa gordurosa nos quadris do que na região da barriga.

Além disso, a equipe descobriu que homens e mulheres tem uma percepção diferente do consumo de cerveja. Para as mulheres, consumo moderado significa ingerir 250 ml de cerveja por dia, enquanto os homens consideram de 500 a 1000 ml por dia uma quantidade média.

A pesquisa foi feita por cientistas da Fulda University of Applied Sciences, da University of Gothenburg, do Institute of Human Nutrition Potsdam-Rehbrücke e publicada no jornal britânico Daily Mail.

Posted in Mentira, Mitos at abril 5th, 2012. No Comments.

Mito: Frituras não levam a problemas no coração, contanto que você use azeite de oliva ou óleo de girassol


Você não precisa mais parar de comer as batatas fritas que tanto ama. Segundo uma nova pesquisa, a ingestão regular de alimentos fritos não provoca ataques cardíacos, contanto que você use azeite de oliva ou óleo de girassol para fritá-los.

Ou seja, os cientistas disseram que o tipo de óleo usado, e se ele foi ou não utilizado antes, realmente importa.

Os pesquisadores espanhóis acompanharam mais de 40.000 pessoas, dois terços dos quais eram mulheres, a partir de meados dos anos 1990 a 2004.

Os participantes contaram quantas vezes comiam alimentos fritos, seja em casa ou fora de casa. Em seguida, os pesquisadores verificaram se a ingestão de alimentos fritos regularmente aumentou a probabilidade de algum participante ter doença cardíaca, como um ataque cardíaco ou angina que requeira cirurgia.

O estudo não encontrou nenhuma associação entre a frequência de consumo de alimentos fritos na Espanha – onde óleos de oliva e de girassol são principalmente usados nas frituras – e a incidência de doença cardíaca grave.

No entanto, a Fundação Britânica do Coração alertou os britânicos para não recorrer a frigideira tão rápido, pois a dieta mediterrânica como um todo ainda é mais saudável que a do Reino Unido.

Os pesquisadores dividiram os participantes do estudo em quatro grupos, de menor ingestão de alimentos fritos a maior, e não encontraram nenhuma diferença significativa no risco de doença cardíaca.

No total, houve 606 incidentes relacionados a doenças do coração, mas eles foram divididos de modo relativamente uniforme entre os quatro grupos.

Os autores concluíram que, em um país mediterrâneo, onde o azeite e o óleo de girassol são as gorduras mais comumente usadas para fritar, e onde grandes quantidades de alimentos fritos são consumidas tanto fora como dentro de casa, não foi observada associação entre o consumo de frituras e os riscos de doença cardíaca coronária ou morte.

Sim, no seu conjunto, o mito de que alimentos fritos são geralmente ruins para o coração não é suportado por evidências científicas. No entanto, isso não significa que refeições frequentes de frituras não terão consequências para a saúde.

Alimentos fritos contêm mais calorias, o que também é ligado à pressão alta e obesidade. Os autores do estudo espanhol observam que os resultados só poderiam realmente ser extrapolados para outros países mediterrâneos com dietas semelhantes, cujo povo tende a fritar com azeite e óleo de girassol “frescos”.

Frituras do estilo norte-americano (fast-foods e comidas pra entrega) são diferentes, porque tendem a ser fritas em óleos reutilizados, com mais gordura trans, além de ter muito mais sal, que aumenta a pressão arterial e o risco de doença cardíaca.

A dieta nos outros lugares do mundo é diferente da da Espanha, por isso não podemos dizer que o resultado seria o mesmo para nós também.

A recomendação dos pesquisadores é trocar gorduras saturadas, como manteiga, banha ou óleo de palma por gorduras insaturadas, como forma de manter seu colesterol baixo.

Mas, independentemente dos métodos de fritura utilizados, consumir alimentos com alto teor de gordura significa um elevado teor calórico, que pode levar a ganho de peso e obesidade, fatores de risco para doenças cardíacas.

Uma dieta bem equilibrada, com bastante frutas e vegetais e apenas uma pequena quantidade de alimentos ricos em gordura é melhor para um coração saudável.

Posted in Medicina, Mentira, Mitos at janeiro 25th, 2012. 1 Comment.

Mulher não gosta mais de poesia nos dias atuais?

**Será verdade ou será mentira?**

 

**Será verdade
Ou será mentira
Que a mulher de hoje em dia
Não se encanta mais com poesia?
Se você tem a resposta
Por favor então me diga
E me livra dessa dúvida
Dessa agonia**
Autor: Ilustre Sinistro

 

Posted in Cultura, Padão, Poesia at janeiro 2nd, 2012. No Comments.