Você conhece os mitos sobre nosso comportamento? Verdade ou Mentira?

 

voce-conhece-os-mitos-sobre-o-nosso-comportamento-verdade-ou-mentira

Existem alguns mitos psicológicos que tomam conta da nossa vida. Pensamos que sabemos tudo, e que somos muito bons em decifrar as pessoas, mas será que isso é verdade?
Hoje, convidamos você a testar seus conhecimentos dizendo se 11 afirmações sobre psicologia são verdade ou mentira. O Incrível.club lembra que esta é a apenas uma brincadeira. Se quer conhecer mais de psicologia, fale com um profissional.

Posted in Verdades e Mentiras Sobre O Comportamento at outubro 26th, 2016. No Comments.

O que você precisa saber sobre a cerveja – 13 mitos e verdades sobre a bebida alcoólica mais consumida no país.

cerveja-mitos-e-verdades
Ela já foi tema de música, tem um dia só dela e sempre é usada como pretexto para reunir os amigos. Sim, estamos falando da cerveja – a bebida alcoólica mais consumida no país.
Toda primeira sexta-feira de agosto é comemorado no Brasil e em outros 50 países o Dia Internacional da Cerveja e, por isso, nada melhor do que usar a data para desmistificar alguns fatos sobre ela.

Esqueça, por exemplo, aquele mito de que cerveja pode dar barriga, pois pesquisas comprovam que quando bebida com moderação não dá.
Além disso, quando comparada com outras bebidas, principalmente as destiladas, ela é muito mais saudável e pode sim ser inserida a um estilo de vida balanceado.
Os mitos e verdades foram listados pelo beer sommelier Tulio Rodrigues, fundador da Beer Academy e professor da Fundação Getúlio Vargas na disciplina Administração dos Negócios da Cerveja.

Veja nas imagens 13 mitos e verdades sobre a cerveja que você precisa saber:

1 – Cerveja deitada gela mais rápido? Mito

De acordo com Tulio Rodrigues, a melhor posição para armazenar e gelar cervejas é de pé, “para que a superfície de contato do líquido com o ar seja menor”.
Além disso, o especialista alerta também que a cerveja deve ser resfriada gradualmente, ou seja, colocá-la no congelador, só se for um pouco antes de consumi-la.

2 – Cerveja não deve ser servida muito gelada? Verdade

Tulio explica que quando servida em baixíssima temperatura, a cerveja acaba anestesiando as papilas gustativas da língua, que fazem com que a sensibilidade para degustar a bebida seja perdida.
“O calor pede cervejas geladas, mas sem exageros”, afirma o beer sommelier.

3 – Cerveja dá barriga? Mito

Segundo Tulio, esse é o mito mais famoso que existe sobre a cerveja, mas a ciência já comprovou que, se consumida com moderação, a cerveja não é a responsável pelo aumento de peso nem de gordura abdominal.
Estudos mostraram que o que engorda não é a cerveja, mas os alimentos gordurosos, os famosos tira-gostos, que são frequentemente combinados com a bebida.

4 – Chope é a mesma coisa que cerveja? Verdade

O chope e a cerveja são a mesma bebida. A diferença, no entanto, é que a cerveja passa pelo processo de pasteurização – tratamento térmico que garante maior prazo de validade ao produto.
Já o chope, por sua vez, não passa pelo mesmo processo, é mais calórico do que a cerveja e tem um prazo de validade menor

5 – Cerveja não pode ser inserida em um estilo de vida balanceado? Mito

“Esse é outro pensamento bastante equivocado disseminado aqui no Brasil”, afirma Tulio.
O especialista explica que , assim como o vinho, a cerveja é feita de ingredientes naturais cujos benefícios são cientificamente comprovados.
“Um bom exemplo disso é a cevada, que dá origem ao malte, e o lúpulo. Ambos são ricos em antioxidantes, vitaminas e minerais, que, além de ajudarem a dar corpo, aroma, sabor e textura à cerveja, fazem da bebida uma aliada na dieta balanceada”, diz o sommelier.

6 – O colarinho tem alguma função? Verdade

Se você acha que não, o colarinho tem sim papel importante, pois a espuma protege a bebida da oxidação, reduz a perda de gás e mantém a temperatura. “Dois dedos de espessura é o ideal”, explica Tulio.

7 – Não existe copo específico para tomar cerveja? Mito

Cada estilo de cerveja pede um tipo de copo adequado para que os sabores e aromas sejam ressaltados.
A pilsen pode ser apreciada em uma tulipa ou caneca, a lambic pede taças do tipo flauta e a weissbier deve ser servida em copos maiores.
Se não tiver o copo ideal, utilize taças de vinho branco, ensina o sommelier.

8 – Cerveja é uma bebida de baixa caloria? Verdade

Se comparada com outras bebidas, como o vinho e até o suco de laranja, a cerveja pode ser considerada uma bebida de baixa caloria. Uma taça de cerveja tem em média 120 calorias, já a mesma quantidade de vinho 240 calorias.
A cerveja também possui os mesmos compostos orgânicos benéficos à saúde que o vinho: antioxidantes, vitaminas e sais minerais, explica Tulio.

9 – Cervejas artesanais, especiais e mainstream são a mesma coisa? Mito

De acordo com Tulio, podemos classificar as cervejas de acordo com a forma como elas são produzidas.
“A diferença básica entre elas é que as cervejas chamadas de mainstream têm um processo de fabricação bastante elaborado, complexo, justamente para garantir a qualidade da reprodutibilidade da receita”.
Já as cervejas ditas artesanais têm foco na licença criativa. “São cervejas de produções pequenas e mais ousadas, principalmente em termos de ingredientes”.
Por fim, as cervejas especiais são todas cujo preço é 20% maior do que as mainstream. “O que classifica uma cerveja como especial é o valor puramente econômico”, diz o especialista.

10 – O lúpulo é um conservante natural? Verdade

A função do lúpulo vai muito além de garantir o amargor da cerveja. Tulio explica que ele é um poderoso conservante natural, que pode ser utilizado até na culinária e também como cosmético.

11 – A cerveja não tem ritual de degustação? Mito

Segundo Tulio, apreciar e degustar uma cerveja pode ser uma verdadeira experiência sensorial. O especialista explica que é necessário ativar os cinco sentidos.
“Uma dica é procurar sentir os aromas da cerveja, criando uma memória olfativa da bebida, assim como o tato bucal e até a análise visual de uma cerveja”, dizTulio.

12 – A cerveja é mais saudável que outras bebidas destiladas? Verdade

Bebidas fermentadas, como a cerveja e o vinho, são mais saudáveis que as destiladas, como a cachaça e o whisky.
Além disso, a cerveja tem teor alcoólico menor que outras bebidas e o álcool da cerveja é obtido a partir de um processo natural, ou seja, mais saudável.

13 – Cerveja de garrafa é mais gostosa que a de lata? Mito

Tulio afirma que produto é o mesmo, não importa o recipiente, porém, o aroma e sabor podem ser influenciados pelo modo de conservar e resfriar a bebida.
Por isso, o ideal é manter a temperatura constante, seja ela fria ou sem refrigeração. “Quando ocorre a mudança brusca de temperatura, o sabor da cerveja é prejudicado”, afirma o especialista.

Posted in Mitos, Verdades at agosto 7th, 2015. No Comments.

Visão – Especialistas desvendam as maiores mitos sobre os olhos

Tire suas dúvidas sobre mergulhar de olhos abertos, ler em movimento e usar colírio à toa

Quem nunca levou uma bronca dos pais ou avós porque estava muito próximo da televisão ou foi incentivado a comer mais cenoura para preservar a visão? Os mitos relacionados à saúde dos olhos são vários e se transmitem a cada geração. “A preocupação aparece quando essas informações, sem fundamento científico, começam a criar problemas de saúde que pode ser irreversíveis”, afirma o oftalmologista Rubens Belfort Jr., professor da Escola Paulista de Medicina. No Dia Mundial da Visão (11 de outubro), tire suas dúvidas sobre as principais polêmicas envolvendo esse tema e proteja seus olhos de informações falsas.

Usar óculos ou lente de contato faz o grau aumentar?

“O uso de lentes ou óculos não interfere no aumento ou na diminuição do grau”, afirma o oftalmologista Rubens. Segundo ele, esses acessórios podem ser comparados a um tênis: independentemente do tamanho do calçado, seus pés irão crescer até certo tamanho e o uso do calçado não interfere em nada nesse processo.

Alguns problemas de visão são herdados geneticamente?

“Existem muitas doenças oculares cujo desenvolvimento pode ser favorecido pelo material genético herdado, como é o caso do glaucoma“, afirma a oftalmologista Keila Monteiro de Carvalho, professora da Unicamp. Entretanto, a maior parte dos problemas de visão é decorrente de infecções. No caso da miopia, o histórico familiar influencia o aparecimento do problema, que está determinado pelo código genético do paciente.

Mergulhar de olhos abertos prejudica a saúde ocular?

De acordo com o oftalmologista Rubens, mergulhar de olhos abertos pode ser perigoso, principalmente em águas não tratadas. “Em uma piscina, o máximo que pode acontecer são irritações por causa de substâncias usadas na água, como o cloro”, explica. Por outro lado, em águas não tratadas, como rios, micro-organismos podem ultrapassar a camada fina de epitélio que reveste o globo ocular causando infecções. “Por isso, se precisar ou quiser passar bastante tempo de olhos abertos debaixo d’água, use óculos de natação”, recomenda. O sal do mar é outro agente irritante, por isso o contato deve ser evitado.

Ler em movimento descola a retina?

O único perigo associado à leitura quando estamos em movimento é o enjoo. A ideia de que o hábito pode levar ao descolamento da retina não passa de mito. “O descolamento da retina é uma doença ocular que ocorre por motivos de trauma, questões genéticas ou ainda por processos degenerativos, inflamatórios ou tumorais”, afirma a oftalmologista Keila.

Colírios não podem ser usados sem indicação médica?

“Colírios sempre requerem prescrição médica”, afirma a oftalmologista Keila. Segundo a especialista, mesmo aqueles que não precisam de receita controlada, como os de lágrimas artificiais, devem ser usados apenas depois da indicação de um profissional. Afinal, deixar de sentir um incômodo pelo uso do produto não significa, necessariamente, que a causa está sendo tratada. “Por trás de um simples olho seco, podem existir problemas mais graves que só serão identificados em uma consulta”, explica.

Olhos claros são mais propensos ter problemas do que olhos escuros?

Problemas oculares ou sensibilidade à luz não dependem da cor dos olhos ou da íris. “A probabilidade de uma pessoa com olhos claros desenvolver miopia ou qualquer outro problema de visão é igual a de outra com olhos escuros”, diz o oftalmologista Rubens.

Alguns alimentos ajudam a prevenir problemas de visão?

Segundo a oftalmologista Keila, uma dieta equilibrada é sinônimo de vida saudável e, consequentemente, de saúde ocular. Mas alguns alimentos ganham ainda maior destaque quando o assunto é visão: antioxidantes, como o zinco e o cobre, e vitaminas, como a A e a E. Invista, portanto, em saladas bastante coloridas com cenoura, folhas verde-escuras e consuma três porções de frutas diariamente.

Assistir à televisão de perto prejudica os olhos?

“É até recomendado que pessoas com problemas oculares se aproximem da televisão para enxergar melhor, pois isso não prejudica em nada a visão”, afirma o oftalmologista Rubens. Por outro lado, o hábito pode ser um indício de dificuldade para enxergar – repare no comportamento do seu filho e procure um oftalmologista se ele reclamar que não enxerga quando afastado. Marque uma consulta para saber se a necessidade da ampliação da imagem é decorrente de um comportamento natural ou da dificuldade de enxergar.

Ler no escuro prejudica a visão?

Muitas pessoas acreditam que forçar a vista para enxergar melhor pode prejudicar a visão, mas isso não passa de mito. “No máximo, o hábito gera a conhecida vista cansada”, explica a oftalmologista Keila. O mesmo vale para quem fica o dia todo em frente a um monitor de computador ou realiza trabalhos manuais minuciosos.

Óculos de farmácia não prejudicam a visão?

“Óculos comprados prontos não prejudicam a visão, mas são apenas de aumento, ou seja, destinados a quem tem miopia e o mesmo grau nos dois olhos”, afirma a oftalmologista Keila. Esse tipo de óculos não corrige outros problemas, como o astigmatismo. “Como são muito genéricos, esses óculos de farmácia atendem pouquíssimos casos, já que cada paciente apresenta particularidades que vão além da miopia e diferenças entre as necessidades de cada olho”.

Fonte: Laura Tavares/R7

Posted in Medicina, Mentira, Mentiras, Mitos, Olhos, Saúde at outubro 17th, 2012. 1 Comment.

Terceira idade – Saiba o que é verdade e mentira nas pessoas idosas

Patricia Golini

Não adianta negar, todo mundo vai envelhecer. O processo, que começa perto dos 30 anos com a queda da capacidade pulmonar e cardíaca máxima e com a diminuição na produção de colágeno, é inevitável. Saiba mais sobre os mitos e verdades que acontecem com o corpo quando você alcança a casa dos 60.

Quando ficamos velhos, ficamos mais esquecidos

Mito. “Quando falamos de envelhecimento, temos alterações em todos os sistemas orgânicos. Do ponto de vista neurológico, existem modificações sim, porém, nem sempre elas comprometem a função cerebral do indivíduo”, explica Roberto Dischinger Miranda, geriatra e cardiologista do Instituto Longevità, de São Paulo. Algumas mudanças no estilo de vida fazem com que o idoso fique menos atento ou participativo. As pessoas mais jovens estão mais ligadas aos fatos que acontecem ao seu redor. À medida que a pessoa fica mais tranquila, tende a diminuir o poder de assimilação dos fatos. “A nossa memória está relacionada à atenção. Pelo próprio estilo de vida que levamos, implica em menor registro, menor foco de memória. Nem sempre lapsos de memória sinalizam doença”, explica o médico. Para evitar que eles apareçam, invista em atividades prazerosas para evitar que o cérebro fique acomodado. Aprender uma nova língua, um instrumento musical ou até mesmo usar o computador pode ser uma ótima maneira de estimular o funcionamento cerebral.

Quando ficamos mais velhos precisamos nos exercitar menos

Verdade. As alterações no organismo próprias do envelhecimento começam aos 30 anos e com elas vem a diminuição das capacidades pulmonar e cardíaca máximas. A repercussão dessas mudanças na vida cotidiana é pequena, porém, a queda de desempenho pode ser facilmente sentida durante os exercícios físicos. “Os exercícios devem ter uma intensidade diferente daquele praticado quando a pessoa era jovem. Mas, em qualquer idade, a atividade física é importante. E a performance ao se exercitar dependerá de cada um, é uma capacidade individual”, comenta o geriatra.

As dores são inevitáveis, principalmente as causadas pela artrite

Mito. Osteoartrose é uma das doenças mais comuns no envelhecimento e provoca dor. “Apesar das dores ocasionadas pela degeneração da cartilagem serem consideras comuns, não podemos considerá-las normais. O paciente deve ir ao médico para fazer um tratamento, fisioterapia e controlar o peso”, explica o médico.

O desejo sexual diminui com a idade

Verdade. Segundo Roberto Dischinger Miranda, o desejo sexual tende a diminuir com a idade, por ser próprio do envelhecimento humano. Nas mulheres, a menopausa faz com que a lubrificação diminua, o que causa dores durante a penetração. No homem, é comum a disfunção erétil. Porém, muitas vezes isso não impede a vida sexual do casal. É importante que os dois estejam bem com a prática, seja uma vez ao dia ou uma vez ao mês.

Acima de 60 anos devo procurar um geriatra

Mito. O geriatra é nada menos que um médico generalista com especialização em doenças mais comuns da terceira idade. Como o processo de envelhecimento começa quando somos jovens, é possível ir ao geriatra para acompanhar o avanço da idade, de maneira preventiva. “Não há nada que impeça a pessoa de envelhecer, o importante é manter a capacidade funcional, motora, física e mental”, explica o médico.

Pessoas com mais de 60 anos sentem menos sede

Mito. A estrutura fisiológica em si não causa essa alteração. “Muitas vezes, o que acontece é que o idoso perde bastante água por um quadro de incontinência urinária ou devido aos remédios diuréticos. Com isso, eles tendem a diminuir a ingestão de água – conscientemente ou não”, diz a nutricionista especializada em gerontologia Maristela Strufaldi. O quadro pode levar à desidratação, tontura, problemas intestinais e prejudicar a pele. “Por mais que o corpo não exija, deve-se tomar a mesma quantidade de água que antes”, defende Maristela.

Os idosos sentem menos sono

Mito. Algumas teorias defendem que o que acontece na verdade é uma mudança na arquitetura do sono. “Muitas vezes, o idoso tem a sensação de que dorme menos ou de que não dormiu bem. Mas nem sempre isso é real”, comenta Miranda. Quando a atividade do corpo é menor durante o dia, é natural que as horas de sono diminuam. Porém, nem sempre é preciso tratar com medicamentos. Primeiramente, é preciso investigar as causas dessa mudança e, se possível, tratá-las.

O paladar muda com a chegada da idade

Verdade. Assim como os outros músculos, as papilas gustativas, que ficam na língua, tendem a atrofiar. Isso influencia na percepção do paladar. “Para compensar essa perda, os idosos tendem a buscar alimentos ora muito doces, ora muito salgados”, elucida Maristela.

Os músculos desaparecem com o passar do tempo

Verdade. Segundo a nutricionista, a queda funcional do corpo faz com que aumente a quantidade de gordura, diminua a quantidade de massa magra e ocasione a queda no colágeno. O quadro, normal com o envelhecimento, acontece devido à morte celular e à atrofia muscular. O problema pode ser levemente corrigido com atividade física e alimentação balanceada.

Existem doenças consideradas normais na 3ª idade (diabetes, hipertensão)

Mito. Tudo que é considerado doença não pode ser chamado de normal. Pressão alta, diabetes, catarata são comuns, porém, jamais devem ser consideradas normais, uma vez que comprometem a vida do indivíduo. “O ideal é envelhecer com saúde e bem-estar”, completa o geriatra.

Fonte: Terra

Posted in Comportamento, Mentira, Mentiras, Mitos at outubro 1st, 2012. No Comments.

Pílula anticoncepcional – Conheça as verdades e mentiras sobre o medicamento feminino


Desde a década de 60, a pílula anticoncepcional passou a fazer parte do universo feminino. Com a evolução da medicina, o método tornou-se mais seguro, com dosagens hormonais menores, sendo bastante utilizado pelas mulheres. No entanto, até hoje algumas dúvidas permanecem quanto aos efeitos da utilização do anticoncepcional oral.

Considerando algumas das perguntas mais frequentes, a ginecologista e obstetra Denise Gomes, diretora médica da Plena Clínica, esclarece o que é mito e verdade.

Mudança de humor é decorrente do uso da pílula?

Mito! As mudanças hormonais típicas da menstruação causam muitas alterações do humor, e a pílula é um excelente tratamento para isso, deixando o humor da mulher estável.

O anticoncepcional pode afetar o desejo sexual da mulher?

Verdade! A perda da libido pode ocorrer devido ao uso do anticoncepcional, uma vez que ele interfere na concentração do hormônio testosterona. Caso esse sintoma seja notado, o recomendável é procurar o médico para que ele oriente o que fazer diante dessa situação.

É possível emendar duas cartelas para não menstruar?

Verdade! Algumas mulheres tomam uma cartela atrás da outra com o intuito de não menstruar. Essa prática não interfere na eficácia do anticoncepcional. No entanto, se esse procedimento for repetido mais de uma vez, é importante avisar o ginecologista.

O uso da pílula pode causar celulite?

Mito! A celulite está relacionada ao acúmulo de gordura e a uma predisposição genética. Quando há retenção de líquido, o inchaço provoca a sensação de que a celulite aumentou. Nesse caso, o médico deve ser consultado.

Quem toma a pílula por muito tempo tem dificuldade de engravidar?

Mito! O que pode acontecer com as mulheres que tomam o contraceptivo oral por muitos anos é demorar um pouco mais para engravidar, pois voltam a ovular, em média, 3 meses após a suspensão do método.

Segundo a ginecologista Denise Gomes, a infertilidade é menor entre as mulheres que consomem o anticoncepcional. Ela explica que, devido ao uso prolongado do anticoncepcional, os hormônios podem ficar acumulados nas células de gordura, sendo liberados no organismo mesmo depois de cessado o consumo da pílula.

Pílula provoca acne?

Mito! As substâncias presentes no anticoncepcional ajudam a equilibrar os hormônios masculinos que provocam as espinhas. Em alguns casos, a pílula é até recomendada como tratamento para prevenir a acne e diminuir a oleosidade da pele.

Quem usa pílula engorda?

Mito! Atualmente as novas pílulas apresentam baixa dosagem hormonal. Se a pessoa está sentindo seu corpo pesado, o motivo é outro, não tem a ver com o uso contínuo da pílula. Em alguns casos, o inchaço decorrente da retenção de líquido pode ser confundido com o ganho do peso.

Posted in Medicamento, Pílula Anticoncepcional at setembro 25th, 2012. 4 Comments.

Saúde dos dentes – Mitos sobre escova de dente, fio dental, escovação e limpeza bucal

À medida que saem novos estudos sobre tratamento e prevenções de doenças, a conscientização sobre saúde bucal cresce. Muitas pessoas seguem à risca sua rotina de higiene diária. Acabam de comer e logo vão escovar os dentes para garantir que não sejam devorados pelas cáries. Claro que é preciso caprichar na quantidade de pasta de dentes, afinal, quanto mais, melhor. E para fechar com chave de ouro a escova precisa ter as cerdas bem duras para limpar de verdade.

Caso você tenha se identificado com esse passo a passo, saiba que pelo menos três detalhes fazem toda a diferença para garantir um sorriso saudável. As dúvidas vão muito além da escovação, como enxaguante bucal, cremes dentais clareadores, alimentos que podem prejudicar os dentes.

Para esclarece de uma vez por todas os mitos e verdade em torno da saúde bucal o cirurgião-dentista, Hugo Lewgoy, professor da Uniban, selecionou algumas dúvidas mais frequentes dos pacientes. “Alguns detalhes imprescindíveis podem prevenir ou erradicar a cárie e evitar outras doenças periodontais (que afetam as gengivas),” diz Lewgoy.

Escova dura limpa melhor

Mito. Escovas com cerdas duras agridem aos dentes e a gengiva. A escova mais indicada deve ser ultramacia e com grande quantidade de cerdas, que limpam melhor sem agredir o esmalte dos dentes e a gengiva.

Escovar os dentes imediatamente logo após as refeições

Mito. Deve-se esperar, no mínimo, 30 minutos para escovar os dentes. É o tempo necessário para que a saliva possa agir e neutralizar o Ph dos alimentos e bebidas. O café, o vinho, o refrigerante e o suco de laranja, por exemplo, têm pH inferior a 5,0. Portanto, são ácidos e causam erosão, ou seja, perda da estrutura dental (cálcio).

Usar grande quantidade de pasta dental

Mito. A escova com pasta dental desgasta mais o esmalte do que a escova sem pasta. Ela, na verdade, é desnecessária. No entanto, caso seja utilizada, deve-se usar uma dose pequena, como o tamanho de uma ervilha, por exemplo.

É necessário escovar a gengiva e a língua

Verdade. Desde que seja com uma escova ultramacia para não causar uma retração gengival. Deve-se passar a escova 50% sobre a gengiva e 50% sobre a estrutura dental, em um ângulo de 45º. A língua também deve ser higienizada, pois é nesta região que as bactérias ficam alojadas. A higienização deve ser feita diariamente.

A higienização noturna é a mais importante

Verdade. À noite, quando a salivação diminui, deve-se fazer a escovação mais minuciosa, pelo menos por 10 minutos. No entanto, a língua é o melhor sensor para saber quanto tempo deve-se escovar os dentes. Deve-se passá-la em todos os dentes para sentir qual ponto falta fazer a higienização.

A escova interdental é mais eficiente do que o fio dental

Verdade. O fio é bom para remover detrito alimentar fibroso, como uma carne, por exemplo. Contudo, ele não limpa a região côncava entre os dentes. Por isso, deve-se usar a interdental, pelo menos uma vez ao dia.

Posted in da Boca, do Dentes, Mitos, Saúde, Verdade at setembro 12th, 2012. No Comments.

Diferenças entre os sexos – Homens x Mulheres – Mitos: Transa, orgasmos, beleza, comportamento

 “Homens só querem sexo, mulheres querem comprometimento”. “Homens pensam em sexo o dia inteiro”. “Todas as mulheres são românticas”. Quem aí já cansou de mitos como estes, que falam de forma errônea sobre a diferença entre os sexos? o/

Não entendam errado, não estou dizendo que os homens e mulheres pensam e se comportam da mesma forma. Só que, na minha experiência pelo menos, nossas ideias sobre o que define o pensamento do sexo oposto podem ser influenciadas por uma pessoa específica e acabamos generalizando.

Por exemplo, tenho amigas que, realmente, ficam desesperadas quando estão solteiras e não sossegam enquanto não acham um namorado. Mas elas não representam todas as mulheres e, aliás, não representam, necessariamente, nem a maioria.

Exatamente por esse motivo, achei muito bacana um estudo da Universidade de Michigan que, com a ajuda da ciência, reuniu pesquisas que detonam 5 mitos do senso comum sobre a diferença entre os sexos. Dá só uma olhada:

1. Homens pensam sobre sexo o tempo todo

Um cara pensa em sexo uma vez a cada 7 segundos – tenho certeza que você já ouviu essa. Se fosse verdade, eles não seriam capazes nem de se comunicar, de tão ocupados que seus cérebros estariam imaginando sacanagens a intervalos tão curtos de tempo. Um estudo feito em 2011 mostrou que homens pensam em sexo 18 vezes por dia, em média. Mulheres, por sua vez, pensam sobre isso 10 vezes por dia. Mas, ao mesmo tempo, os caras também pensam mais sobre comida e sobre o sono, o que dá pra concluir que, na cabeça deles, sexo não vem em primeiro lugar absoluto – por mais que você tenha aquele amigo que garanta que sim.

2. Homens transam mais do que mulheres

Mais uma balela propagada por aquele seu amigo espertalhão. Homens DIZEM que fazem sexo com mais parceiras/os. Mas um estudo feito em 2003 analisou moças e rapazes conectados a um detector de mentira. Como sabiam que estavam ligados aos aparelhos, os homens disseram que transaram com menos pessoas do que quando questionados sem o detector de mentira. Resultado: a média de parceiros dos dois sexos é praticamente igual.

3. Homens querem gostosas, mulheres querem ricaços

A psicologia evolutiva diz que homens procuram por parceiras férteis – em outras palavras, com quadris largos, seios fartos e todo o pacote que você já conhece. Já as mulheres, instintivamente, buscariam um cara que seria capaz de manter a família – nos dias de hoje, alguém financeiramente estável. No entanto, um estudo de 2008, que fez com que homens e mulheres participassem de uma sessão de encontros relâmpago, mostrou que, nessas ocasiões, os interesses românticos (programas preferidos, gosto musical, personalidade) tinham prioridade em relação ao status e à aparência. Ou seja, quando rola atração verdadeira, o dinheiro ou o tamanho do silicone não importam.

4. Mulheres têm menos orgasmos do que os homens

Por muito tempo acreditamos que as moças estavam fadadas a uma vida de raros prazeres sexuais – afinal, para elas é mais difícil ‘chegar lá’, certo? Em partes. Isso procede quando falamos de ‘casos de uma noite’. Nessas situações, o clímax realmente é mais raro entre as mulheres. Mas, quando estão em um relacionamento de mais tempo, mulheres tem uma frequência de orgasmos equivalente a 79% das vezes em que seus parceiros chegam lá. Ainda não é uma relação de 1 para 1, mas já é um número mais alto do que o senso comum.

5. Mulheres são mais seletivas do que homens

De novo as teorias da evolução pregam que as mulheres, por carregarem o filho durante 9 meses e, em teoria, terem a responsabilidade de criá-lo, são mais críticas na seleção de seus parceiros. Afinal, novamente em teoria, os homens só querem espalhar ‘sua semente’. Mas um estudo de 2009 mostrou que pessoas dos dois sexos são mais seletivas quando alguém as aborda do que quando escolhem alguém para abordar. Em outras palavras, quando você recebe uma cantada, julga mais quem está te cantando do que quando analisa um alvo de suas próprias cantadas. No entanto, por motivos culturais, ainda é mais comum que o homem faça a aproximação – tornando natural que a mulher o julgue mais.

E aí, gostou dessas novas ideias? Garanto que elas seguram qualquer conversa de bar por uma noite inteira. E, se você tem algum outro mito a ser detonado que gostaria de acrescentar a essa lista, sinta-se a vontade para deixar um comentário ou me escrever um e-mail – meu endereço está do lado direito da tela.

Posted in Comportamento, Mitos at setembro 7th, 2012. No Comments.

Mitos do Corinthias – Time derruba seis mentiras ao ser campeão invicto

Os mitos que o time de Parque São Jorge derrubou ao conquistar a Libertadores sem conhecer derrota:

1 – O Corinthians nunca vai ganhar a Libertadores

Muito corintiano tinha medo de a lenda virar verdade, mas o time de Tite colocou um ponto final nessa história.

2 – Corintiano treme em mata-mata da Libertadores

A sina de ser eliminado após perder jogadores expulsos por puro descontrole emocional foi finalmente interrompida. Com raras exceções, como a expulsão de Sheik contra o Santos, o equilíbrio emocional foi um dos pontos fortes do time na conquista do título de forma invicta.

3 – São Januário, Vila Belmiro e La Bombonera jogam sozinhos nos mata-matas

Os três alçapões mitificados não foram suficientes para derrubar o Corinthians, que saiu desse Triângulo das Bermudas para visitantes com uma vitória e dois empates.

4- O Boca sempre é campeão quando partida final da Libertadores é no Brasil

Ninguém tira dos argentinos três conquistas continentais em solo brasileiro. Mas o mito não é o mesmo após o triunfo corintiano.

5 – Tite não é técnico de ponta

Até Andrés Sanchez, que o manteve após a queda diante do Tolima, dizia aos amigos que Tite não era seu treinador preferido. Hoje, após ajudar o Corinthians a superar Muricy Ramalho, Neymar e a força do Boca, ele definitivamente está no topo entre os brasileiros. Já é admirado até por exigentes cartolas do São Paulo.

6 – Para ser campeão da Libertadores, o planejamento tem que ser perfeito

A diretoria alvinegra cometeu algumas falhas grosseiras, como deixar o garoto Marquinhos se apresentar para um embarque internacional com o time sem autorização dos pais. Apostar em Adriano e em Douglas, ambos fora de forma, além de não blindar como deveria o elenco de negociações às vésperas da final, foram outras barbeiragens. Tite e os jogadores tiveram habilidade para desviar das cascas de banana.

Posted in Corinthians, Time at julho 5th, 2012. No Comments.

Dentes – Mitos e verdades sobre o tratamento de canal

Quando o assunto é tratamento odontológico quase sempre a reação provocada é medo. Esse receio já faz parte da história da odontologia e não é diferente quando o problema é tratamento de canal. Tecnicamente nomeada de Endodontia, a especialidade é uma das mais procuradas na atualidade. O tratamento de canal é necessário quando a polpa dentária é atingida e geralmente acontece quando existe processo avançado de cárie. Problemas dentários repetidos, trincas e fraturas também podem ocasionar danos à polpa dentária. O procedimento consiste na remoção da polpa, composta por nervos e vasos presentes no interior do dente, e sua substituição por uma pasta obturadora compatível, em dentes de leite, e por cones de um material chamado guta percha (semelhante à borracha) em dentes permanentes.

O método pode salvar muitos dentes que no passado eram condenados à extração. “Esse procedimento pode ser rápido, principalmente se o dente não estiver infectado, ou seja, sem a presença de bactérias no local. Já quando existe pus, hemorragia ou tumefação, os tratamentos podem durar duas ou mais consultas”, explica o Dr. Thiago Vitelli Vasco dos Santos, especialista em Endodontia da Odontoclinic.


A cárie dentária é a principal causa do problema, que nos casos agudos provoca dor incessante, mesmo com o uso de analgésicos.

Principais sintomas

Diversos são os sinais que podem indicar a presença de problemas endodônticos. Esses indícios geralmente são acompanhados de dor persistente, que pode ser espontânea ou ocasionada por estímulos (como, por exemplo, ao beber água gelada). Essa dor geralmente não cessa nem com o uso de analgésicos. Dificuldade de mastigação e sensação de aumento da pressão dentro do dente também são sintomas comuns. No entanto, casos em que a pessoa convive com o problema sem nenhum sintoma aparente também existem, sendo necessária a realização de radiografias para detectar o problema.

A ausência de tratamento pode levar a dores no local, inchaços, abscessos, problemas sistêmicos e até a perda do dente. “Muitas são as justificativas que impedem as pessoas de procurar o tratamento adequado. O medo de sentir dor faz com que a pessoa opte pela extração do que por tratar o canal em dentes que poderiam facilmente ser salvos. É uma pena”, completa o especialista da Odontoclinic.

Tratamento – Com o uso de anestesia o tratamento de canal é, na maioria dos casos, indolor. Pode haver certo desconforto, o que é normal em um tratamento endodontico, pela neces

sidade de manter a boca aberta por um longo período de tempo. É feito em várias etapas, dependendo do caso. Primeiramente, é realizada a abertura no dente e, em seguida, é feita a remoção da polpa inflamada (pulpectomia). O espaço pulpar e os canais são esvaziados, alargados e limados, em preparação para o seu preenchimento com cones biocompativeis chamado de guta-percha. “Em caso de dentes infeccionados é realizado um procedimento chamado de penetração desinfectante, onde visa eliminar os microorganismos, dentro do canal com uso de hipoclorito de sódio, sendo em seguida realizado o alargamento e a limagem dos canais. Nos casos em que se faz necessária mais do que uma visita, é colocada uma restauração temporária na abertura da coroa, a fim de proteger o dente no intervalo das visitas”, explica Dr. Thiago Vitelli Vasco dos Santos.

O passo seguinte é o preenchimento permanente da cavidade da polpa e canal. Um material em forma de cone (flexível) é inserido em cada um dos canais e geralmente selado em posição com um cimento apropriado. Em alguns casos um pino de fibra de vidro ou metal é colocado no canal para se conseguir maior resistência. Somente são colocados pinos metalicos ou de fibra de vidro, se ha necessidade ou indicação de realizar protese sobre o elemento. A etapa final consiste na colocação de uma coroa sobre o dente para lhe conferir uma aparência natural.

Como evitar – De acordo com o especialista, o principal fator que leva ao tratamento de canal é a presença de processos avançados de cáries. Por isso a importância de uma boa assepsia bucal. “Por natureza, a boca humana abriga cerca de 560 espécies de microorganismos, mas com uma boa higiene eles não chegam a incomodar. Já a má escovação faz com que esses microorganismos se multipliquem causando cáries e placa dentária”, ressalta o especialista. É fundamental a escovação dos dentes três vezes ao dia usando um creme dental com flúor para remoção da placa bacteriana. Esse cuidado, além de evitar cáries também evita outros problemas como a gengivite. Usar fio dental diariamente também é importante para remover a placa bacteriana que se instala entre os dentes e sob a gengiva. Quando a placa não é retirada ela endurece e dá origem ao tártaro, ou cálculo dental, este só pode ser removido pelo dentista.

O especialista em Endodontia da Odontoclinic, Dr. Thiago Vitelli Vasco dos Santos, destaca abaixo alguns mitos e esclarece verdades sobre tratamentos de canal:

Mito: Tratamento de canal enfraquece os dentes.

Verdade: O dente que foi submetido ao tratamento de canal é considerado desvitalizado, o paciente nunca mais deve sentir dor ou sensibilidade ao quente e frio neste elemento.

Verdade: O tratamento de canal consiste na remoção da polpa dental, uma estrutura viva que contém, entre outros elementos, nervos e vasos sangüíneos. No entanto, externamente, o dente é envolvido pelos ligamentos periodontais, um ligamento vivo que permite que o dente continue a executar suas funções sem nenhuma perda ou dano.

Verdade: O dente que necessita de um tratamento de canal se encontra enfraquecido pela perda da estrutura dental, causada, geralmente, pela cárie profunda.

Mito: Para o tratamento de canal são necessários muitos dias.

Verdade: O tratamento de canal pode ser realizado em poucas consultas, principalmente se o dente não estiver infectado, ou seja, sem a presença de bactérias no local. Quando existe presença de pus, hemorragia ou tumefação, os tratamentos exigem maior número de consultas.

Sobre a Odontoclinic – Fundada em 1997, a Odontoclinic é a maior rede de franquias de odontologia em atuação no País. Em 2002, adotou o sistema de franchising – atualmente conta com 140 franquias e quatro unidades próprias. A projeção é de totalizar 500 clínicas em todo o Brasil até 2016. A companhia conta com todos os tipos de tratamentos na área da Odontologia, como Ortodontia, Clínica Geral, Endodontia, Periodontia, Cirurgia Oral Menor, Odontopediatria, Prótese e Implante.

Posted in Mentira, Mentiras, Mitos, Verdade, Verdades at março 21st, 2012. 45 Comments.

Mitos e verdades sobre a pílula anticoncepcional

A Pílula possivelmente é o método de contracepção mais comum no mundo. Calcula-se que cera de 90 milhões de mulheres no mundo todo façam uso do anticoncepcional. Eles atuam evitando que ocorra a ovulação – liberação de óvulo pelos ovários. Por ser um método muito utilizado, existem diversos mitos sobre o assunto. Dê uma olhadinha abaixo e tire algumas de suas dúvidas de uma vez por todas.

Alguns remédios podem anular o efeito do anticoncepcional?

Verdade. Sabe-se que a ampicilina, por exemplo, um antibiótico bastante comum e utilizado no tratamento de infecções urinárias, faringo-amigdalites e pneumonias, entre outros, pode reduzir a eficácia da pílula. Ainda, várias drogas anti-convulsivantes (utilizadas no tratamento de diversas formas de epilepsia) podem diminuir a eficácia dos anticoncepcionais orais. Nesses casos, a mulher deve associar a pílula a um método de barreira – preservativo – até o final da cartela.

Mulheres que usam pílula têm maior risco de câncer de mama e de útero.?

Mito. O risco de câncer de mama é praticamente o mesmo entre usuárias e não-usuárias de pílula.

Pílula engorda.?

Talvez. Ainda que o ganho de peso esteja entre as queixas mais comuns das mulheres que utilizam a pílula, os estudos mostraram que isto pode não ser completamente verdadeiro. Uma pesquisa recente descobriu que 72% das pacientes que começaram a tomar o anticoncepcional oral não apresentaram qualquer alteração de peso no final do período.

Pílula faz mal para o cabelo.?

Mito. Não existem evidências científicas comprovando este fato.

Depois que comecei a tomar a pílula, meu humor mudou.

Podem ocorrer náuseas, dor de cabeça, dor nos seios, sangramentos vaginais irregulares e depressão nos primeiros meses de uso da Pílula, mas estes efeitos colaterais freqüentemente cessam após alguns meses.

Pílula diminui a incidência de cólica

As cólicas são menos freqüentes nas mulheres que não ovulam. Por isso, as pílulas podem ser úteis em 70-80% dos casos de dismenorréia (cólica).

Mulheres que tomam Pílula demoram mais para engravidar quando param.?

Mito. O retorno à fertilidade em mulheres que interromperam o uso do contraceptico oral pode levar mais tempo quando comparado às mulheres que interromperam outros métodos contraceptivos, mas não parece haver prejuízo da fertilidade como um todo.

A Pílula pode piorar a asma.

Mito. As alterações nos níveis hormonais parecem ter um papel importante na gravidade da asma nas mulheres e cerca de 30 a 40% das mulheres apresentam flutuações na gravidade das crises relacionadas ao ciclo menstrual. A crise tende a ocorrer três dias antes e durante os quatro dias da menstruação. Os anticoncepcionais orais podem ajudar estes casos, nivelando as flutuações hormonais.

Parar de tomar pílula causa acne?

Verdade. A pílula reduz os níveis sangüíneos de androgênios (hormônios masculinizantes) e, dessa forma, podem colaborar para diminuir a gravidade da acne.

Bebida alcoolica pode interferir na eficácia da pílula

Talvez. O consumo de bebidas alcoólicas com moderação não interfere no funcionamento da pílula anticoncepcional. Assim, para garantir a sua eficácia, é muito mais importante que se você tome os comprimidos todos os dias sem falhas, nem esquecimentos, de preferência no mesmo horário, independente do que vai beber no dia.

Fonte: Bem Paraná

Posted in Mentira, Mitos, Verdade at janeiro 23rd, 2012. No Comments.