O Que Dói Mais, A Verdade Ou A Mentira?

o-que-doi-mais-a-verdade-ou-a-mentira

Uns dizem que a verdade dói, outros dizem que o que dói mesmo é a mentira. Mas antes de respondermos a pergunta do título deste post, vamos à algumas situações práticas.

Coloque-se no lugar do mentiroso, e também no lugar de quem recebe a mentira, nos casos abaixo que representam situações comuns que acontecem com a maioria das pessoas.
* O companheiro (a) de um grande amigo (a) teu dá em cima de você. Você pode dizer à pessoa “traidora” que isso não se faz; pode dizer ao amigo “traído” (a) para que este fique atento ou você pode ignorar tudo isso fingindo que não é que contigo ou que isso não é problema teu pois “em briga de marido e mulher não se mete a colher”. Mas neste caso, estamos falando de um grande amigo teu.
* Um grande amigo (a) teu tem um trabalho normal, que ele (a) não gosta mas que paga direitinho e é tranquilo. Este amigo (a) quer largar o trabalho para tentar um negócio próprio mas em uma coisa que ele (a) não leva o menor jeito. O que você faz? Você pode dizer que isso nunca vai dar certo porque seu amigo (a) não percebe, mas ele é péssimo no novo ofício que quer fazer, ou você deixa tudo rolar pois quem sabe o errado nesta historia é você, talvez teu amigo seja bom. Mas se um dia ele fizer o que está pensando e perder tempo, dinheiro e o ex trabalho, você vai se sentir culpado em não ter falado que era evidente, ou provável, que o fim fosse o fracasso do business?

* O teu amigo (a) está demasiadamente acima do peso, ele pede o segundo hambúrguer do jantar. Você lhe fala sobre o risco para a sua saúde ou espera que ele se informe sozinho? O teu amigo (a) está com uma tosse horrível há dias, você lhe lembra que ele deve parar de fumar ou fica quieto porque acha que é tão evidente que a tosse é devida aos 2 maços de cigarro que ele fuma por dia? O teu amigo (a) fuma muita maconha e vive esquecido, você lhe diz que na tua opinião a maconha está acabando com a sua memória ou fica com medo de parecer careta se disser isso?

Talvez a melhor resposta para a pergunta do post seja colocar-se no lugar do outro. Mas existem, claro, como tudo na vida, dificuldades em agir totalmente como queremos.

1. Existem pessoas que vivem na mentira. O caso é tão complicado que provavelmente precisaria de um atendimento médico-psiquiátrico. É muito difícil dizer “você realmente está louco (a)” Mas dependendo do grau de amizade que você tem, não dizer a verdade é adiar o problema complicando ainda mais a situação.
2. Nós não podemos ser responsabilizados pelas decisões dos outros. Isso é muito complicado pois aquela frase “você falou que” ou “você me aconselhou a” é muito comum, então seria ideal que pudéssemos dar nossa opinião mas deixando claro que a tomada de decisão cabe somente a pessoa “dona” do problema, e infelizmente nem todos entendem isso.

Verdade x mentira:

 
Existem mentiras e mentiras, verdades e verdades porque estes conceitos podem ser, muitas vezes, subjetivos. No caso do namorado (a) que dá em cima da amiga (o) da namorada (o) ele pode dizer que tudo é apenas “impressão”, no caso do amigo que quer abrir o business com uma coisa que ele não é bom, pode ser que exista quem o ache bom.

No fundo no fundo, nestes dias de falsidade geral, ou de superficialidade ao extremo, onde mostramos nas redes apenas o que queremos, fica difícil dizer o que realmente pensamos afinal, a impressão que dá é que todo mundo vive em uma mentira construída para a proteção do próprio ego através das mentiras sinceras ou das mentiras para não machucar. Aí, a pergunta deste post deve ser colocada também sobre nós mesmos. Vale a pena mentir?

Posted in A Verdade Ou A Mentira at novembro 18th, 2016. No Comments.

Comida queimada faz mal para a saúde?

Verdade

Você é uma mulher e gosta da comida mais “bem passada” que as outras pessoas? Então talvez você não vá ficar muito feliz em saber que estudos feitos na Holanda revelaram que isso pode ser mortal.

A pesquisa, feita em 2007 com 120 mil pessoas, entre homens e mulheres, apontou que a culpa disso está na acrilamida. A substância está presente em pequenas quantidades em pães, carnes, cereais, café, batatas e (para a “surpresa” de muitos) em fast foods, mas aumenta consideravelmente em número quando um alimento é cozido de qualquer maneira.

Quando absorvida pelo organismo feminino, mesmo em quantias baixas, ela dobra as chances da pessoa desenvolver câncer de ovário e útero. De acordo com o The Telegraph, apenas 40 microgramas de acrilamida (que você pode encontrar em um pacote de batatas chips de 32 gramas) por dia já são suficientes.

Perigos e prevenções

Mas você é homem e está pensando que está livre desse problema? Não necessariamente. Isso porque, embora os estudos não tenham apontado nenhum perigo imediato para o organismo masculino, nada prova que perigos não possam existir, com exposições prolongadas.

Então, no fim das contas, é melhor desistir da comida torrada? Infelizmente, isso não é suficiente. Segundo Janneke Hogervorst, do Departamento de Epidemiologia da Universidade de Maastricht, “uma vez que a acrilamida se forma naturalmente em vários alimentos cozidos, não é possível ter uma dieta balanceada que a evite”. Parece que o segredo, como sempre, é não exagerar em nada.

Posted in Padão at maio 19th, 2012. No Comments.

Banho de mar é energizante? Traz benefício à saúde?

Verdade

Embora não existam comprovações científicas, muitos especialistas acreditam que os banhos de mar tragam benefícios à saúde. “A água marinha, composta por mais de 80 elementos químicos, alivia principalmente as tensões musculares, graças à presença de sódio em sua composição, por isso pode ser considerada energizante”, afirma a terapeuta Magnólia Prado de Araújo, da Clínica Kyron Advanced Medical Center, de São Paulo. “E as ondas do mar fazem uma massagem no corpo que estimula a circulação sangüínea periférica e isso provoca aumento da oxigenação das células”, diz Magnólia. Existe até um tratamento, chamado talassoterapia (do grego thalasso, que significa mar), surgido em meados do século 9 na Grécia, que usa a água do mar como seu principal ingrediente. Graças à presença de cálcio, zinco, silício e magnésio, a água do mar é usada para tratar doenças como artrite, osteoporose e reumatismo.

Já o sal marinho, rico em cloreto de sódio, potássio e magnésio, tem propriedades cicatrizantes e anti-sépticas. Todo esse conhecimento, no entanto, carece de base científica. “Não conheço nenhum trabalho que trate desse tema com seriedade, mas intuitivamente creio que o banho de mar gere uma sensação de melhora e bem-estar”, diz a química Rosalinda Montoni, do Instituto Oceanográfico da USP.

Fonte Vida Simples

Posted in Verdade at novembro 8th, 2010. No Comments.

Celular causa câncer ou não?


Estudo mostra que celular aumenta em até 27% a incidência de tumores. Mas os cientistas dizem que isso não prova nada.

A radiação eletromagnética emitida pelos celulares traz risco à saúde? Há duas décadas esse enigma desafia os cientistas. E o maior estudo já feito sobre o assunto, que avaliou 14 mil pessoas em 13 países ao longo de 10 anos e acaba de ser concluído, trouxe as seguintes respostas: sim. Não. Talvez. O estudo, que foi realizado pela Organização Mundial da Saúde, está gerando polêmica na comunidade científica. Isso porque apontou que há associação entre o uso de celular e dois tipos de câncer. Mas com um porém. O estudo constatou que, no grupo de pessoas que tinham usado o celular durante pelo menos 1 640 horas – o equivalente a meia hora de uso por dia durante 10 anos-, havia 15% mais casos de glioma e 27% mais de meningioma (dois tipos de câncer cerebral). Mas os cientistas dizem que isso não prova nada. “Os dados são imprecisos”, declarou Daniel Krewski, biólogo da Universidade de Ottawa e um dos autores da pesquisa. Ele diz qeu o estudo não avaliou número suficiente de pessoas, e que os portadores de tumores podem ter reportado uso de celular superior ao real – o que teria distorcido os números, criando uma falsa elevação do risco de câncer.

Mas ne mtodos os pesquisadores aceitam essa explicação.  “O estudo da OMS confirmou as descobertas, feitas por vários grupos, de que o celular aumenta o risco de câncer no cérebro“, diz o oncologista Lennart Hardell, da Universidade de Orebro(Suécia). Seja como for, os cientistas da OMS querem fazer mais pesquisas. O próximo estudo a respeito pretende avaliar 350 mil usuários de celular – e só será concluído daqui a 20 anos.

Fonte Superinteressante

Posted in Mentiras, Verdades at julho 8th, 2010. 2 Comments.

Aspartame, é seguro usar?


aspartame ou aspartamo, um tipo de adoçante, é um aditivo alimentar criado para substituir o açúcar refinado.

Ele foi elaborado no ano de 1965 por uma empresa americana chamada G.D. Searle & Company que foi posteriormente adquirida pela Monsanto.

Ele tem maior poder de adoçar (cerca de 200 vezes mais doce que a sacarose) e é menos denso, por isso é um dos adoçantes mais utilizado em bebidas.

Abaixo segue um texto com perguntas e respostas elaborado pela ANVISA que visa tirar dúvidas quanto a saúde bem como a segurança do seu uso.

O aspartame é seguro?

Sim, existe consenso entre inúmeros comitês internacionais sobre a segurança do aspartame.

O que acontece com o aspartame no nosso organismo?

Ele é metabolizado no trato gastro intestinal liberando dois aminoácidos, o ácido aspártico e a fenilalanina, e metanol.

O ácido aspártico liberado pelo aspartame representa risco à saúde?

Não. Doses de aspartame acima da dose diária recomendada resultam em aumento pequeno de ácido aspártico no sangue, bem abaixo de doses consideradas como prejudiciais à saúde.

Alimentos em geral podem conter ácido aspártico. Por exemplo, um hambúrguer de 100 g pode conter até 40 vezes a quantidade de ácido aspártico presente em uma lata de refrigerante (350 ml) adicionado de aspartame.

A fenilanina liberada pelo aspartame representa risco à saúde?

Não. Após uma dose única de aspartame equivalente a 20 latas de refrigerante com este adoçante, o nível de fenilalanina no sangue permanece dentro da faixa normal , bem abaixo de níveis que possam causar toxicidade. Mesmo para indivíduos com capacidade reduzida de metabolizar a fenilanina (portadores heterozigotos de fenilcetonúria), uma dose semelhante não eleva os níveis plasmáticos de fenilanina a valores que possam ser considerados um risco à saúde.

O metanol liberado pelo aspartame representa risco à saúde?

Não. A quantidade de metanol liberada pelo aspartame é muito pequena e mesmo doses elevadas, equivalentes à ingestão diária recomendada para este adoçante, resulta em uma ingestão de metanol 200 vezes inferior à dose tóxica. A quantidade de metanol proveniente do aspartame contido em uma lata de refrigerante (350 ml) equivale à quantidade liberada pelo mesmo volume de suco de laranja e de maçã, sendo de 4 a 6 vezes inferior àquela presente no suco de tomate e de uva.

Quem não deve consumir o aspartame?

Os portadores de uma deficiência rara, fenilcetonúria, não metaboliza o aminoácido fenilalanina, devendo evitar o consumo de aspartame.

Esses indivíduos também são incapazes de metabolizar a fenilalanina de qualquer alimento, devendo ser submetidos a uma dieta rigorosa.

A legislação brasileira obriga que os alimentos que contém aspartame tragam no rótulo a seguinte advertência em destaque e negrito: CONTÉM FENILALANINA

O aspartame pode ser consumido por grávidas e crianças?

Sim. O metabolismo do aspartame já foi estudado nestes grupos da população, não havendo até o presente evidências científicas de que gestantes e crianças metabolizem o aspartame diferentemente de um adulto normal.

Existe alguma relação entre o consumo de aspartame e esclerose múltipla, Lúpus sistêmico, mal de Alzheimer ou aparecimento de tumor cerebral?

Não. Esclerose múltipla é uma doença causada por muitos fatores, não existindo qualquer associação entre sua ocorrência e o consumo de aspartame.

Também não existem evidências científicas associando o aspartame com Lúpus sistêmico, mal de Alzheimer e ocorrência de tumor cerebral.

O aspartame prejudica o diabético?

Não. Estimativas de ingestão de aspartame por diabéticos indicam um consumo considerado seguro pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Foram realizadas pesquisas para verificar o efeito do aspartame no organismo humano?

Sim. Há inúmeros dados na literatura sobre ensaios clínicos realizados em indivíduos normais, diabéticos e indivíduos com problemas no metabolismo da fenilalanina, não tendo sido evidenciados danos à saúde.

Qual a quantidade de adoçante a base de aspartame que pode ser ingerida diariamente?

A quantidade máxima de aspartame que um adulto com 60 kg pode ingerir diariamente, com segurança, é de 2.400 mg, o que equivale, aproximadamente, ao consumo de 48 envelopes de 1 g de um adoçante dietético com 5% de aspartame, ou a 4 litros de refrigerante adoçado apenas com aspartame.

No caso de uma criança com 30 kg, as quantidades máximas correspondem a 24 envelopes do mesmo adoçante ou a 2 litros de refrigerante.

Posted in Medicina, Mitos at julho 1st, 2010. No Comments.

Microondas causa câncer?

Quando se popularizou nos Estados Unidos, na década de 70, o microondas era apontado como a grande inovação na cozinha: servia para aquecer, cozinhar e descongelar os alimentos, de forma prática e bem mais rápida do que o forno e o fogão convencionais. Com o passar do tempo, diversas pesquisas científicas apontaram os riscos que o aparelho traria para a saúde, com problemas que vão desde o vazamento de radiação à perda de nutrientes da comida.

Segundo a nutricionista Bárbara Rodriguez, o ideal é usar o microondas o mínimo possível. “As moléculas dos alimentos não foram feitas para vibrar nos níveis impostos pelo cozimento com microondas. Isso tende a danificar os nutrientes mais delicados e eles perdem a capacidade de nutrir”, explica ela. “Além disso, existem estudos que afirmam que certos aminoácidos naturais podem assumir formas tóxicas quando expostos a esse tipo de cozimento”, complementa.

Recentemente, o guia do Environmental Working Group, uma organização de divulgação das informações referentes a saúde pública, condenou o uso de utensílios de plástico no microondas. “Toxinas cancerígenas podem vazar das bandejas plásticas, de papéis ou das películas plásticas dos alimentos feitos para serem preparados no microondas. E essas toxinas podem se misturar à sua comida”, afirma Bárbara Rodriguez.

Tânia Nigri, do Gávea Integral, é a favor do microondas. “Uso na loja, para aquecer as refeições antes de servir, e em casa, para esquentar e descongelar alimentos. Mas sempre deixo a comida em recipientes de vidro, nunca de plástico”, conta ela. “Não sou estudiosa do assunto, mas, pelo que sei, não há dados 100% concretos de que o microondas faça mal à saúde, desde que haja manutenção correta do aparelho”, diz Tânia.

Veja alguns cuidados que precisam ser tomados na hora de usar o microondas.

Vazamento – Para testar se há vazamento de radiação, deixe uma maçã em cima do aparelho enquanto usá-lo por um período mínimo de dois minutos. Caso a fruta cozinhe, o microondas precisa ser levado para manutenção.

Explosões – Recipientes de metal ou de louça com filetes dourados ou prateados não podem ser levados ao microondas. Eles refletem as ondas e podem causar explosões.

Furos – Alimentos com pele, casca ou membrana, como tomate, batata, salsicha e ovo, por exemplo, devem ser furados com um garfo ou palito antes de serem colocados no microondas. Do contrário, podem estourar dentro do aparelho ou na hora em que forem retirados para servir.

Líquidos – Tenha cuidado ao aquecer líquidos no microondas. Eles podem entrar em ebulição ao serem retirados do aparelho, espirrando para fora do recipiente em que estão e causando queimaduras.

Uso liberado – Papel, papelão, vidro, cerâmica e louças sem filetes de metal, desde que fabricados para esse fim, podem ser usados sem problemas no microondas. Esses materiais permitem a passagem das ondas.

Fonte GNT

Posted in Mentiras, Mitos, Verdades at março 19th, 2010. 21 Comments.