Verdade ou mentira que doce turco é vendido no Brasil com pílulas que causam paralisia?

Imagens circulam em redes sociais, inclusive de outros países. Produto não é exportado para o Brasil; outros detalhes denotam falsidade do vídeo. Fabricante afirma que material é ‘irreal e ilusório’ e tem como objetivo difamar a marca.

Circula pelas redes sociais um vídeo em que uma pessoa abre a embalagem de um doce, divide a bisnaga em pedaços e mostra logo depois duas pílulas brancas. Uma legenda que acompanha o vídeo diz: “Esse biscoito turco tem 2 comprimidos que causam paralisia. Já chegou ao Brasil. Não comprem e espalhem essa mensagem”. É #MENTIRA.

O produto não é exportado para o Brasil. Além disso, há outros detalhes que denotam a falsidade do vídeo.

A empresa Sölen, que fica na Turquia e produz o bolinho, afirma que o vídeo é “irreal e ilusório”. A fabricante diz que a mensagem tem como único objetivo difamar a marca.

A empresa afirma ainda que segue normas rígidas de produção e passa regularmente por organizações de inspeção independentes com relação à segurança alimentar.

A mensagem tem circulado em outros idiomas e versões. Uma delas, em turco, diz que os doces contêm drogas. A conta da ?ölen no Twitter sugere, inclusive, um texto publicado em uma agência turca de verificação de fatos com maiores explicações sobre o caso.

O texto da agência de checagem turca Teyit aponta para um truque. Diz que, se o vídeo for examinado cuidadosamente, será notada a deformação no bolo, o que indica que as pílulas foram inseridas de propósito.

A agência também aponta que a voz no fim do vídeo revela o dialeto Sorani, uma das línguas oficiais do governo regional do Curdistão iraquiano – sinal de que o vídeo foi gravado no país do Oriente Médio.

Outro detalhe que revela que o vídeo foi gravado no Iraque é a imagem, ao fundo, de um outro produto – uma ave congelada – exportado pela Turquia e que tem o Iraque como principal mercado consumidor.

Por fim, a agência mostra o resultado de uma análise realizada por auditores independentes afirmando que o produto não apresenta nenhuma irregularidade.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) diz não ter recebido nenhuma denúncia ou informação de ocorrência a respeito desse produto.

 

Posted in Comida, Doce at novembro 21st, 2019. No Comments.