Dá primeira carga nas baterias de íons de lítio de celular, notebook ou tablet é necessário? – Verdade ou mentira?

[adrotate banner=”5″]

Um estudo publicado em 2010 pela Battery University (em inglês) demonstra que as baterias de íons de lítio, as mais comuns atualmente, simplesmente param de carregar quando estão cheias. Isso é: para esse tipo de bateria, que está presente em praticamente todos os celulares, notebooks e demais equipamentos eletrônicos modernos, não faz diferença estar ou não conectada à rede elétrica quando a carga for 100%.

Esse estudo confronta uma situação conhecida dos compradores de equipamentos eletrônicos: a orientação dos vendedores para que a carga inicial da bateria seja mais longa do que as demais. Além disso, vai de encontro à idéia dos usuários de laptops que retiram a bateria do equipamento quando estão conectados à tomada.

Ainda de acordo com o estudo de 2010, o tempo de vida médio dos componentes é de três a cinco anos e o que mais desgasta as baterias é a exposição ao calor, sendo o pior cenário possível manter uma bateria 100% carregada sob altas temperaturas.

Fala consumidor

“Que eu saiba a primeira carga é de 12 horas, mas da última vez que eu comprei um notebook ninguém falou nada. O vendedor do primeiro computador não explicou o motivo, só disse que eu tinha que dar a carga inicial de 12 horas”, diz Daniel Gomes, 25, analista administrativo.

A estudante Lorena Farias, 23, também recebeu uma orientação específica, seguida até hoje nos seus equipamentos: “sempre deixei oito horas carregando. Pior é que alguns vendedores me fizeram essa recomendação”.

Recomendação semelhante também foi dada ao estudante Victor Carvalho, 22. “Tanto na compra do celular quanto do notebook o vendedor me orientou a dar uma carga inicial de oito horas”, afirma.

Nos três casos, a orientação do vendedor foi equivocada.

Posted in Bateria, Mentira, Mentiras, Mitos, Tecnologia at junho 8th, 2012. No Comments.

Celular causa câncer ou não?

[adrotate banner=”5″]
Estudo mostra que celular aumenta em até 27% a incidência de tumores. Mas os cientistas dizem que isso não prova nada.

A radiação eletromagnética emitida pelos celulares traz risco à saúde? Há duas décadas esse enigma desafia os cientistas. E o maior estudo já feito sobre o assunto, que avaliou 14 mil pessoas em 13 países ao longo de 10 anos e acaba de ser concluído, trouxe as seguintes respostas: sim. Não. Talvez. O estudo, que foi realizado pela Organização Mundial da Saúde, está gerando polêmica na comunidade científica. Isso porque apontou que há associação entre o uso de celular e dois tipos de câncer. Mas com um porém. O estudo constatou que, no grupo de pessoas que tinham usado o celular durante pelo menos 1 640 horas – o equivalente a meia hora de uso por dia durante 10 anos-, havia 15% mais casos de glioma e 27% mais de meningioma (dois tipos de câncer cerebral). Mas os cientistas dizem que isso não prova nada. “Os dados são imprecisos”, declarou Daniel Krewski, biólogo da Universidade de Ottawa e um dos autores da pesquisa. Ele diz qeu o estudo não avaliou número suficiente de pessoas, e que os portadores de tumores podem ter reportado uso de celular superior ao real – o que teria distorcido os números, criando uma falsa elevação do risco de câncer.

Mas ne mtodos os pesquisadores aceitam essa explicação.  “O estudo da OMS confirmou as descobertas, feitas por vários grupos, de que o celular aumenta o risco de câncer no cérebro“, diz o oncologista Lennart Hardell, da Universidade de Orebro(Suécia). Seja como for, os cientistas da OMS querem fazer mais pesquisas. O próximo estudo a respeito pretende avaliar 350 mil usuários de celular – e só será concluído daqui a 20 anos.

Fonte Superinteressante

Posted in Mentiras, Verdades at julho 8th, 2010. 2 Comments.