Mentiras sinceras

mentiras-sinceras

Mentir é humano, diria Santo Agostinho, se conhecesse Dora, que precisa mentir como o fumante precisa do cigarro e o jogador precisa apostar. Ou como nós outros precisamos das nossas manias, que todos as temos. Dora não sabe, mas sofre de mitomania, que é a compulsão para a mentira, mesmo se não há necessidade ou vantagem na mentira. Mais que humano, para Dora mentir e se sair bem é divino.

Mesmo as pequenas mentiras diárias podem trazer desafios inesperados, e o primeiro deles é que acreditem nelas. Disse Bernardo Shaw, “O castigo do mentiroso, além de ninguém acreditar nele, é ele não poder mais acreditar nos outros”. Claro que todos conhecem o mau hábito crônico da Dora de estar sempre inventando novas mentiras, portanto, para ela, a dificuldade em se fazer acreditar torna o jogo mais interesse. Teve o dia que Dora caiu no banheiro e quebrou a perna. Se todo mundo vai ao banheiro, por que não se ater aos fatos reais? Não para Dora, que alegou ter sido atropelada num supermercado por um carrinho cheio de mercadorias. E elaborou, “Uma mulher imensa correndo com o carrinho cheio não me viu”. A família e os colegas de ofício caíram na história, comprovada pela perna engessada – Você pode processar o supermercado se recolheu provas. Pegou o nome da irresponsável? Tirou uma foto no momento da colisão?

Era hora de Dora entender o exagero da situação, mas quanto mais controvérsias a mentira causar, melhor. “Na hora senti dor, mas pensei que tinha sido apenas uma contusão e fui pra casa. No dia seguinte começou a doer e tive que correr pro hospital”. Chovem conselhos e sugestões, Os supermercados têm câmeras pra todo lado, o acidente ficou registrado em alguma delas; um bom advogado… Dora dribla tudo e todos, Indenização, se receber, não paga o advogado; processos levam anos na justiça…
E encerra a questão com mais mentiras – o plano de saúde pagou o hospital, o seguro particular pagou os dias sem trabalhar, portanto, foi lucro. Benjamin Disraeli disse, “Há três espécies de mentiras: mentiras, mentiras deslavadas e estatísticas”. Dora tem doutorado nas duas primeiras, a terceira é especialidade de governo e marqueteiros. Mesmo assim, elaborou um suco para emagrecer que vendeu horrores no escritório – couve e alface batidas com limão e mel, a eficácia comprovada por estatísticas tiradas de outro produto na Internet.

[adrotate banner=”5″]
Quando é pega em flagrante delito, Dora se defende com outra mentira, “Jesus disse, quem nunca mentiu que atire a primeira pedra”. Talvez fosse melhor citar Simone de Beauvoir, “À minha volta, reprova-se a mentira, mas foge-se cuidadosamente da verdade”. Porque de uma forma ou de outra, mentimos todos – a maquiagem engana a aparência, as ombreiras do terno enganam o físico, o tempero engana o sabor da comida, o salto do sapato engana a altura, uma boa capa engana um livro medíocre… Dora pode exagerar, mas não está sozinha.

Posted in Mentiras Sinceras at setembro 9th, 2015. No Comments.