É falsa a foto que mostra Rosângela, mulher de Sergio Moro, junto ao ex-presidente Lula no Instituto

Fotos virais não mostram Rosângela Moro com Lula, FHC e o investidor George Soros. Quem aparece nas duas imagens é a cientista política Ilona Szabó.

Mensagem que tem viralizado nas redes sociais diz que a mulher do ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, Rosângela Moro, esteve em encontros no Instituto Lula com o investidor George Soros e os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso. Duas imagens acompanham o texto. É #FAKE.

Quem aparece nas duas imagens, na verdade, é a cientista política Ilona Szabó, co-fundadora e diretora-executiva do Instituto Igarapé, voltado a pensar soluções para a área da segurança pública. Ilona nem sequer é parecida com Rosângela Moro.

Procurada pela CBN, a assessoria de imprensa de Moro afirma: “Oficialmente informamos que as fotos não são de Rosângela Moro e que ela nunca esteve no Instituto Lula”.

A mensagem falsa diz assim: “Aos apoiadores de Moro, se é que por acaso conhecem George Soros, né? Acho que depois dessa não precisa dizer mais nada, né, pessoal?” E segue: “Enquanto isso, no Instituto Lula, esposa de Moro (de vermelho) com George Soros e toda a quadrilha do PSDB, os maiores beneficiados por sua gestão no MJ (Ministério da Justiça)”.

A primeira foto é de um debate ocorrido em julho de 2015, no Instituto Lula, em São Paulo, do qual participaram o ex-presidente Lula, ativistas da área da segurança, profissionais da saúde e especialistas em políticas sobre drogas e violência. Entre eles, estava Ilona Szabó.

A segunda foto é de abril de 2015, e foi feita num encontro entre investidores, empresários e representantes de entidades de cunho social. Na imagem, entre outros presentes, estão o milionário húngaro George Soros, Ilona e FHC, que serviu de mediador para uma conversa sobre o terceiro setor. O encontro não ocorreu no Instituto Lula.

Desde que Moro deixou o ministério, apoiadores do governo federal se dividiram nas redes sociais e em protestos de rua entre os que seguem defendendo o presidente Jair Bolsonaro, e agora se opõem ao ex-ministro Moro, e os que se colocam junto a Moro, e criticam Bolsonaro. Mensagens falsas como essa vêm sendo compartilhadas pelo primeiro grupo. Moro é tachado de “traidor”.

Coincidência ou não, logo no início da passagem de Moro pelo ministério, em fevereiro de 2019, Ilona esteve no centro de uma polêmica. Ela foi escolhida para integrar o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, órgão consultivo do governo federal. Mas diante de críticas de apoiadores do presidente a seu nome, Moro revogou a nomeação. A justificativa foi a “repercussão negativa em alguns segmentos” da sociedade. Ela foi considerada de inclinação à esquerda por apoiadores do governo, que disseminaram nas redes sociais a hashtag #ilonanao.

Já Rosângela Moro também virou alvo recente por criticar Bolsonaro publicamente. No fim de semana, ela escreveu no Instagram: “Diminuir vítimas da Covid-19 depende de liderança. Não temos”.

A equipe do Fato ou fake já desmentiu outras mensagens falsas que vinculam Moro ao PSDB. Vem circulando nas redes sociais que o avô do ex-juiz é um dos fundadores do PSDB e que o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) é cunhado dele. Ambas as informações são fake.

Posted in Mentira, Mentiras, Política at maio 13th, 2020. No Comments.

16 governadores lançam apoio à Dilma contra o impeachment, verdade ou mentira?

16-governadores-lançam-apoio-a-dilma-contra-o-impeachment-verdade-ou-mentira

Nesta segunda-feira começou a divulgação de uma notícia em que 16 governadores estavam apoiando Dilma contra o impeachment. Será isso verdade ou mentira?

A publicação foi compartilhada por milhares de pessoas no Facebook e Twitter. A grande maioria destes compartilhamentos são de usuários da internet que são, segundo eles, contra o golpe. Analisamos se é verídico essa informação ou não e podemos constatar que é verdade, porém o apoio foi em dezembro de 2015, antes de serem divulgados as interceptações nas ligações do ex-presidente Lula com Dilma.

Na oportunidade os governadores se reuniram no Planalto no dia 08 de dezembro de 2015 e juntos realizaram uma carta aberta para população onde o conteúdo se mostrava contra o impedimento da presidente.Atualmente as coisas mudaram de figura. Dois partidos já deixaram a base aliada do Governo, além do PMDB, maior força do política para o PT, já sinalizar que deixará a situação no final deste mês.

O Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), disse a interlocutores que não tem condições de barrar o afastamento da presidente Dilma Rousseff do cargo caso a Câmara dos Deputados tome essa decisão. Segundo Calheiros, haverá uma “onda” que certamente resultará na cassação da presidente.
Conclusão

A notícia é verdadeira, porém é de uma data retroativa. Hoje o patamar está totalmente diferente.

[adrotate banner=”5″]

Posted in Apoio A Dilma Contra O Impeachment at março 30th, 2016. No Comments.